quinta-feira, 27 de julho de 2006

Eba! 18!

Putz... Rolaram altas coisas na véspera do aniversário! xD Talvez só me sinta bem de contar agora, mas como o destino brinca conosco, e como nos vemos as vezes como marionetes dos deuses. x_x'

De facto, os deuses ordenaram, e o que disseram irá se concretizar. Ter parado de falar com a Bruna foi mais do que um choque pra mim, e até hoje tem consequências e tenho certeza que continuarei levando isso pelo resto da vida. Afinal além de ter sido uma briga feia, a garota havia mexido muito comigo - muito mais que qualquer moça que havia passado na minha. Até na sexta-feira dia 21. ^^

Havia combinado com a Naiara, filha de uma tarológa gente fínissima chamada Nazaré, de sairmos pra irmos ao cinema. Isso numa sexta-feira, a noite, e apenas nós dois. Teria situação mais propícia e romântica do que essa? =) Vimos Piratas do Caribe II juntos, alias bem juntos... Talvez vocês digam que isso é besteira de moleque apaixonado, mas em quase nenhuma parte do filme desgrudei meu braço do dela, e quando sentimos um nojo medonho numa parte nunca havíamos colado tanto o rosto um no outro... o.o'

E então voltamos, e eu descobri mais sobre essa grande mulher. Que além dela ser lindíssima, ela não é daquelas fúteis. Alguém sentimental, triste, inteligente, alguém de valor, de real valor. =) Lembro-me de uns baderneiros que estavam fazendo zoação atrás de nós (e era tarde da noite xP) quando agarrei a sua mãe e sussurei: "Vamos dar uma agilizada no passo pq eu não gosto desses caras...", ela falou: "Tá" e aceleramos até o terminal... Ela entrelaçou seus dedos no meu e... Simplesmente não soltei mais! Depois demos o braço um ao outro (como fazem os casais de antigamente) e continuamos conversando...

Alias, ela falou bem mais, enquanto eu apenas comentava e ficava cada vez mais extasiado pela sua voz, olhar, e tudo mais. ^^

Fomos até o Jardim Lídia. Na frente tinha a avenida, ela subia, e eu descia. Porém lá eu não gosto de passar de noite no caminho da minha casa, e resolvi pegar outro ônibus lá. Ela ficou comigo esperando pra não me deixar sozinho e depois de um tempinho... Acabou rolando o beijo. Diga-se de passagem, vários. Eu e ela estávamos tremendo depois do primeiro beijo, até ela comentou... Trocamos até mordidinhas, heuaheuaheu!

Naquele momento experimentei tamanha felicidade, e vi a diferença dela para com as outras. Nunca tive muitos casos, mas ela foi diferente. Sonhei com ela a semana inteira, e naquele momento parecia que um sonho havia acabado, e dado lugar a realidade, que era introcável. Ficamos lá enrolando no ponto de propósito enquanto minha mãe tinha um ataque em casa de preocupação. Já havia passado das meia-noite e não queríamos deixar o local, estava muito bom. Ela foi a primeira a me dar os parabéns pelos meus dezoito anos. =)

Diga-se de passagem, meu melhor aniversário. O melhor presente, que dinheiro nenhum pode comprar. Naiara, estou felicíssimo por aquele dia, e quero repeti-lo mais vezes, e sentir novamente meu coração batendo e minhas mãos tremendo. Talvez você me ache um bobo no final das contas, mas depois de tanta tristeza, tanta desilusão e depressão que eu passei, quero transformar esse momento - nosso momento - eterno. Com você estou voltando a ter mais apego à vida. O apego que perdi há mais de dois meses atrás... Por favor, não vá para longe, sim?

Te adoro, e mesmo se isso terminar de modo trágico, quero continuar seu amigo. Você é muito legal e especial. ^^

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog