segunda-feira, 31 de julho de 2006

Meu sage tá lvl 85! Alias, faltam apenas 14 longos lvls pra enfim o 99.

Quer saber, vou fazer uma promessa aqui. Se eu consegui virar 99 e transcedental, colocarei um template r0x sobre o Scholar, a transclasse de sábios! Falta ainda muito, então tenho tempo pra criar! Alias, hoje vi Ídolos e curti pra caramba o pica-pau ter vencido. Quando a Lígia do Ídolos falou que iria ter a segunda versão... Sei lá, meio que senti algo me chamando pra eu participar disso. xP

Se eu canto?Sim! Adoro videokês. Pelo meu timbre de voz desafinado, são poucas músicas com as quais me dou bem, em suma rock. Desde Raul até Charlie Brown, mas eu curto mesmo cantar Legião Urbana. Huhuh! Numa vez num aniversário do meu priminho João Victor, lá tinha Videokê e... Fiz a festa. Adoro cantar em Videokê e sempre que tem um eu me divirto até dizer chega, mesmo em algumas músicas eu passando longe da palavra "desafinado"... o.o'

Waaaaah... To carente, alguém quer ser meu Subaru? 8D Uma amiga comentou uma vez que invertendo Subaru, escreve certinho Suruba. De facto! Como diz a Wikipédia. Alias, se não for pedir muito, alguma alma caridosa poderia comentar e fazer o ÚNICO comentário do mês de julho? ^^ Agradecido. =D *Tomara que alguém poste*

Bom humor? Só um pouquinho. ^^
Havia sumido aqui de casa esse livro, O doce veneno do escorpião da Bruna Surfistinha contando o que havia acontecido enquanto era prostitura. É estranho ver como as pessoas sofrem, sofrem, até não poder mais, e ainda vêem o lado bom nisso.

Queria aprender esse segredo dela. xD

Até vai lançar filme, chique huh? Quem sabe um dia irão ver meu blog e... Tcharam! Ficarei famoso! Huhhu! Ah não, isso é ruim... xP Vai que fiquem sabendo dos segredinhos que eu posto aqui, aí to ferrado, ehauehuae... Melhor ficar na obscuriedade, afinal existem tantos blogs por aí né?

Bom, amanhã irei bater fotos! Algo que não faço há tempos. Terá de inicio uma coisa curiosa: A simbologia no corpo de Alain! Estranho de início? Quero que as pessoas me conheçam melhor, e como sou melhor com palavras do que falando ou algo do tipo, quero mostrar porque não sou apenas mais um rostinho feioso no meio da multidão, hehehe! ^^ Afinal, tudo em mim tem um motivo, desde o cabelo até as botas que eu uso! Meus fãs, aguardem! MUAHAHA! *Ninguém*

Queria sair com a Nai. T_T O Google tá dando problema aqui direto, é apenas aqui?
Bah, eu e a minha mania de nunca "ficar por ficar"... Isso ainda me matará um dia *morrendo de saudades da Naiara*. Melhor parármos por aqui hoje, nesse semana começam minhas aulas, que saco... ><' Mais um looooooongo semestre de Arquitetura. Na boa, quero só ver a minha cara quando eu depois de um grande drama voltar pros parceiros de turma e dizer: "Errr... Voltei!".

Que Vishnu, Shiva e Brahma me ajudem... x_x'
Ah, hoje minha muther achou CINCO fios longos e brancos no meu cabelo. Isso com 18 anos, já tenho quase mais rugas que ela. Pensa que ser um clone é fácil? Quero ver se chegarei aos quarenta pra contar estória. xP

Confirmadíssimo e tudo pronto! Próximo layout será dedicado ao Seishirou Sakurazuka. Aguardem dia 1º de agosto! `_´

domingo, 30 de julho de 2006

Que eu sempre fui briguento com o meu irmão, isso até hoje. Até mesmo hoje, eu cm 18 anos e ele com 13, ainda temos nossas discussões feias, mas só ficamos nas discussões. Cada dia que passa esse moleque fica mais difícil de manipular...

