sexta-feira, 16 de junho de 2006

É bem triste. O momento que estou passando é bem triste. Acontece que ás vezes algo do passado bate a porta, nós tentamos dar uma chance, mas não conseguimos. Exatamente porque tem hora que nós somos o destino e esperamos sentados, dando uma chance para que alguém do outro lado, com a chave nas mãos e a maçaneta em outra faça um esforço de colocar a chave na fechadura e nos libertar. Tentamos explicar sem as palavras corretas que amor não é apenas o esforço de um, mas sim do casal. Seja desde um cara perguntar "Tá afim de sair comigo?" e a moça responder "Não... Não quero sair com você" ou quem sabe um "Claro que sim!".

Porém as vezes a timidez e a incerteza pode dar uma resposta diferente, do tipo "Hoje não dá, quem sabe outro dia?" ou.. "Eu te ligo!" sendo que você sabe que essa pessoa nunca irá te ligar... Sim, a culpa foi toda minha, afinal me apaixonei mas depois de tanto tempo, tantas garotas eu meio que aprendi ser insensível, frio e calculista. Deixar a pessoa saber de meus sentimentos até certo ponto. Ou quem sabe apenas dar-lhe uma suspeita.

Mas eu estava errado...

Escondi ao máximo. Quando resolvi revelar, vim armado. Uma guerra. Pessoas e mais pessoas guerreando, como argumentos armados e prontos contra o oponente. A batalha estava dura, difícil de vencer, até que finalmente encontro a general... E num único golpe me fere, e me joga de lado como uma carcaça que nem sequer merecia morrer. Desde então essa general me deu as costas e jamais a vi, nem sequer em meus sonhos que a encontrava frequentemente.

Então meu exército voltou para seus lares. Retornaram e mudaram, jamais tive o controle deles novamente. Hora atacam quem não quero, hora não atacam. Meu exército como eu, seu comandante, mudou. E de fato mudei. Um dia depois mudei meu cabelo, minha feição, meus olhos, minha vestimenta... Tudo. Tudo para esquecê-la e tentar virar uma página. Resolvi mudar de território e tentar buscar outra conquista. Porém a conquista estava longe. A terra que eu cobiçava além de estar a quilômetros da minha cidade já estava possuída... Logo fiquei triste, pois estava mais sozinho do que nunca. Sempre fui solitário, mas estava começando a mudar e agora... Fico mais solitário do que nunca. E então lembrei da general que me deu as costas.

Lembrei que éramos grandes amigos. Nos dávamos muito bem. Éramos amigos já há tanto tempo, eu já estava apaixonado por ela já fazia algum tempo, mas eu sempre escondia... Logo voltei a ser dominado pela velha angústia de estar perto e ao mesmo tempo longe.

Mudei. Eu mudei. Mesmo que você não tenha o mínimo interesse de saber disso.

Tentei mudar. Tentei te esquecer... Tentei de todas as formas expulsar você da minha mente, mas eu não pude... Tenho o seu telefone do lado, mas nunca tive coragem de ligar. Fui na sua casa, mas depois nunca mais. Tentei abrir seu fotolog, mas nem isso. Tentei de todas as formas tirar você da minha mente, mas não consegui. E continuo não conseguindo... Será que poderia me responder? Mesmo com a mínima esperança de que você veja esse blog e com a remotíssima esperança de que você me responda algum dia, eu gostaria de esperar. E pensar que teremos um final feliz...

domingo, 11 de junho de 2006

"Olá a todos, sou eu, Watsuki." Alguém caiu? Quem me dera ser Nobuhiro Watsuki, meu mangaká favorito e autor de meu segundo mangá favorito (Cavaleiros do Zodíaco sempre estará em meu primeiro lugar, desculpe). Que tal começarmos o nosso papo furado de hoje com um desenho e um grito característico? Algo como...

Sei-chaaaaan!

