segunda-feira, 27 de fevereiro de 2006

Nossa... Que mês terrível.

Sabe, até hoje estou procurando respostas, mas só acho mais e mais perguntas. Não sei, talvez seja uma cisma dos deuses que tem sobre nós. Sempre que procuramos algo, nunca achamos. Atualmente, estou precisando de algo para viver. Sim... Pra que pais?

Eles adoram mandar, primeiramente. Alguns nos tratam como verdadeiros empregados, sem direito sequer a salário. Me pediram pra eu pegar um copo de cerveja que era só esticar o braço e... Pegar! Eu tenho que parar tudo o que eu estou fazendo (eles sempre dizem que estamos fazendo nada... nada é o que eles sabem sobre o que estamos fazendo...) pra ir atendê-los como um servo faz ao seu amo.

Cara, até hoje eu estou me perguntando... Meus pais sempre dizem "Lá na frente você vai olhar pra trás e dizer que eu tava certo!", mas como isso pode acontecer se eu tenho argumentos necessários para quebrar tais conceitos?

Olha... Eu sou um filho exemplar. Modéstia parte mesmo. Sou esforçado, sou compreensível, sou educado, sou econômico... E o que eu recebo? SÓ PORRADA! Olha, se existe algum Deus aí em cima, será que não vê que eu estou cansado de fazer o bem e só receber o mal? Eu to vendo tanta gente fazendo o mal e se dando bem, to quase indo por esse caminho.

Igual eu tava conversando com a srta Manu Brandão... Pais não dão valor aos filhos que têm, isso sim. É muito fácil dizer "Vai trabalhar vagabundo!", problema é vc estar com tantos conflitos interiores, tendo cabelos brancos e rugas em plenos 17 anos, não ter uma namorada, não confiar na própria mãe, achar-se velho em plena flor da juventude, e não arranjar problema com ninguém. Mas sempre vai ter alguém pra nos atormentar.

To cansado viu. Depois só meus pais tem problemas... No fundo eles que são os mais fracos, pq pra eles, eu não tenho nenhum problema, e a minha vida é perfeita e eu vivo na folga. Malditos sejam.

PQP... Adeus fevereiro. Não guardo boas lembranças de você...

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2006

MORGANA FALA...

Em vida, chamaram-me de muitas coisas: irmã, amante, sacerdotisa, maga, rainha. O mundo das fadas afasta-se cada vez mais daquele em que cristo predomina. Nada tenho contra o Cristo, apenas contra os seus sacerdotes, que chama a Grande Deusa de demônio e negam o seu poder no mundo. Alegam que, no máximo, esse seu poder foi o de Satã. Ou vestem-na com o manto azul da Senhora de Nazaré ? que realmente foi poderosa, ao seu modo ?, que, dizem, foi sempre virgem. Mas o que pode uma virgem saber das mágoas e labutas da humanidade?

E agora que este mundo está mudado e Arthur ? meu irmão, meu amante, rei que foi e rei que será ? está morto (o povo diz que ele dorme) na ilha sagrada de Avalon, é preciso contar as coisas antes que os sacerdotes do Cristo Branco espalhem por toda parte os seus santos e lendas.

Pois, como disse, o próprio mundo mudou.

Houve tempo em que um viajante se tivesse disposição e conhecesse apenas uns poucos segredos, poderia levar sua barca para fora, penetrar no mar do Verão e chegar não ao Glastonbury dos monges, mas à ilha sagrada de Avalon: isso porque, em tal época, os portões entre os mundos vagavam nas brumas, e estavam abertos, um após o outro, ao capricho e desejo dos viajantes. Esse é o grande segredo, conhecido de todos os homens cultos de nossa época: pelo pensamento criamos o mundo que nos cerca, novo a cada dia.

E agora os padres, acreditando que isso interfere no poder do seu Deus, que criou o mundo de uma vez por todas, para ser imutável, fecharam os portões (que nunca foram portões, exceto na mente dos homens), e os caminhos só levam à ilha dos padres, que eles protegeram com o som dos sinos de suas igrejas, afastando todos os pensamentos de um outro mundo que viva nas trevas. Na verdade, dizem eles, se aquele mundo algum dia existiu, era propriedade de Satã, e a porta do inferno, se não o próprio inferno. Não sei o que o Deus deles pode ter criado ou não. Apesar das historias contadas, nunca soube muito sobre seus padres e jamais usei o negro de uma de suas monjas-escravas. Se os cortesãos de Arthur em Camelot fizeram de mim este juízo, quando fui lá (pois sempre usei as roupas negras da Grande Mãe em seu disfarce de maga), não os desiludi.