Bom, se eu ligasse tanto pra isso, daria um jeito de manipula-lo mais ainda. Afinal, foi algo que eu sempre fiz foi fazê-lo meu fantoche, afinal ele sempre foi o filho mais amado e o mais obedecido pelos meus pais, pelo fato de ser caçula. E eu por meios um tanto ilícitos, fazendo o que eu chamo carinhosamente de 'joguinhos mentais' conseguia manipula-lo a fazer o que eu bem entendesse, uma vez que seria atendido com prontidão pelo meu pai e minha mãe.

Desculpe leitor. Sempre fui a ovelha negra, e sei que continuarei sendo. Talvez poucas pessoas, pouquissimas, lembro de ter contado isso apenas para duas pessoas na minha vida, mas vejo que o meu fim se aproxima e preciso compartilhar isso com o meu "universo" antes que ele morra comigo. Talvez você imagine que eu sempre fui uma pessoa honesta e tudo mais, mas eu gosto de me comparar com o Tarot. Nele eu sou duas cartas: A Morte e O enforcado.

Sou o sacríficio, a morte que eu tenho consciência do que estou fazendo, e mesmo assim meu desejo é morrer. Sou inocente, sou o abandono. Sou o suicídio, sou a pessoa que se mata pelos outros, mesmo sabendo que isso me trará tristeza. Mas ao mesmo tempo sou a morte, a que mata os outros, a que flagela, a que faz os outros sofrer, a que traz 'mudança'. Exatamente por eu ter esses dois lados bem antagônicos entre si, isso faz de mim alguém no mínimo despresível. Pois bem, vamos voltar ao assunto.

Pelas nossas mais que constantes brigas, eu e meu irmão quando ainda mais crianças, sempre divemos discussões terríveis, que acabava sempre nele chorando no colo da minha mãe. Afinal, eu não tinha tanta culpa, eu juro. Na maioria das vezes ele queria se fazer de mais esperto do que eu, e me provocava, afinal ele gozava da proteção divina dos meus pais. Eu como era destemperado também não suportava isso e batia nele. Ele sempre foi mimado e odeio isso.

E sempre na maioria das vezes meu pai, o vilão da história, dizia que iria me mandar pro exército, pra que eu sofresse, levantasse cedo, fizesse minha comida, ficasse sozinho e morresse. Estranho ver que meu pai sempre nos criou a base da ameaça e do "coloco comida no seu prato, obedeça-me até a morte, caso contrário...". É uma atidade totalmente de alguém que não sabe ter as rédeas, e tenta mesmo assim pega-las a força.

Por isso mesmo eu criei esse trauma de exército. Um medo terrível, que a cada aniversário que eu fiz desde então, tinha medo, afinal era um ano a menos que chegava até o dia D, o dia em que eu me alistaria no exército, fosse chamado, e sofresse e morresse. Ouvia ainda pra piorar aquelas mil-histórias que todos contam sobre como é o exército, como você se alista e tudo, e... Isso só piorava a minha ansiedade.

No dia eu tive vontade de não acordar. Estava frio e nunca tinha acordado tão cedo, às 4h da manhã. Me arrumei depressa e fui, ainda na neblina que não me deixava ver nem mesmo o que tinha a alguns metros a frente. Peguei o ônibus, que por sinal chegou atrasado e fui até a subprefeitura com um cara que eu conheci no caminho. Ficamos na fila durante um bom tempo, e enfim entramos. Nos organizaram, e lá estavamos em pé mais um longo tempo.

Minhas mãos tremiam, mas eu tentava disfarçar. Tinha gente que fazia piadinha, e eu ainda me perguntava: "Porquê?". Lembrei do meu pai e seus discursos... Como alguém tão mau pode existir e ficar 'impune' na face da Terra? Por fim veio uma moça dizendo que estávamos dispensados... Na hora não acreditei. Meus 18 anos de espera se foram assim, rápidos. Toda a ansiedade de um 'sim' tornou-se um 'não' tão fácil quanto veio. Peguei meu papel de inscrição, até me encontrei com o Fábio, que estudei com ele ano passado, e fomos embora.

