segunda-feira, 28 de maio de 2007

Olha só! Que beleza!

Sim, hoje tá até que um dia bom. Alias, o fim de semana foi muito bom. Sábado teve curso de pintura e deu pra pintar, claro. E ficou ótimo, diga-se de passagem. Minha pintura parece que realmente vai sair! Mas logo as aulas de pintura acabarão. T___T' E eu ficarei tristinho. Mas acordarei tarde aos sábados, mas ficarei tristinho. E no mesmo dia ainda fomos eu e o Ivo pro... CEMITÉRIO!

Sim! Que lugar bom pra ir com os amigos heim! HEuahea... Cemitério. o_O' Fomos ao cemitério do Araçá, pra quem não sabe fica exatamente na frente do Hospital das Clínicas e do InCor e os hospitais bons lá do centro. Fica perto do estádio do Pacaembu e de Higienópolis, logo... Esse cemitério é dos bons, e as lápides são simplesmente perfeitosas. To falando sério, mas não gosto muito pq as pessoas não apenas colocadas nos jazigos, logo não são enterradas (pra mim enterradas significa ficar soterrado por terra) e por isso eu não gosto muito (sempre penso que algum morto vai sair de lá e me pegar...).

Na saída encontrei uma família indo embora, acho que provavelmente estavam saindo do velório de algum membro de suas famílias. Sabe, isso que eu acho interessante na morte. Na outra vez que fui, não encontrei nenhuma família igual aquela, mas eu via em uns rostos uma cara um tanto abatida, mas eles continuavam olhando pra frente.

Exato, como se mesmo depois de terem sofrido bastante ainda mantessem a cabeça erguida, e prontos para continuar suas vidas e superar aquilo. Aí lembrei de alguns poucos (isso eu tenho muito a agradecer a Deus por não ter-me feito visto mais funerais), de avós distantes e até do meu avô materno que faz muita falta, sempre na saída saímos relativamente felizes, afinal um caminho da vida havia sido superado, agora aquela pessoa estaria com certeza em um lugar melhor.

Acho que isso é excelente, dá pra ver que mesmo a morte existindo e sendo impossível de se evitar as pessoas conseguem de alguma forma supera-los e manter-se erguidos, até que a sua chame apague e eles também morram. Sem contar que eu sempre gostei de cemitérios, é um lugar que parece sempre ser fora desse mundo, com uma paz que não tem como se explicar. É o destino final nosso, e isso apenas afirma a minha veia gótica. É... Mas não encaro a morte como tristeza, fico feliz com ela até.

Podem me chamar de louco, mas sempre vi a morte como uma libertação. Estamos presos a vivermos sofrendo, fazendo coisas ruins, ouvindo coisas e também fazendo o mal aos outros que... Exceto pelo fato de várias lápides serem bem resolvidas, enquanto outras serem mais apenas simbólicas (pra não falar a diferença entre ricos e pobres até na hora da morte) todos eles estavam debaixo da terra, no mesmo lugar, e esse caráter de libertação e igualdade que a morte nos dá é algo que em nenhuma outra esfera de vida podemos encontrar, apenas na morte mesmo que é o fim...

Parando de publicar meus pensamentos e voltando ao que interessa...

Ae o Ivo foi tirar umas fotos e saíram bacanas! To vendo que sairá um bom Audiovisual, claro né... Eu ajudei nas fotos! Hehehe... Hoje também foi um dia tranquilo e eu joguei enfim na Guerra do Emperium, no Ragnarok! MUITO FODA! Acreditem, nunca tinha jogado nela. o_o~~ Conquistamos dois castelos mas não conseguimos segura-los por um bom tempo. Matei um paladino tb, hohoho! Meu sabio não é pra qualquer um não, hehehe...

Ah, e hoje meu pai teve uma conversa comigo. Sim, sem as típicas proibições infantis, como se ele me tratasse como criança e pensasse que eu não sei conversar. Odeio isso. ><' Mas até que conversou comigo e chegamos a alguns acordos sobre eu procurar mais um emprego. Ok, ok... Não me enxem. ¬¬

Em suma, só. A foto ilustra o momento do post debaixo. =D

"Não está totalmente diferente, mas também não está exatamente igual."

sexta-feira, 25 de maio de 2007

Sim já se passou um ano. Hoje completou um ano. Um longo ano.

Um ano sem mais ingenuidade. Um ano de sofrimento quase que diário. Um ano em que eu preferi à morte, mas que teve suas vantagens, porque conheci a morte de perto e aprendi a não temê-la. Um ano que cultivei um desejo, e ainda cultivo, o qual eu o fechei no fundo do meu coração e não o tirarei, pois é esse desejo que me faz viver, porque é a única coisa que me faria feliz.

Ano de uma história que começou bem, terminou de uma forma terrível, que eu nem mesmo imaginara que chegaria a tal precedente. No dia 25 do ano passado fui ao cabeleireiro e pedi apenas para que aparassem as pontas e tingissem de vermelho. O vermelho, a cor da conspiração, a cor de algo que eu queria ver que saísse do meu corpo, e que logo depois visse meu próprio reflexo, morto, caído no chão. Não teria então coragem de me ver novamente no espelho, pois apenas um único dia foi o bastante para que tudo mudasse. Pra pior.