Tava lendo Tokyo Babylon e X/1999 de novo, e estou adorando (de novo...) pra variar... E olha que eu tenho a coleção completa, e volta e meia leio de novo e volta aquele meu fanatismo sobre o fim do mundo! Uh-well... Vamos falar do desenho. Clique nele para ampliar ou nesse link para abri-lo. Bom, esse desenho fiz no trabalho. Num dos muitos momentos de solidão, quietude de laboratório que eu tinha no início... Agora nem tenho mais, o que tem de alunas querendo aula tá me tirando todo o tempinho de sobra, só deixando o tempo do almoço mesmo! ^^"

Queria mostrar uma das inúmeras cenas do passado sombrio que não pretendo revelar... Mas estou revelando. Idiotice, huh? xD~~ Sim, são duas mulheres, lésbicas, claro. Queria fazer as duas se abraçando numa cama com uma pitada de erotismo! Perceba a mão da de baixo nos seios da de cima e a língua aonde teria o mamilo da outra... Huhu... Tem também a mão da que "não quer" (que terá muita importância na história dos Olhos Negros) que segura suavemente a cintura da outra... Meio "Não posso, mas vou experimentar".

No final das contas depois que terminei e mostrei pra uma das minhas alunas (Paula do Basic I) ela disse-me que ficou estranho, pois parecia uma mãe dando de mamar pra filha! xD~~ De fato, parece mesmo, exceto pela lingua e pelo agarrão no outro seio. Fiz um destaque no rosto da mais importante num espaço vazio que tinha sobrado no papel, e tentei aplicar um efeito que eu achei legalzinho... A única coisa que eu gostei no desenho também. =P

Somente hoje, depois de quase 3 dias seguidos com febre que comecei a melhorar. Entããão... Fiz um outro desenho, que pretendo tanto colorir no Photoshop quanto à mão (descobri uns gizes r0x da minha mãe em casa e preciso usá-los!!) de uma Gipsy (Cigana, classe transcedental de Odalisca no Ragnarok Online) e vou mostrá-los numa oportunidade... Oportúnua. ;D

Qual o seu desejo? Posso torna-lo realidade...

Welcome to the Jungle
Guns N' Roses

Welcome to the jungle
We got fun 'n' games
We got everything you want
Honey we know the names
We are the people that can find
Whatever you may need
If you got the money honey
We got your disease

In the jungle
Welcome to the jungle
Watch it bring you to your knees, knees
I wanna watch you bleed

Welcome to the jungle
We take it day by day
If you want it you're gonna bleed
But it's the price you pay
And you're a very sexy girl
That's very hard to please
You can taste the bright lights
But you won't get them for free
In the jungle
Welcome to the jungle
Feel my, my, my serpentine
I, I wanna hear yous-cream

Welcome to the jungle
It gets worse here everyday
Ya learn to live like an animal
In the jungle where we play
If you got a hunger for what you see
You'll take it eventually
You can have anything you want
But you better not take it from me

In the jungle
Welcome to the jungle
Watch it bring you to your knees, knees
I wanna watch you bleed

And when you're high you never
Ever want to come down, YEAH!

You know where you are?
You're in the jungle baby
You're gonna die
In the jungle
Welcome to the jungle
Watch it bring you to your knees, kness
In the jungle
Welcome to the jungle
Feel my, my, my serpentine
In the jungle
Welcome to the jungle
Watch it bring you to your knees, knees
In the jungle
Welcome to the jungle
Watch it bring you to your
It's gonna bring you down
Ha!

terça-feira, 6 de junho de 2006

Hoje estive refletindo, pensando, pensando... Como sempre eu faço, às vezes odeio essa minha mania de pensar, mas é bom que de tanto pensar vou chegando perto das respostas que eu procuro? Se eu um dia acharei uma forma de espiar os crimes que cometi? Sim, talvez eu ache, quer me ajudar? =)

De tantas reflexões saiu esse texto, espero que gostem:


Tempo, passa tempo

O tempo vai passando não é mesmo? É estranho, quando vamos ver já passou, e momentos atrás parecia algo muito longíquo. Dias atrás estava dando aula e uma aluna minha, de uns 12 anos, virou pra mim e falou: "A minha mãe adora Cavaleiros do Zodíaco, Alain, ela fica dizendo que isso é da época dela e meu irmão quando tenta ler o mangá não entende nada!". Na hora que ela falou isso várias coisas veio na minha cabeça ao mesmo tempo. Nossa mente tem uma velocidade impressionante de processamento de dados não é mesmo?

Pensei novamente eu moleque, contando os miseráveis dez comerciais que passavam antes de começar Cavaleiros do Zodíaco na extinta TV Manchete. Cara, eu era um daqueles moleques! Eu era uma daquelas crianças que cresceu vendo Castelo-Rá-tim-bum, Cavaleiros do Zodíaco e Falcão Azul e bionicão! Hoje em dia vejo gente da minha geração com seus filhos, casados e contando pra eles sobre uma febre chamada "Cavaleiros do Zodíaco" que havia dominado a sua época e até hoje ainda tem força.