Fui pro CNA, e lá já tinham alguns alunos me esperando. Pedi licença pra ir ao banheiro e... Chorei. Chorei de felicidade, porque eu havia esperado muito tempo pra receber aquela dispensa, e agora eu havia renascido. Um novo caminho havia começado na minha vida, sem medo de morrer com meus 18 anos, sem nada do tipo. Antes disso eu queria morrer antes de fazer 18, agora a idéia de morrer está cada vez mais amigável, mas não por causa do exército mais.

Enfim, estou realizado porque foi um trauma que o vilão da minha vida colocou em mim. Pessoas dizem que um dia irei agradecer pelo que ele me fez, mas talvez tenham pais que dê lições de vida, lições de moral, mas meu pai só soube dar lições do medo, que a vida é algo ruim, que viver em si é algo ruim, que todos querem fazer o mal com você e que você está sozinho no mundo. Já tenho 18 anos, e creio que já tenho uma mente um tanto madura pra saber o que é bem e o que é mal. Espero não mudar esse conceito com meu reumatismo, mas infelizmente nunca tive um pai herói. Apenas um pai vilão.
Que saco, odeio esse PC. =P

Deletou meu post, maldição! Vou tentar coloca-lo aqui novamente, ao menos as partes que eu me recordo, isso é, se o meu reumatismo não atacar no meio do caminho. ^.^

Well... Esse mês foi regular, de início. Teve o melhor dia da minha vida, e o pior dia da minha vida. O pior dia da minha vida não quero nem me lembrar, dia 13 de julho de 2006... Eita dia do capeta, quero nunca mais lembrar dessa data idiota. Mais informações vejam o meu post do dia 17 de julho eu acho, que eu quatro dias depois comento como foi esse terrível dia.

E o melhor, claro... Dia 21 de julho! Véspera do meu aniversário! ^^

Por ter tido o melhor e o pior dia, esse mês seria regular, correto? Nem bom, nem ruim. Mas teve outras coisas explêndidas que aconteceram que eu não posso deixar de contar pra fazer a média do mês. A primeira foi o encontro pessoal com a Manu na Anime Friends 2006! Minha irmãzinha que eu amo de paixão, conheci meu cunhadão gente finíssima e ficamos andando no evento sem parar, huehuaea... Mais informações num dos posts abaixo. xP~~ Alias, foi ótimo conhecê-los e algo que eu jamais esperava... Isso mesmo, mesmo depois da cartomante ter dito que isso era algo que iria acontecer, mesmo assim custei a acreditar, afinal Brasília não é ali do lado, tampouco não sabia que a minha mana tinha parentes aqui em SP. o.o'

A segunda coisa, mas também não menos importante, foi a minha dispensa no exército... Sabem como é esperar durante 18 longos anos isso? Esperei a minha vida inteira pra ser dispensado dessa merda, exatamente pelo fato do meu pai ter colocado trauma disso, e quando recebi... Merece um post só pra isso! Confiram nos posts acima desse mesmo dia como foi a dispensa do exército. E mais uma história dos traumas de Alain. =(

quinta-feira, 27 de julho de 2006

Eba! 18!