Então me engrenei numa espécie de cruzada, em que procurava apenas o perdão, de apenas uma garota, que há muito tempo me fez triste. A busca foi maçante, anos de caminhada por entre pedregulhos e lutando contra mim mesmo. No caminho, conheci a morte de vários ângulos, mas não desistia, meu objetivo seria chegar a Jerusalém, e lá encontrar a princesa que me salvaria.

Sim, porque não ia até lá querendo salvar alguém, mas sim procurando salvação. Quando cheguei perto dela e me ajoelhei, ela apenas balançou a cabeça ao longe e num olhar rancoroso mandou-me embora. Eu estava vestindo preto, e desde então nunca mais deixei de vestir, afinal era essa cor que significava meu luto, minha tristeza. Afinal o antigo havia morrido e o novo deu lugar a ele.

Mesmo depois de ter ido algumas vezes e tentado inutilmente enviado cartas à princesa, nada consegui. Quando voltei então a Jerusalém, atrás de sua benção, fui recebido pela rainha, que me aconselhou a voltar à minha terra e esperar. Dias depois recebi uma carta, em que a princesa me humilhava, diretamente, mais do que todas as negações que ela havia me mandado nesse meio tempo.

Sofri. Sofri como nenhuma pessoa merecia sofrer.

Tinha apetite pela minha morte, mas descobri depois de várias vezes incapaz de me suicidar, vi que esse não era o meu desejo. O suicídio é um ponto final, e o que eu queria eram reticências. Suicídio apenas cessará minha tristeza, o que eu realmente queria além de cessar a minha tristeza era ter um único momento de felicidade antes da morte. E num sonho essa resposta veio. O que eu mais desejava não era morrer, mas sim ser morto por ela.

A felicidade que tomou conta de mim quando tive o sonho, que mais parece um pesadelo, foi incrível. Porém já era tarde. Para a princesa, eu era apenas um plebeu. Um pobre ser sem-nome que sequer merecia olhar a ela, tampouco pensar nela. Sua carta em que me desprezava, eu carrego até hoje, e é essa carta que me faz criar uma espécie de ódio, que me ajuda a esquecê-la.

Mas não posso nunca negar tudo o que passamos e as emoções boas. Ainda sonho em revê-la em apenas um dia, em que aproveitaríamos uma grande história de amor que sequer saiu da especulação, apenas um único dia seria o bastante. Mas isso eu sonhei, não deixa apenas de ser um sonho...

Hoje, o lacre acabou, mas a memória ainda perpetua. O cabelo não está mais vermelho, porém o desejo ainda continua, até que eu encontre alguém a altura para o qual eu possa dedicar meu maior desejo.

E apenas um ano passou uma história que poderia continuar por uma vida inteira...

"Não há felicidade maior no mundo do que ser morto por quem mais ama."

quinta-feira, 24 de maio de 2007

Olha o frio! *_*~~ Enfim esse mágico, esplendoroso frio! \o/

Vamos soltar fogos, pq minha esperança de que este ano fosse o mais quente dos últimos anos pelo menos foi detonada e jogada por água abaixo. Pra ser sincero, eu até imaginava que seria assim, ora bolas: quando faz MUITO calor, pode ter certeza que fará muito frio também! Lembro do ano passado, que nessa época o pessoal já tava começando a deixar as blusinhas de alcinhas de lado e colocando camisetas, enquanto agora estamos já em época de jaquetas edredons e similares.

Sim, pq eu adoro o frio e somente consigo imaginar existência/bom humor/qualidade de vida quando isso equivale a frio! Mas eu gosto do frio é exatamente pra isso: sentir frio! Estou agora aqui digitando vestindo uma camiseta e um shorts e com a janela aberta! meus dedos eu nem sinto mais, mas acreditem, é isso que eu gosto! É essa tremedeira, sem esse calor maldito que me castiga e esse sol que me queima até dizer chega.

No frio não temos calor, não suamos, não ficamos cansados, enfim! Engraçado que a minha mãe quando chegava em casa e tava super calor ela reclamava pacas, dizendo que tava cansada pra arrumar a casa e tals, e agora ela tá chegando de super bom humor e tudo mais. Por isso eu digo que o inverno deveria ser o ano inteiro! Garotas vestindo roupas e acessórios de inverno, sobretudos, coturnos (sim, mulher de coturno você vai me desculpar, mas é uma das minhas maiores quedas. Sim, tenho uma queda terrível por mulheres de coturno, elas ficam mais altas, sexies, com a postura melhorada e tudo mais. *_*) e sem aquela vulgaridade do verão. É bem algo provocativo, mas sadio. Sem aqueles decotes e os panos de chão do verão que não são exóticos, e sim eróticos. u_U~~

Ok, gostar até eu gosto, mas o inverno é pra mim uma época melhor pra tudo do que o verão. Exceto talvez tomar banho, mas eu tomo ainda na temperatura verão que eu fico tremendo de felicidade debaixo do chuveiro. Não sei, mas o inverno me faz sentir vivo, enquanto 100% da população acha o contrário. O inverno é mágico, esse vento, esse romantismo, Campos do Jordão... Sinto muito meus caros, mas como eu já disse só sei o que é viver no inverno.