E na verdade, ao final do reinado de Arthur, teria sido perigoso agir assim, e inclinei a cabeça à conveniência, como nunca teria feito a minha grande Senhora, Viviane, Senhora do Lago, que depois de mim foi a maior amiga de Arthur, para se transformar mais tarde em sua maior inimiga, também depois de mim.

A luta, porém, terminou. Pude finalmente saudar Arthur, em sua agonia, não como meu inimigo e o inimigo de minha Deusa, mas apenas como meu irmão, e como um homem que ia morrer e precisava da ajuda da mãe, para a qual todos os homens finalmente se voltam. Até mesmo os sacerdotes sabem disso, com sua Maria sempre-virgem em seu manto azul, pois ela, na hora da morte, também se transforma na Mãe do Mundo.

E assim, Arthur jazia enfim com a cabeça em meu colo, vendo-me não como irmã, amante ou inimiga, mas apenas como maga, sacerdotisa, Senhora do Lago; descansou, portanto no peito da Grande Mãe, de onde nasceu, e para quem, como todos os homens, tem a finalidade de voltar. E talvez ? enquanto eu guiava a barca que o levava, desta vez não para a ilha dos padres, mas para a verdadeira ilha sagrada no mundo das trevas que fica além do nosso, para a ilha de Avalon, aonde, agora, poucos, além de mim, poderiam ir ? ele estivesse arrependido da inimizade surgida entre nós.(...)

A verdade tem muitas faces e assemelha-se à velha estrada que conduz a Avalon: o lugar para onde o caminho nos levará depende da nossa própria vontade e de nossos pensamentos, e, talvez, no fim, chegaremos ou à sagrada ilha da eternidade, ou aos padres, com seus sinos, sua morte, seu Satã e Inferno e danação...Mas talvez eu seja injusta com eles. Até mesmo a Senhora do Lago, que odiava a batina do padre tanto quanto teria odiado a serpente venenosa, e com boas razões, censurou-me certa vez por falar mal do deus deles.

?Todos os deuses são um deus?, disse ela, então como já dissera muitas vezes antes, e como eu repeti para as minhas noviças inúmeras vezes, e como toda sacerdotisa, depois de mim, há de dizer novamente, ?e todas as deusas são uma deusa, e há apenas um iniciador. E cada homem a sua verdade, e Deus com ela?.

Assim, talvez a verdade se situe em algum ponto entre o caminho para Glastonbury, a ilha dos padres, e o caminho de Avalon, perdido para sempre nas brumas do mar do Verão.

Mas esta é a minha verdade; eu, que sou Morgana, conto-vos estas coisas, Morgana que em tempos mais recentes foi chamada Morgana, a Fada.

Fonte ~ As Brumas de Avalon
From ~ As Brumas de Avalon Vol I - A Senhora da magia

terça-feira, 14 de fevereiro de 2006

Enfim acabou a primeira fase da Guerra Galáctica!

Nessa semana começa a segunda fase. E... Ganhei! ^^"
E enfim lutei contra o Gui Navarro. =D Essa luta estávamos "adiando" desde o torneio... Não lembro aonde, onde eu o venci por W.O. =(

Terminamos (Dodo, valeu o julgamento! ;XXX) e eu fui sagrado campeão. Indo no MSN depois vejo que ninguém tava dando um votinho de confiança em mim, ehauheua... Todos davam o Gui como vencedor. xD Sim, isso mesmo... Mas infelizmente eu estava descentrado e não pude lutar com todas as minhas forças, assim como imagino tenha sido o mesmo com meu amigo Gui.

E seguindo as chaves, meu próximo adversário é... Tcharaaaaam! Caio Aoshi. Antigo Aiacos, vencedor da última Guerra Galáctica e atualmente detentor do nick Ikki de Fênix. Ele passou o título pro Ikki, uma vez que ele não é mais Aiacos... E agora o Aiacos é... Sou eu! \o/

Enfim, muitos estão apostando nessa luta. Eu espero superar o Caio, que será algo demasiado difícil, mas vamos lá! Em homenagem ao Gui, hoje abro uma excessão e posto uma foto do Shaka, um nick que eu tanto odeio... ¬¬' Mas com o Gui aprendi a odia-lo menos. =XXX

sábado, 11 de fevereiro de 2006

Hoje liguei meu Super NES e... Vi que estava pegando normalmente! xD~~

Mentira... Voltei a jogar. Estranho, huh?