Putz... Rolaram altas coisas na véspera do aniversário! xD Talvez só me sinta bem de contar agora, mas como o destino brinca conosco, e como nos vemos as vezes como marionetes dos deuses. x_x'

De facto, os deuses ordenaram, e o que disseram irá se concretizar. Ter parado de falar com a Bruna foi mais do que um choque pra mim, e até hoje tem consequências e tenho certeza que continuarei levando isso pelo resto da vida. Afinal além de ter sido uma briga feia, a garota havia mexido muito comigo - muito mais que qualquer moça que havia passado na minha. Até na sexta-feira dia 21. ^^

Havia combinado com a Naiara, filha de uma tarológa gente fínissima chamada Nazaré, de sairmos pra irmos ao cinema. Isso numa sexta-feira, a noite, e apenas nós dois. Teria situação mais propícia e romântica do que essa? =) Vimos Piratas do Caribe II juntos, alias bem juntos... Talvez vocês digam que isso é besteira de moleque apaixonado, mas em quase nenhuma parte do filme desgrudei meu braço do dela, e quando sentimos um nojo medonho numa parte nunca havíamos colado tanto o rosto um no outro... o.o'

E então voltamos, e eu descobri mais sobre essa grande mulher. Que além dela ser lindíssima, ela não é daquelas fúteis. Alguém sentimental, triste, inteligente, alguém de valor, de real valor. =) Lembro-me de uns baderneiros que estavam fazendo zoação atrás de nós (e era tarde da noite xP) quando agarrei a sua mãe e sussurei: "Vamos dar uma agilizada no passo pq eu não gosto desses caras...", ela falou: "Tá" e aceleramos até o terminal... Ela entrelaçou seus dedos no meu e... Simplesmente não soltei mais! Depois demos o braço um ao outro (como fazem os casais de antigamente) e continuamos conversando...

Alias, ela falou bem mais, enquanto eu apenas comentava e ficava cada vez mais extasiado pela sua voz, olhar, e tudo mais. ^^

Fomos até o Jardim Lídia. Na frente tinha a avenida, ela subia, e eu descia. Porém lá eu não gosto de passar de noite no caminho da minha casa, e resolvi pegar outro ônibus lá. Ela ficou comigo esperando pra não me deixar sozinho e depois de um tempinho... Acabou rolando o beijo. Diga-se de passagem, vários. Eu e ela estávamos tremendo depois do primeiro beijo, até ela comentou... Trocamos até mordidinhas, heuaheuaheu!

Naquele momento experimentei tamanha felicidade, e vi a diferença dela para com as outras. Nunca tive muitos casos, mas ela foi diferente. Sonhei com ela a semana inteira, e naquele momento parecia que um sonho havia acabado, e dado lugar a realidade, que era introcável. Ficamos lá enrolando no ponto de propósito enquanto minha mãe tinha um ataque em casa de preocupação. Já havia passado das meia-noite e não queríamos deixar o local, estava muito bom. Ela foi a primeira a me dar os parabéns pelos meus dezoito anos. =)

Diga-se de passagem, meu melhor aniversário. O melhor presente, que dinheiro nenhum pode comprar. Naiara, estou felicíssimo por aquele dia, e quero repeti-lo mais vezes, e sentir novamente meu coração batendo e minhas mãos tremendo. Talvez você me ache um bobo no final das contas, mas depois de tanta tristeza, tanta desilusão e depressão que eu passei, quero transformar esse momento - nosso momento - eterno. Com você estou voltando a ter mais apego à vida. O apego que perdi há mais de dois meses atrás... Por favor, não vá para longe, sim?

Te adoro, e mesmo se isso terminar de modo trágico, quero continuar seu amigo. Você é muito legal e especial. ^^

sexta-feira, 21 de julho de 2006

Caramba, amanhã será meu aniversário. ^_^

Eu nem acredito... Já 18! Uma grande etapa vencida na minha vida. É engraçado, eu lembro quando eu ganhei o jogo The Legend of Zelda: Ocarina of Time e quando eu era moleque via o Link (personagem principal do jogo) começar como uma criança de dez anos, e após tirar a espada Master Sword do pedestal do tempo ele envelhecer sete anos, meio que acordando com 17 anos.

Sempre me imaginava com 17 anos. Como seria o meu Link Adulto. Se seria alto, se seria forte, enfim... Meus ídolos eram Metroid, Zelda e Mario, não pensem coisas estranhas. xP Creio que agora irá iniciar uma nova etapa na minha vida. Fui dispensado do exército, mais um dos meus maiores traumas e uma coisa que me fez perder os cabelos e criar rugas se foi... Só fui lá e me dispensaram. Menos um medo.