Até pq 90% do meu guardaroupa é roupa de inverno. Ok, 70%... Mesmo assim não reclamo, aproveito cada dia do inverno pq morar num país tropical como esse ninguém merece. A foto não sei se tem copyright, mas já até esqueci de onde peguei, mas é de São Joaquim, que alias... NEVOU! Oh céus, quando verei isso em minha terra? T___T'

E amanhã fará um ano. ^^'

E digo que foi o ano que mais demorou a passar. Acho que amanhã talvez eu consiga comemorar vida nova, pq amanhã é mesmo que começa um novo ano pra mim. Dia 25 de maio, nossa... =\ Eu fico besta como o tempo passa lento quando sofremos. Enfim... Feliz ano novo pra mim. ^^

Ahahaha... acho que não precisam entender não. =) Quem sabe, entende. Quem não sabe, não entende, embora pouquissimos entederão. Amanhã fará um ano que eu perdi diversas coisas da minha vida, entre elas a pureza e a ingenuidade. hoje em dia eu meio que cultivo uma falsa ingenuidade perante as pessoas, exatamente graças a uma pessoa que pisou em mim, mas não pisou igual a todos pisam. Ela pisou em mim a ponto de praticamente me matar, e já tinha escolhido o caminho da morte pra mim inclusive, e sei que duvido que estaria vivo até hoje para escrever isso.

Mas de alguma forma o ódio e a tristeza permaneceram. E não tem nada a ver com meu pai, não dessa vez. Aprendi a ser mais racional, embora o preço que eu tenha pago para isso não foi pouco.

Porém, mesmo depois de um ano, tanto rancor, ódio, tristeza e frustração colocados aqui, eu ainda me sinto ligado à ela... Sim, de alguma forma, ainda estou ligado à ela...

Não sei se postarei amanhã, mas se não der, aqui fica o meu depoimento. ^^

terça-feira, 22 de maio de 2007

Olá caros senhores! Primeiramente boa noite =D

Bom, hoje vou começar com uma fotinha bastante interessante. Um burro! Sim, isso mesmo. Se tiver copyright espero que não tenha mas se tiver já peço desculpas. Mas saindo o papo de direito e indo para um papo direito, literalmente, vamos falar hoje de algo que move nossa pobre nação brasileira.

Primeiramente que eu NÃO sou nem um pouco patriota e tenho orgulho disso. Não sou beberrão, não curto futebol e tampouco gosto de samba. Aliás, samba é um dos muitos ruídos que eu gostaria de eliminar do mundo, juntamente com funk, algumas new age e outras drogas que viciam as pessoas na sua insignificância. Não creio que pessoas sem noção me critiquem pq mesmo eu morando "num país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza" dizendo que não sou patriota. Sei que minha cidade e meus país são lindos, mas pessoas mandarem você vestir o verde-e-amarelo para que você sinta orgulho de morar aqui, só gostaria de saber orgulho do quê. Pq todos os dias eu me deparo com coisas horríveis como crianças pedindo esmola no semáforo para sustentar seus pais alcoolátras, vejo gente tentando trabalhar e não conseguindo, e o pior de tudo, gente tentando trabalhar e não conseguindo.

Sempre fui contra o trabalho. Não é pelo fato de eu ser um completo vagabundo ou algo do tipo. O fato de eu ser uma simples mercadoria jamais me agradou, quero trabalhar pelo meu país e produzir pra ele e pra todos, talvez por isso eu sempre tenha esse ideário comunista e a vontade de morar na União Soviética. Sim, pq eu iria lá sem a menor dúvida e moraria lá e morreria lá servindo aos soviéticos com certeza! Mesmo com todos os erros, me sentiria como uma parte da sociedade, e não algo usado na grande selva chamada "mercado de trabalho".

Sim, pq vejo pessoas inteligentíssimas, que mesmo sendo inteligentes não são espertas. Tenho um amigo inteligentíssimo que já está com seus vinte anos igual a mim, e ele prefere mil vezes apenas continuar em seu emprego do que voltar a estudar, fazer uma faculdade, enfim... Tem um grande potencial, mas não tem outro meio de aplica-lo em algo mais útil do que trabalho. E você me pergunta: tem algo mais útil que trabalho, e digo que tem: estudo.

Afinal, vejo um presidente sem sequer um nível superior no governo que se preocupa em dar EMPREGO pro povo, enquanto poucos tem direito a uma faculdade. Veja a atenção que ele dá à criação de empregos e a atenção que ele dá a programas como o ProUNI. Me desculpem, mas se vocês preferem ser idiotas que apenas sabem trabalhar e pensam que sabem alguma coisa, sinto muito. Posso até ser jovem de corpo, mas minha alma já há tempos está na terceira idade e sei de muita coisa.

Simplesmente pq as elites somente se preocupam em incentivar cada vez mais o emprego, enquanto os que apenas crêem e vêem futuro no trabalho continuam apenas a ver isso, tornando-se apenas meros executores, sem voz ativa na sociedade. Talvez até falem nessa democracia de araque em que vivemos, mas o importante não é chegar, criar um blog, e falar muita besteira. O importante acima de tudo é saber pensar.