Super Mario All-Stars, tava jogando Super Mario Bros. e Super Mario Bros. 3! [/nostalgia sux] e acreditem... Tava ouvindo Michael Jackson! *Se mata e se enterra*
Com todo o respeito... Mario eu até aguento, mas MJ? =\

Até o Abreu comentou. Abreu é um grande amigo meu que estudou comigo, mas mesmo depois de mudarmos de escola, horário e tal, ele continua meu amigão. =) Alguém que eu prezo pacas! Conheci alguns amigos da facul da minha mãe, enfim... Foi um bom dia. u_u'

o/

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2006

Toda quinta não terei aula... Legal né? ^^

Estamos aprendendo esquemas do AutoCad na escola, portanto não temos PC pra todos da classe então dividimos o pessoal... Uns vão ter aulas nas quartas e os outros não e vice-versa na quinta... E como vou ter aulas na quarta, fico com a quinta livre durante um semestre inteiro. o.o'

Minha mãe quer que eu trabalhe, mas não estou afim ainda. U_U' Estou muito deprimido ainda, mas estou conseguindo esconder isso muito bem, digam-se de passagem. O bom é que eu vou ver Toonami todos os dias e não adianta meu pai falar nada pq eu sou insistente! `_´

Descobri onde uma garota que eu gosto mora... o.o' Graças a prima dela, heuahea... Por isso é bom conhecer pessoas próximas, crianças! =P E vi essa prima dela que eu tava morrendo de saudades! *_* Estudou comigo ano passado no Leopoldo e ela que me apresentou ela. Quem sabe eu faça uma surpresa lá pra ela... x_x'

Enfim... Hoje teremos:

As aventuras do Alain
Capítulo de hoje - Em busca da carteirinha de passe!

Hoje minha mãe acordou-me as 9h... Só que eu acabei cochilando e só fui acordar ás 10h... ¬¬ Já comecei o dia bem, pra variar! Depois subi pra casa da minha avó, deixei meu irmão lá, fui almoçar e quando eu volto pra pegar o ônibus, esqueço minha condução e meu documento.

Lá vai eu descendo num calor escaldante até a minha casa e de lá (com tudo em mãos) até o ponto pra pegar o ônibus. Fui parar lá no Terminal João Dias e de lá peguei o Hospital das Clínicas e fui pra UNIB. Esperei lá durante quase 45 minutos e enfim peguei meu novo bilhete único com a foto terrível e horripilante!

Quando estava voltando fui "assediado"... Primeiro é uma mulher que não parava de olhar pro meu... Sim, aquilo mesmo pervertidos (e não é o bumbum...)! Depois uma mulher que se encostou em mim e uma outra que sempre se enroscava em mim virando várias vezes "sem querer" e passando a mão na minha bundaaaaa... T___T

Pensei que ia ser estuprado naquela hora pelas mulheres, mas se fosse adoraria! *Baba* Aí desci e fui buscar meu irmão na casa da minha avó e de lá voltei pra casa.. ^^

Foi isso. Única parte interessante foi das mulheres,não? Sim, na realidade a única coisa de 'aventura' foram as mulheres... o.o'

terça-feira, 7 de fevereiro de 2006

"Quando eu estou aqui, eu vivo esse momento lindo!"

Tinha uma professora minha (Olga Pacelli, mama mia!) que sempre costumava dizer que a vida é feita de momentos. Nada é pra sempre. O budismo nos ensina que o mundo está em constante mutação, nada é permanente. Nada é pra sempre.

Eu há um tempo atrás achava que tal pensamento era uma tolice, mas passado algum tempo enfim vou começando a entender. Talvez momentos não sejam pra sempre, mas são eternos. Difícil de entender? Vamos lá.

Já no casamento, já vemos que aquela união não será pra sempre. "Até que a morte os separe", não? Enfim... Momentos podem ser coisas que passaram, ou estão se passando agora. Algo que está te fazendo triste, feliz, com raiva, ressentido, enfim. Lembre-se que esse texto também é um desses momentos. Logo depois que ele sair da página principal, já foi.

Tudo na vida vem... E se vai! Mas com as idéias de momento já pensamos que algo rápido, não? Um momento pode levar apenas alguns dias, ou até durar quase uma vida inteira! O que é importante é que eles são eternos, pois ficam pra sempre guardados em nossos corações. Momentos não acabam enquanto vivemos... Só acabam depois que lembramos de um bom tempo depois. Aquele amigo que te deu um abraço quando você precisava, ou aquele presente surpresa que você não esperava ganhar, mas adorou, aquele beijo ardente que sua namorada (o) deu em você que deixou você abismado... Enfim...