Enfim, conheci vários amigos, estou trabalhando, fazendo faculdade, rapaz... Passando sete anos atrás, apenas sete anos, tanta coisa aconteceu que eu nem imaginaria que acontecerei. Fui de moleque sem graça, para abandonado no mundo, depois fã de Michael Jackson, redescobrindo Cavaleiros do Zodíaco e anime e mangá, e hoje um fanático por Ragnarok Online! xD~~

Muitos podem dizer que a minha vida não foi nem um pouco emocionante. Outros talvez discordariam. Eu não sei, não tive outras vidas, então diria que a minha vida foi no mínimo perfeita. Me arrependo de várias coisas, mas me sinto bem por ter feito outras, é bem normal. Creio que se morresse, morreria feliz, afinal minha vida foi demais!

Só falta mesmo uma namorada, coisa firme mesmo. =D

quarta-feira, 19 de julho de 2006

Oe! Depois de falar sobre as coisas ruins que aconteceram antes da Anime Friends, vamos falar agora da Anime Friends!

Fui apenas na sexta e no sábado. Peço humildes desculpas mais uma vez pros que foram nos outros dias e não deu pra encontrar! ^^ Perdão mesmo.

Bom, na quinta paguei minha promessa, e de madrugada, mais ou menos às 1h da manhã recebi uma mensagem SMS via celular da Manu... Well, de noite ás 4h40 da manhã acordei de um sonho, que nem lembro como foi, mas não interessa agora. xP Só sei que vi o celular e lá tinha a mensagem da Manu, que mesmo pensando mil vezes antes (afinal eram QUATRO da manhã!) respondi. O bom que ela respondeu de volta e lá tava eu na cama sem dormir esperando mensagens dela. xD Mas foi bom oras, tava meio sem sono mesmo (nem eu lembrava mais do sonho!).

Enfim, ela pediu pra acordá-la as 8h. E as 8h lá estava Alain no ônibus indo pra estação Santa Cruz (aonde ela estava). Cheguei lá as 9h20 mais ou menos, e o meu cunhado me ligou! HEuhEua... Na hora fiquei super assustado, tinha voz grossa no telefone e já pensei na hora que fosse alguém antipático ou algo do tipo. Puxa, minhas espectativas estavam erradas! ^^

Conheci meu cunhado Rodrigo, super gente finíssima, brincalhão, educado e... Desculpe, tinha sotaque! EuhEUhaue!!! Sotaque meio nordestino de vez em quando baixava nele, hehehe... ^^ A Manu me deixou preocupado o dia inteiro, ela tinha acordado com dores de cabeça e eu tenho que cuidar da minha única irmãzinha nesse mundo que eu adoro! E tinha hora que ela tava meio molenga e eu ficava muito preocupado. ;_; (fiz ela prometer depois nunca mais fazer isso.)