Existe uma teoria para que nós, judeus, sejamos superiores aos seres normais. Um deles é exatamente esse: sempre fomos forçados a sermos inteligentes, não ricos. E isso tenha passado pros genes de grandes dos nossos gênios (Einstein, Freud entre outros), pq ser inteligente é mais importante do que ser rico, e digo que estudar é muito mais importante do que trabalhar e ainda reafirmo minha setença.

Minha revolta não é pelo fato de eu estar virando uma cabeça pensante graças ao contato com obras e leitura que eu faço, mas sim por tantas e tantas pessoas que teriam seu potencial elevado graças apenas a aulas e uma chance de deixar de trabalhar e estudar que simplesmente tornar-se-iam de alguma forma tão elevados que elevariam a sociedade em si. Mas não, o governo só pensa em dar emprego, dar emprego e dar emprego. E nem isso sabe fazer bem. Faltam cabeças pensantes meus caros. É isso que falta nesse país.

domingo, 20 de maio de 2007

Uma vez, há muito tempo atrás, um garoto nasceu. Ele viveu uma vida relativamente pobre, dividia sua comida com mais duas irmãs. Era o segundo filho de um descendente de italianos, e havia se mudado para a capital, para que seu pai conseguisse um emprego de metalúrgico.

Sua irmã mais velha havia morrido quando era ainda pequeno. Atropelada por um carro desgovernado da sua própria professora. Não sei se isso causou algum tipo de trauma no pai dele, que tinha que conviver com sua mulher, sempre doente, de cama todos os dias. Porém o filho não desistia, e continuava por manter seu apoio à sua mãe, uma vez que seu pai abusava dele, desrespeitando-o, impedindo de aproveitar sua infância, dando-lhe desgosto de viver numa família daquela.

Um dia, enquanto ele tinha um dos poucos momentos de diversão, seu pai chegou e puxou-lhe seu brinquedo, uma pipa, e a rasgou na sua frente. E lhe disse: "Agora você vai virar homem e trabalhar!". No dia seguinte o garoto foi procurar um emprego. Mesmo não tendo sustentação psicológica para tal, ele tentou.

Seu único refúgio daquele mundo de desgraças era sua mãe. Um dia, enquanto ele pedia a normal benção para ela e deixava o recinto para trabalhar, mal ele sabia o que aconteceria. Enquanto trabalhava, recebeu uma ligação: Sua mãe havia falecido. Teve que levar o pobre corpo de sua mãe para o enterro e foi proibido pelo seu pai de chorar no enterro dela.

O garoto cresceu, ele sempre foi mulherengo. Talvez porque ao ver que sua família não tinha o estereótipo do qual ele via nos filmes, telenovelas ou coisas do tipo ele cresceu com um trauma. Sempre namorava várias menininhas do colégio, como uma forma de tentar arranjar alguém com quem constituísse uma família. Conheceu o cigarro. Conheceu a bebida. Os quais até os dias de hoje ele não solta.

Porém conheceu uma mulher também, com a qual ele decidiu se casar. Dois anos após isso, ele teve seu primeiro de dois filhos: O irmão das sombras. O garoto cresceu e pediu um irmãozinho, o irmão da luz. Porém, o das sombras nunca teve chance de ter uma infância sadia, seu pai o proibia de brincar com os amiguinhos, e quando fazia uma traquinagem, normal das crianças, era duramente repreendido. Várias lágrimas foram derrubadas por ele, enquanto ele tentava ao menos brincar um pouco e ser uma criança. Preso num quarto sabia apenas então comer e jogar videogame, e logo se tornou obeso.

O pequeno irmão das sombras, e obeso, sempre demonstrara desde o início ser alguém sem rumo algum na vida. Seu pai sempre lhe mandava estudar, mas nunca lhe dava uma justificativa. Sua mãe era seu único conforto, porém mesmo ela adorava vê-lo sofrer quando o pobre garoto se dava mal, dizendo sempre que ele merecia isso.

Todo esse trauma e desgosto foi se acumulando em seu coração ano por ano. Sentia-se de alguma forma triste em casa, e mesmo diante das adversidades era sua mãe seu refúgio, o seu porto seguro. Mesmo assim, logo desde cedo foi acostumado a lidar com a falta de dinheiro, por seu pai gastar seu dinheiro sem limites, falta de carinho, por sua mãe dar sempre mais atenção ao irmão mais novo, e falta de opinião, por ser sempre reprimido por seus pais quando falava algo.

Tinha uma figura ótima de mãe exemplar, mas ninguém conhecia seu pai, nem mesmo ele mesmo. Talvez aquele homem, que chegava todo santo dia estressado, gritando, com bafo de cachaça que batia em sua própria mãe, e que ainda tentasse passar uma idéia de paternidade, mas preferia nunca falar disso e guardar tudo isso no fundo do seu coração, fechando isso com uma chave, onde tais detalhes ele jamais revelaria.