O tempo passa! E isso é delicioso, por incrível que pareça. Quero dar aos meus filhos todo o sabor de ver, assistir e ler Cavaleiros do Zodíaco também. Quem não se lembra das sagas como Poseidon e Asgard, onde a tecnologia de ponta tinha sido empregada no anime? Hoje vemos a Saga de Hades lindíssima, bem produzida, literalmente um colírio pros olhos, e na nossa época, aquilo que era lindo! Isso que eu comentei uma vez com uma moça que eu conhecia do Arayashiki há um tempo, que eu tinha dito: "Caramba, e pensar que a gente achava aquilo o máximo da perfeição humana", e hoje vemos que tudo é evolução. Tudo passa!

Pensei em eu maiorzinho, e lembrei de vários colegas da escola, que hoje em dia já estão bem na vida, bem guiados, namorando firme, morando junto (acho que casado ainda não!) e pasmem... Com filhos! Várias amigas minhas que estudaram comigo já tem até uns pimpolhos! NOSSA! Nós brincavamos juntos, zuávamos, demos várias risadas nas aulas sobre sexo (principalmente quando soubemos como as mulheres se masturbam...) e hoje estão por aí, praticando!! Hahahaha!!! Com todo o respeito claro... E o que estou achando disso? Ok, estou ficando velho, de início isso pode parecer ruim, mas criar novas rugas na pele não é algo tão desastroso, ao menos pra mim que sou um clone e envelheço mais rápido. É... Só cheguei a uma conclusão, que...

O tempo passa!

quinta-feira, 1 de junho de 2006

Como prometido, aqui está o novo Pegasus Wings para vocês! *Ninguém... u_u'*

To brincando.

Essa é a foto mais atual minha. Pra ser sincero, ela tem cinco horas que foi tirada! Não é possível ver, mas quem acreditaria que eu resolvi fazer luzes vermelhas? No cabelo, claro... Depois dos acontecimentos da semana passada resolvi virar a página e mudar, nem que seja por fora (pintando o cabelo primeiramente).

Que alias, mudei na sexta-feira... Agora vou deixar crescer, pq cabelerereiro bom no mundo não se acha mais hoje em dia T_T estragaram totalmente a minha franja sécsi. E bola pra frente, huh?

Vou destacar um texto do meu amigo Marcão (Marcos Vinícios, que estudou comigo no Leopoldo nos últimos dois anos) que escreveu no profile dele do orkut:

"não sei..... perdido é o que me define! viver? pra que se só o que me resta é a decepção!eu vim ao mundo pra cumprir o meu destino.. e qual será esse destino então??? hj sem quem sou, e amanhã serei eu mesmo??? não posso dizer nem se estarei vivo como poderei responder! se hj estou vivo é pra sofre isso sim é o que eu sinto!!!!! mais tudo vai passar e quando passar vou me mostrar superior!!!! pra que a vida se não se pode viver????? vou viver a busca da "felicidade" se isso existir..............."

Tá aprendendo comigo né Marcão? EHuAHEuha... O cara é um gênio, sempre foi inteligente, agora então buscando ensino superior o cara vai ter as últimas páginas do livro chamado conhecimento que tanto buscamos. Vocês deviam ver o texto dele sobre a 'civil war' ("Guerra Civil") dos ataques da violência em SP, algumas semanas atrás... Até eu fiquei pasmo. ;D

Sobre o template: Foi uma coisa rápida... E saiu isso. Queria continuar no tema, Ragnarok. Agora sobre meu monk, o meu atual personagem no jogo (ainda tenho meu sábio e sacerdote, claro... `_´) ambientado no Japão feudal, vulgo Amatsu no jogo. A inspiração principal foi o site da Memórias de uma Gueixa japonês, onde lá o filme é conhecido como Sayuri no website http://www.movies.co.jp/sayuri/  Ok... Inspiração o caramba, ficou uma cópia idêntica né? Fazer o que...

Particularmente indicado na configuração 1024 do monitor... Fica mais "clean". =)
Obrigado Manuela, mais uma vez.

Arquivos do blog