Enfim, virei guia deles, heuaheuae... xD A Manu era baixinha, mais baixinha do que eu imaginava, huehaueh! E ela não é gorda non! `_´ Ela fala baixinho, e como eu sou surdo e falo muito alto e simplesmente NÃO paro de falar, acho que ela se sentiu meio retraída...! Espero que eu tenha apenas achado. ^^ Da próxima vou maneirar mais no falatório e no volume. Andamos, andamos (nunca pela escada rolante, pelos deuses... só de pensar naquela altura me dá arrepios... odeio aquele local. ><) ainda vimos Bokusatsu Tenshi Dokuro-chan! Um anime que mudou meu conceito sobre anime (Pi piri piri pi!!!). o.o' Depois andamos, vimos o concurso cosplay, e por fim voltamos lá pelas 18h... Já estava super esgotado! Tanto pelo dia quanto pelo que aconteceu no anterior (vide posts abaixo)... Se eu gostei de conhecer minha irmãzinha pessoalmente? Sim, adorei. ^^ Lembro-me que eu fui numa cartomante, e perguntei se um dia na minha vida encontraria pessoalmente "uma grande amiga de Brasília", ela disse que sim, e que seria em breve. Isso foi em junho mais ou menos. Na hora pensei ser besteira, porque a última coisa que aconteceria seria a Manu vir para São Paulo. É engraçado que um dos fatores que faz com que eu nunca acredite nisso é que: Se eu souber o que irá acontecer comigo, terei forças para mudar meu destino. Talvez destino esteja lá escrito. Talvez possa ser mudado. Mas eu lutei, porque tudo, absolutamente tudo conspirou contra, coisas de meses atrás estavam caindo como uma avalanche nas costas, mas estava decidido a me encontrar com a Manu, não importa o que acontecesse. E nos encontramos pessoalmente. Talvez seja como a Yuka, de XXX Holic diz: "Se você acredita que o destino já está escrito, essa será a sua verdade. Se você acredita que ele pode ser mudado, então essa será a verdade.". Se eu posso mudar meu destino? Bom, tenho pés no chão, saúde, e acima de tudo... Porque conhecer a Manu pessoalmente era o meu desejo. ^_^ Se bem que não tirei uma foto sequer, tão pouco apertei suas buchechas... ><'
Mas torço pra termos outras chances, não é mesmo Hokuto-chan? =D

No sábado fui também com meu primo dessa vez. Uma hora e meia na fila e entramos... Tava entupido de gente, pelos deuses. Por ser alto, as pessoas se aglomeram nos primeiros andares, enquanto os últimos lá em cima são desérticos. Eu já falei que odeio aquele local? Terminei minha coleção Evangelion, e já comecei Tsubasa e XXX Holic vol 3 que foi lançado lá. Bom, agora só esperar ano que vem, na Anime Dreams e começar minha coleção de Yuyu Hakusho! ^^

Ah, e na volta eu e meu cousin passamos num shopping mall e comemos no Giraffas... Pela primeira vez. =)
E de acordo com o folheto, o Giraffas é uma franquia que começou em Brasília... Os deuses tem mesmo senso de humor, huh? =)

segunda-feira, 17 de julho de 2006

Era um dia ensolarado. Eu era pequeno.

Estávamos na casa da minha avó, era um dia comum. Talvez eu nem tivesse quatro anos, logo nem havíamos mudado para nossa atual casa, e ainda morassemos no casebre que minha avó havia cedido pro meu pai e mãe morarem até acharem algo melhor. Eram recém-casados, e haviam tido seu primeiro filho.

Dizem que o medo é algo que temos que enfrentar, por pior que seja. Sempre ouvimos em todos os lugares que temos que enfrentar de frente o que temos medo, temos que vencê-lo. "A cada dia enfrente pelo menos uma coisa que você tem medo", já dizia o grande clipe do Use filtro solar. De fato, tento isso. Como todos nós, eu tenho medo de várias coisas.

Mas o que fazer com traumas?

Traumas não são esquecidos. Não são enfrentados. E sempre dependendo da idade, aquele mesmo trauma continua perpetuando, como se fosse uma cicatriz que não houvesse maneira alguma de consertá-la. Uma cicatriz feita de rancor, que nem mesmo o tempo faz sumir. Foi o que me aconteceu nesse dia. Não lembro das palavras exatas, mas meu pai me pegou no colo e me colocou numa mureta na casa da minha avó.

Essa mureta tinha uma altura de uns seis ou cinco metros até o chão. E lá ele ficou, me balançando. Eu era muito criança, praticamente um bebê. Experniei, gritei, chorei. Tudo foi válido para que o meu pai me tirasse de lá. O medo de cair e morrer, me despertou pra sempre algo que eu tenho até hoje: acrofobia.