O jovem cresceu, e mesmo depois de tantos amores não-correspondidos conheceu um único que afundou com a sua vida. Parecia ser uma boa garota, prima de sua melhor amiga no colégio, e no início foi assim. Porém sua pressa, e a sua imaturidade fizeram com que os dois engajassem uma briga que perpetua até os dias de hoje, e pelo o qual ele se culpa dia após dia.

Porém, ele começou a desafiar seu pai, do qual em uma das inúmeras brigas quase o ameaçou de morte e se não fosse por impedi-lo, ele teria violentado duramente. Mas ele não apenas o desafiava por desafiar, mas sim pelo fato de que alguém deveria por algo em sua cabeça. Logo a pureza foi desfeita. Dizem que isso acabou pela garota que o maltratou e o jogou no fundo no poço. Conseguiu jogar toda a família contra o pai, até que um dia numa atitude desesperadora o pai chorou como uma criança. Ele havia visto a criança que o próprio pai havia selado em seu coração, há muito tempo atrás.

E viu que ele tinha a chance de por algo na cabeça de seu progenitor. Afinal, ele era apenas isso. O homem que sustentava a casa, mas nunca soube dar amor. Seu amor era o dinheiro, que ele jogava aos seus subordinados como se fôssemos porcos em um chiqueiro à espera de pão.

Ganhou o nome irmão das sombras, exatamente por desprezar seu progenitor, enquanto o puro, o irmão da luz, o bajulava e era bajulado. Decidiu então deixar isso de lado, seu confronto com sua pseudo-figura paternal era pessoal.

Os dias passam, chegamos aos dias de hoje e mais um fim de semana passa. Novamente sem sequer virar um olho para encontrar com seu pai. Ele caiu no fundo do poço e agora sabe: se quiser sair, a pessoa deve querer. Ele conseguiu sair do poço, embora de alguma forma estivesse ainda ligado a ele. Ele hoje entende que mesmo depois da garota ter quase terminado com a sua vida, é ele que deve subir a montanha, e não os outros por ele. Por isso mesmo ele resolve dar uma lição em sua quase figura paternal, que trata os filhos de forma diferente não vê que o erro está nele por nos sempre tratar diferente, por nunca mudar e continuar sendo a mesma pessoa ignorante e medonha, mal educada e sem noção das coisas da vida. Sem medo de magoar, enquanto seu coração permanece mergulhado em uma densa neblina, onde se esconde um lago escuro como o ébano.

O filho conseguiu escalar a montanha sozinha a superar seu trauma. Agora é a vez dele, e quando chegar ao topo tornar-se-á o verdadeiro pai, que ele nunca teve e que ele nunca foi.

quinta-feira, 17 de maio de 2007

Opa! Olha só o novo visu! Hehehe.. Mudou absolutamente N-A-D-A... =P

Mas a vida continua, caros amigos! o/

Hoje estou postando rápido porque simplesmente perdi a vontade do nada de jogar Ragnarok =P Tou com medo de ser reprovado do programa que eu uso há mais de cinco anos, sim meus caros... Photoshop. Na época que eu usava nem era tão popular assim, e o pessoal estava entrando na mania de PaintBrush e pixel art.

Só que ela não engantou e hoje nem tem tanta importância. =P Photoshop se popularizou, e tem gente até que chama de foto shopping, enfim... Tem louco pra tudo. Bom, hoje quero falar de tempo, sim... Essa palavrinha dificil de descrever e mais ainda dificil de se ver.

Hoje enquanto eu lavava a louça, estava pensando, como sempre. >< Não quero dizer que filosofo durante o ritual de lavar a louça, até porque tava no comercial do Hoje em dia que eu assisto todos os dias e adoro, e fui aproveitar pra ir dando uma agilizada nos quilos de louça que minha mãe sempre me deixa pra lavar de manhãzinha.

E lá estava raciocinando comigo mesmo, e achei algo deveras estranho. Hoje estou com meus (..) anos e acho interessante que, se for pegar para raciocinar desse lado, logo as coisas atualizadíssimas tornar-se-ão coisas do passado. Imaginem daqui a algum tempo, hoje eu vi um Mac com 5 tera de disco rígido e processador dual core. Sim, uma nota claro, pode compra-lo pela bagatela de dez mil dólares, mas será que ele continuará sendo atual daqui a uns vinte anos, quando a geração dos dias de hoje tornar-se adulta?

Sim, olharão para o passado e verão que, coisas atuais serão coisas de séculos atrás. Quando fui cortar o cabelo tinha um livro de looks e o livro, nossa, era dos anos setenta ou algo do tipo. As pessoas se vestiam com roupas com texturas de bolinhas e coisas do tipo, e hoje nem os que foram jovens lá usam ainda. Sem contar os cortes, claro, mas acho estranho olhar pro futuro ainda.

Eu sei que não viverei muito do jeito que eu sou, mas quem viver, verá. Hoje, estou na minha fase jovem-adulta, e vejo que tais coisas serão com certeza gravadas na minha memória pois é essa época em que meu corpo e mente estão, aparentemente, mais sãos do que antes ou mais do que depois. Hoje eu me sinta ainda um pouco jovems, mas amanhã quem sabe? Vejo hoje a minha mãe, mesmo nos seus quase 40 anos, com seus amigos quarentões, irmãs, primas, enfim... Cara, é estranho!