Vamos viver os momentos, pessoal. Mas não se esqueça que eles são eternos, eles nunca terminam se você souber guardá-los e preservá-los. To começando faculdade agora e dedico esse texto não só aos grandes amigos que eu fiz no Leopoldo Santana, mas também a todas as pessoas que passaram pela minha vida e fizeram vários momentos na minha vida. Sejam felizes, tristes... Tanto faz. Esse é pra vocês.

"Olhando pra você, e as mesmas emoções sentindo!"

sábado, 4 de fevereiro de 2006

Novo template. Agora com o Seiya de Pégaso!

Yes! Ele mesmo! Hey... Vão abaixando essas armas aí! Sei que entre todos que entram no blog, 99% devem odiar o Seiya, assim como quase 100% do resto do mundo hohoho! Os que gostam do Seiya já são uma raça em extinção. =P

*Coloca colete a prova de balas, capacete de aço, a espada do He-man e a capa do Batman e a marreta do Chapolin Colorado*

Antes que me matem de vez... Existe um motivo para ser Seiya. Primeiro é que eu estou fazendo uma série de templates pro decorrer do ano, alguns deles baseados em Metal Gear Solid. Farei três, sobre o 1, 2 e 3 claro. =P E como quero ter mais paciência pra pensar neles...

O segundo motivo é que eu adoro esse personagem. Alguém com força, que parece uma tripa-seca por fora, mas é um grande guerreiro por dentro. Alguém que não sabe o significado do impossível, e vai além de todas as conseqüências e limites em busca de seus ideais. E além de tudo alguém com muita sorte com as mulheres heuaheuae.. x__x'

É um ídolo pra mim.. Desde a pré-escola, brincavamos e eu sempre era o Seiya. Parecido com ele, engraçado (é... tem coisas que nem o tempo tira... PIORA) e sempre na época diziam que eu falava igual a ele. ^^ Enquanto todos gostavam de Shiryu, Hyoga, Ikki, Shun... Eu ficava na minha com o Seiya, de longe meu personagem favorito de todos os tempos de todos os animes.

Você não gosta do Seiya e acha que eu gostar desse [Coloque aqui o palavrão de sua preferência] me faz perder todo o seu respeito e criar um ódio sobre mim? FODA-SE. Eu gosto dele sim, e não importa o que você disser... Me dê sua força, Pégaso!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2006

Correr... Correr... Correr...

Chega a ser engraçado... Muita gente sempre dizendo que não tem tempo, sendo que todos temos 24 horas. Má notícia, li num lugar que o dia realmente dura 23 horas, 56 minutos e 4,090 segundos. Todos nós temos um dia para organizarmos nossa vida.

Perdemos de oito a dez horas dormindo. Adolescentes por estarem numa fase de crescimento tem mais cansaço e mais necessidade de dormir (vide o inferno que fica nosso corpo nessa idade =\), então podemos nos dar o luxo de dormir 12 horas diárias.

E lá se foi metade do dia dormindo.

Cinco horas e meia estudando. Isso, atualmente nas escolas públicas. Certas escolas particulares alongam isso, chegando até a oito horas, ou até talvez mais. Meia hora pro café, uma hora de almoço, outra de janta. Considerando que nem todos jantam, podemos talvez desconsiderá-la.

Dezenove horas do dia já usadas. Sobram quatro. Considerando que os professores indicam de duas a quatro horas de estudos em casa, perdemos mais o tempo que tínhamos. Se você for bom aluno então... Vamos colocar três horas de estudo. Sobram três horas.

Ficamos uma hora no curso de inglês. Uma hora em algum esporte. As vezes ambos. Sobram nos apenas uma hora... A única hora do dia que teríamos para nós, mas lembramos que temos que ler aquele livro que a professora de literatura sempre manda nós lermos.

É... Depois dizem que a adolescência é fácil né... Adultos, nos vejam. Perdemos muito tempo também... 24 horas diárias é muito pouco pra todos. Nossos jovens crescem mais rápido, envelhecem mais rápido, morrem mais rápido. Torço pra que um dia a palavra jovem não seja algo em extinção, ou que seja algo voltado pra crianças em tenra idade, né?

Arquivos do blog