Popularmente conhecida como medo de alturas. Tem gente que gosta de brincar, dizendo que eu sou covarde de ir em parques radicais, não andar em avião, não frequentar prédios altos, e jamais olhar pra baixo. Outros ficam estranhos ao ver que eu (tendo mais de 1m80) tenha um medo doentio por altura. Infelizmente talvez eles não tenha passado pelo que eu passei. Não tenham presenciado meu terror de cair quando meu pai me soltava, os pesadelos que tenho até hoje daquela cena, e a tenra idade que eu tinha.

Não... Talvez jamais entendam. Medos despertados quando somos crianças jamais se perdem. Esse é apenas um dos muitos medos que meu pai me colocou. O que resultou? Em mim. Alguém narcisista, esnobe, covarde, idiota, atrapalhado, e extremamente burro.
Olá a todos, sou eu, Alain.

Semana passada foi uma semana pra esquecer. Primeiramente na segunda-feira choveu e eu faltei ao trabalho. Na terça fui trabalhar e fui pro curso, e consegui convencer meu chefe de que irei viajar nessa semana que se inicia, o que não significa que é verdade. Na quarta fui ao cinema ver X-Men 3, e por fim, na quinta foi o pior dia da minha vida.

13 de julho, essa data, regida no meu inferno astral, é um dia para esquecer. Talvez nem tanto quanto o dia 25 de maio no qual tive a briga com a senhorita Utena, que começou bem e terminou mal. Esse começou mal e terminou pior. Meu pai veio com aquelas típicas ameaças dele, de que eu devo estudar, não me quer ver parado, e tudo mais. Fomos eu e minha mãe até o Senac, e observação simples: estavamos com uma greve de ônibus infernal...

Sim, fomos de van e chegando lá depois de esperar uma hora inteira, recebemos a informação de que o Senac não tinha aberto inscrições de transferencia no meu caso, primeiro semestre de Design Gráfico, apenas pro quarto em diante. No momento que eu ouvi isso tomei minha decisão e eu e minha mãe fomos direto pra Unib, destrancar minha matrícula. Nunca briguei tanto com minha mãe quanto nesse dia. Discutimos todo o caminho, andamos muito, muito, muito...

Fomos do SP Market até o Largo 13 a pé. É mais ou menos uns 5 ou 10 quilômetros em pleno meio dia. Pegamos outra van até a Vereador José Diniz, e chegamos na Unib mais do que cansados. Destranquei, pagamos a taxa de entrada, e minha mãe chorou desesperadamente e tentei confortá-la, dizendo que tudo havia acabado. Voltamos ao ponto de ônibus e meu pai, o vilã da história, ligou no celular e falou dois montes pra ela, uma vez que eu não queria fazer arquitetura e eu entrei novamente forçado. Perdendo mais tempo na minha vida...

Desci na estação Largo 13 mesmo e fui até em casa, onde paguei minha promessa (havia jurado a mim mesmo que se a Manu me ligasse eu cortaria minha barba, paguei com um dia de atraso xP) e fui ao CNA, atrasadíssimo, pensando que ensaiaríamos uma apresentação final. Quando cheguei lá, as aulas foram canceladas devido ao maldito PCC. Voltei pra casa, dessa vez a pé, me lamentando no caminho e sem esperanças de ir no outro dia à Friends.

Senti vontade de chorar. Senti vontade de me jogar em algum carro que passasse. Senti vontade de começar a gritar feito um louco. Senti vontade de ter um açoite, ou quem sabe uma arma e me fazer sofrer... Ou me matar.

O fato é que me tornei há dois meses uma pessoa sem vontade de viver. Sem ânimo para sorrir ou chorar. Talvez as pessoas digam que eu não mudei nada, mas eu digo que o verdadeiro sorriso vem do coração, sua felicidade irradia-se pelo corpo atingindo nossa boca, a nós abrimos um sorriso daqueles de filme, onde nossos olhos brilham, as rugas aparecem e ficamos com cara de bobos.

Foi depois que aquilo aconteceu. A tragédia sem precedentes.