De uma forma todos somos crianças, mas logo nos tornamos adultos, e então velhos! E todos vão ficando igual a nós, e como uma verdadeira bola de neve isso vai aumentando, e crescendo e tudo mais. Não estou dizendo que hoje eu descobri que ficarei velho, até pq meu corpo está bem mais idoso que a minha mente, mas é impressionante essa noção de passagem do tempo que estou começando a ver agora, e será protagonizada por mim nos próximos anos da minha vida, em que um dia chegarei aos meus amigos hoje e direi: "Poxa, animê bom mesmo era Samurai X, Cavaleiros do Zodíaco, Card Captor Sakura... Hoje a coisa nem se compara!" que foram coisas que pertenceram à minha época, minha linguagem e o meu estilo de vida de uma determinada época.

Por isso meus caros, lembre-se: sempre que forem ler algo de alguém, situe-se na sua época. =)

quarta-feira, 16 de maio de 2007

Cansei de por fotos minhas, hahaha... =P

Agora vamos por o Die! *-*~~ Sim, pq hoje cortarei o cabelo baseado no dele, eaheuiaheau! \o/ Não igual ao dessa foto, e como não sei se vai ficar 100% igual, nem vou mostrar tb como será o esquema. =P Vai que eu mostro e fica uma bosta? =\

Hoje eu expeguimentei (alguém lembra desse comercial da Nova Skin?) Tang Milky *_*~~ Mas achei meio fraquinho o sabor. Mas em suma gostei. E tem cálcio, assim eu uma criança em fase de crescimento crescerei mais ainda. ¬¬ Bah, eu to gripado. ><' Tou o nariz incomodando e acho que tive um prenúncio de febre.

O próximo layout será do Mario, finalmente! Tudo bem que não sairá do jeito que eu precisava pq terá um bocado de gifs animados, e se no meu PC as animações em Gif mais o applet do Flash não rodou, imagina no PC dos outros. Sim, eu odeio sites em que o PC fica lerdíssimo... São efeitos e mais efeitos, que parece que pra eu usar a internet agora se fará necessário ter um PC grandioso... ¬¬

Mas caros colegas, fazer coisas baseadas na Internet é um inferno. Digo isso pq me formei Webdesigner há alguns anos já e digo que não é facil adaptar sites se computadores usam sistemas operacionais, memória, processador, configuração e até brilho ou contrastes diferentes. Sim, meus caros... Pior ainda é o velho dilema entre site parado versus animado, Flashs pesadíssimos porém fodásticos contra algo mais simples...

Eu sinceramente sou a favor do apelo plástico, mas sei que pelo apelo do design diz que deve ser algo que carregue rápido e tal... Então fico meio perdido. Eu tou há séculos querendo fazer um layout em Flash do Blog mas não desistirei, MuaHAhAHA!!! `___´

Aguardem...

terça-feira, 15 de maio de 2007

Foto velha =P Cabelo preto. ><'

Bom, hoje vamos lá. Foi uma noite interessante eu diria.

Lá estava eu no metrô, após descer e cumprimentar mr. André depois de mais um longo dia, e desço no famoso Terminal João Dias pra pegar meu ônibus pontualmente às 23h10. Raramente eu desço antes, então... Sempre acabo pegando o ônibus saindo às 23h00, portanto 10 minutos são mais que suficientes pra que o ônibus simplesmente LOTE.

Pensei eu com meus botões: "Tou com dois livros aqui pra ler, um do John Locke e outro sobre Arte... Pra diabos subir? =\ Vou aproveitar pra ler o livro enquanto espero o próximo, e eu já estou cheio de coisa pra levar e uma mochila relativamente pesada. Aí que eu já meio sem esperanças olho pra dentro do ônibus e encontro um molequinho me chamando pra subir.

Na hora fiquei meio abismado. o_o' Pra ser sincero pensei que era algo mandado por Deus. Juro. Por eu mexer um pouco com esse meio espiritual, acabo ouvindo estórias que é dificil de entrarem no conceito de mirabolante ou "humanamente impossíveis"... E disse pro garoto que eu estava cheio de coisa e não iria subir. Disse isso pro cobrador tb, que por morar em Capão Redondo City ele sabe da minha dificuldade em fazer Design e carregar uma imensa pasta. ¬¬

Mas o garoto disse que iria segurar minha pasta e até depois dele tanto insistir eu subi então. Vamos dar um crédito pro garoto, afinal ele está sendo gentil. E então fiquei um tanto impressionado, pq além dele ser bem educadinho, estava no ônibus às 23h20 e morava ainda "aonde eu moro"... ><' Medo acho que não tinha, mas tinha uma dicção muito boa, e quase diria que se tratava de um anão ou algo parecido. O bichinho falava bem mesmo, e parecia bem responsável. Ele havia ido numa Lan House criar seu correio eletrônico pra usar o MSN Messenger!

Fiquei simplesmente abismado. O garoto tinha 9 anos e já usava o MSN! E ainda disse que a mãe dele também usava e tal, até peguei o MSN e pretendo adicioná-lo. Mas além da pouca idade dele ter me impressionado, fiquei um tanto surpreso pela escolha profissional dele: ser policial. o_o'

Primeiro que é uma classe que eu nunca gostei, mas ele falava com tanto gosto em ser isso. Sabe, ser policial não é lá um grande trabalho se você seguir à risca e ser um bom policial, claro que os únicos que fazem alguma grana ou são de alta patente ou são envolvidos com muambas, enfim... Aí parando agora pra pensar, acho que descobri o motivo do garoto e lembrei de um filósofo que eu acabei de ler, Ludwig Wittgenstein.

Ele fala muitas coisas que acabam sempre voltando às primeiras coisas que ele falam. Basicamente são figuras de linguagem. E ele tem um ponto que diz que o significado das coisas é dado pelo próprio ser humano. O garoto, claro, dificlmente quer ser um "policial fora da lei", mas talvez o facto dele pôr um novo significado à palavra "policial", e substituir pelo signo de "protetor da ordem e da paz nas cidades" e talvez seja isso que ele tenha usado pra dar algum motivo à pergunta que sempre atormenta os jovens, que é o que ser quando crescer.

Em suma, era um ótimo garotinho. Sabe, aqueles bem periferia mesmo, infelizmente não sei se ele terá um futuro, enfim (até eu duvido que passarei dos vinte, tanto pelo envelhecimento acelerado quanto por merdas que eu faço com meu corpo)... Mas gostei dele. Já está até na inclusão digital, tô gostando de ver.

Agora vou tentar ler John Locke. Mas tou com preguiça hoje e estou com vontade apenas de jogar um bom e velho Ragnarök Online. Sim, o vício voltou. =P Eu odeio meus vícios pq são minha fraqueza, e mostram o que há por detrás do "crânio número 1 da sala que sabe-tudo-sobre-tudo...". ><

Mas o problema é que o jogo é bão. E vicia. =)

domingo, 13 de maio de 2007

Eu estou de volta! `_´

Peço desculpas pela demora, hehe... Ah sim, se está com dificuldade de ler, primeiramente peço desculpas e peço que modifiquem a configuração do monitor pra 800 X 600, ou se usa Firefox mande aumentar o tamanho da fonte que por ele funciona.

No Firefox:
Menu Exibir > Tamanho do texto > Aumentar

No Internet Explorer, se você usa a última versão pode usar o recurso de zoom, pq o aumentar a fonte não funciona. Peço desculpas, pq sei que já é dificil alguém ler, e se tem uma dificuldade pra ler ainda fica pior ainda. Eu modificaria, mas isso quebraria um ritual de séculos a fio de criar uma versão 1.1 e tals.. =( Desculpe tá, principalmente à Cris. =)

Já estamos no meio de maio! Logo o semestre terminará e estou já com saudade de professores. Nossa, logo no primeiro semestre, tá bom até demais! Isso é sintoma que o curso está indo de vento em popa. Bom, o resto das coisas estão todas em ordem. Quinta-feira eu fui ver a Naiara e peguei o telefone de um cabelereiro que deixará meu cabelo do jeito que eu quero! =P Vai cortar com navalha e tudo, vamos ver se eu finalmenet terei o cabelo que sempre quis ou irei novamente ficar só na vontade, hehehe...

Dia 11 fomos à oficina da faculdade de DI, finalmente. o.o' Sabe, acho que até daria pra postar, mas voltei a jogar Ragnarok Online, e isso é uma ótima notícia. Eu era viciado nesse jogo e acho que o vício-dependência agora voltou com força total. Meu sábio já consegui evoluir um level inteiro. o_o'

E já estou num clã tb. Vamos ver no que vai dar.

Sábado por exemplo, do curso de pintura fui jogar e fiquei direto jogando, hauheuae... xD Quando eu acho que eu posso piorar, eu pioro. Mas como sou um menino prestativo, mesmo não parecendo, eu hoje tirei o dia pra colocar em ordem todos os esquemas de Atividades Complementares da faculdade. o_o'

A professora mandou jogar dois jogos e ver dois filmes. Já joguei e já vi, ehauhea... Acho que com esses já termino minha cota semestral, e já vou entregar pra evitar dor de cabeça. Alias, estou aproveitando bastante pra estudar, ler, e enfim... Fazer tudo quanto é coisa pra agilizar tudo que é pendente logo. Tou gostando mesmo do curso, e isso é muito bom.

Hoje, almoço de família e pra variar, discussão com meu pai. Sinto que estou cada vez mais distante dele, mas não consigo fazer nada a não ser continuar me distanciando. Hoje ele veio criticar meu emprego, pra variar um pouco. Sabe, eu acho que pessoas não tem simplesmente noção do que é magoar pessoas e continuam magoando.