Voltei andando, como uma punição pro meu corpo. Como se o caminho do CNA até a minha casa (que dá mais ou menos uma hora andando) fosse a minha via-crúcis e eu estivesse ali pagando meus pecados. O pecado de ter feito aquilo com a Bruna, de ter deixado de ouvir algumas pessoas, de ter ouvido outras. De ter mentido, de ter sido bonzinho demais, mas também ter sido frio como um assassino. Cada dia que passa vejo que me conheço menos e menos... E isso vai piorando.

Sinto-me perdido, como se eu tentasse chorar, me matar, sofrer, mas não conseguisse... Como se esse corpo fosse lentamente dominado por um outro eu... Isso é normal ou é a idade? Não sei. Sinceramente não sei. Talvez eu visse as crianças brincando na rua, algumas discutindo no caminho, e lembrasse da minha infância...

segunda-feira, 3 de julho de 2006

Pelos deuses! Já estamos em julho.

Férias?

Errr... Ainda não. Pra ser sincero estou muito depressivo e sem dinheiro e sem namorada e sem ninguém pra amar e ser amado, heuhaeua... xD~~ A Bruna Utena provavelmente leu meu scrap mas fez questão de deletar... Fazer o quê? =P

Conversei com a Manu e ela deixou algumas coisas bem claras pra mim sobre a psicologia feminina. Sim! Quem está acompanhando a jornada entenda: foi um grande, imenso, gigantesco erro eu ter dito que estava apaixonado por ela! Perguntei pra Manu se falar pra uma garota que eu goste dela interfira e volte-se como um grande ódio, ela me disse que isso acontece sim! Aí eu concluí várias ligações dessa psicologia humana...

Será que ela gosta de mim? Afinal, talvez ela negue tanto esse sentimento, tenha tanta timidez (algo que não falta nela, infelizmente) talvez de inclusive me encarar que continue negando, negando, negando. Bom, ela foi na casa de não sei quem e eu fiquei bastante preocupado. Ela não me respondeu mas fiquei sabendo =P

Pois sei lá, acho que já desencanei. =)

Não me apaixonei por outra ainda, mas que tal dar um ponto final né? ^^ Várias, várias, várias pessoas estão dizendo pra não ir atrás dela. Afinal, o que ela falou pra mim não tem perdão, pelo menos na visão dessas pessoas. Talvez seja essa minha velha mania de querer ser amigo de todos e tal, afinal ela foi uma grande amiga minha, e seis meses de convivência não são apenas seis dias, certo? ;D

Ai, ai... Tomara que não dê recaída. Realmente estou precisando de uma namorada. x_x' Mas estou depressivo ainda, maldição! Mas eu consigo disfarçar bem. Não ligue, ninguém repara, eu juro. ^^v Ouvi falar que tudo irá mudar no meu aniversário... Hoje já é dia 3... Faltam 19 dias! Huhuhu! \o/ Enfim 18! WEEEEEEEE!!! Vou poder ir a festas de cabites "legalmente", ir pro motel sem ver o tio pensando em eu ser menor de idade, tirar carteira de motorista e morrer mais cedo e o mais importante é claro... Sei lá! xD~~ Se ainda existisse a União Soviética já teria idade pra ir morar lá na minha amada mãe-Rússia. T____T

Post de hoje dedicado aos meus grandes amigos que me deram uma força pra... Sei lá, enxergar melhor as coisas? xD~~ Essa é pra vocês: Fox (falei que ia dedicar a ti seu corno! =X), Hiru (`_´), Argosx, Manu (minha mana maneira miguxa miga meiga maravilhosa que eu ainda darei uma avalanche de beijos!!! WAHHHHH!!!) e Naiara (que fez um comentário meigo no meu fotolog =D) e por fim, e não menos importante... Hum... Acho que esqueci da Shuri... Hum... É, infelizmente esqueci dela. ='(

=XXXXXXXXXXXXXXXXXX

E valeu Marcos pelo testimonal no Orkut! ^^v

Arquivos do blog