Mas aí você talvez diga: Ah, mas você magoa ele também pô. De facto, eu também com ele não sou nenhum filho perfeito. Mas ele tá acostumado a humilhar pessoas e ser bajulado, e eu só acredito que se você faz o bem as pessoas você só tende a receber o bem. Ao menos isso eu sempre tentei a minha vida inteira e isso sempre funcionou. o_O' Infelizmente nunca nos pegamos, e sei que ele não mudará esse jeito dele, e eu não mudarei o meu também. Se alguém me faz mal, farei o mal a ele tb, afinal alguém tem que ensinar uma lição à ele, e sei que nem que eu tenha que jogá-lo no chão e humilha-lo, eu tenho uma missão a cumprir, que é colocar algo na cabeça do meu pai.

Tenho certeza que é porque ele recebeu essa criação na base da chicoteada que ele tente usar isso comigo. Mas queria perguntar a ele se isso deu certo, afinal que tipo de homem ele virou? Preconceituoso, careta, idiota, sem noção, sem graça, exibido, nada modesto e milhões de adjetivos ruins. Eu não quero ser assim, e não pretendo ser. Não vou dizer "Nunca, jamais, isso está cem por cento fora", pq não sei o dia de amanhã... Mas se for pela minha vontade é um grande não.

Me desculpe... ^^ Acho que tem tanta gente me conhecendo e agora tanta gente sabendo de lados meus que eu nunca mostro, ou o caso sério de relacionamento que eu tenho com o meu pai, enfim... Mas o caso é muito mais complexo que isso, e eu o entendo. Mas quero fazer ele entender o caso dele pra ele achar uma solução.

Afinal, quem deve se levantar e caminhar é ele. Não posso fazer isso por ele.
Espero sinceramente que ele um dia tenha um dia em que ele possa sorrir e deixar de ser carrancudo. Espero mesmo.

quarta-feira, 9 de maio de 2007

Que frio delicioso! ^_^

Frio me deixa de bom humor! Sim, pq esse é o clima da minha terra, a adorada Bretanha. Clima bom pra um cházinho (não me venha com café, por favor... ¬¬), bolachas, andar de terno, fazer reverência à Sua Majestade a Rainha, falar inglês e ainda ser cavalheiro e mostrar etiqueta ao povinha brasuca! \o/

Sim, frio me deixa super bem humorado. É tão bom o vento gelado bater na nossa cara e nos deixar de nariz gelado! Odeio calor. Sol, calor, suor nunca combinaram comigo. =P E nem adianta vir com essa não. ¬¬ Por mim eu viveria trancado na geladeira durante o ano inteiro. Frio é mil vezes melhor... Não tem que aguentar odores de suor dos outros, tampouco ficar em pânico em locais com muitas pessoas e muito calor (acredite, na Anime Dreams do ano passado quase entrei em pane, pq era um calor infernal e um monte de pessoas. Acho que tenho um pouco de síndrome do pânico...), e posso andar sem me cansar, posso até correr sem me preocupar com suor, e enfim. Isso é vida amigos, o frio é a melhor coisa. =)

Só pra vc ver, deve estar um baita frio aqui no meu quarto e estou de janela aberta, vestindo apenas um shorts e uma camiseta e com os dedos da mão bem frios, e tremendo um pouquinho quando passa um vento gelado. Mas reclamar? Nem fudendo. Prefiro ficar pelado com 10º C lá fora do que encarar calor ¬¬' Uma coisa ruim não justifica uma pior, esse é o meu lema! =P

Terminei de ler Eragon e estou empolgado para ler o segundo, Eldest! Adorei a Saphira, embora o livro peque em algumas coisas. Acho que o livro, ao menos na grande maioria dos diálogos entre Eragon e Saphira (Saphira é o Dragão-femea do Eragon) e entre Eragon e Murtagh (Murtagh pode parecer nome de dragão, mas é o amigo humano que salva o Eragon vinte milhões de vezes) os diálogos são muito na base do "o que eu devo fazer?"... Isso é um saco, e tornou-se MUITO repetitivo no livro. ¬¬' Outra coisa que não gostei é ter que ir toda santa hora pra ir ver os significados das palavras pra invocar magia do Eragon no final do livro. Tem parte que ele já fala coisas tipo brisingr ou a alcunha dele, argetlam e toda hora eu tinha que ir pra saber que a primeira significava "fogo" e a segunda "mão de prata"... A tradução poderia vir no rodapé, e isso teria salvo a última página do livro de quase escapar de tanto ir e voltar.

Mas em suma, é um bom livro. Ele narra muito bem a história e eu indico. Aí alguém chega e fala: "HA! Logo você ô intelectual FDP lendo uma merda dessas?". E afirmo ainda: "Já li piores!"... E não tenho vergonha de dizer que li o Código Da Vinci, Atlantis, Olga, As brumas de avalon, que são ficções que eu li no período de dois ou três anos pra cá que me marcaram muito e acho que, por mais que você assista o Discovery Channel, uma hora vc vai querer ver o Pânico na TV.

Eu acho que os seres humanos precisam de uma dose elevada de cultura, principalmente os brasileiros. A dose de besteira já está acima da média,e não digo que "eliminam as merdas da TV, livros, rádios e afins". É bom pra comparação e bom pra distração. Aprender é bom, mas é da distração que seu cérebro faz o intervalo pra aprender ainda mais, e não me sinto nem um pouco culpado em ler Eragon ou ver Pânico na TV, embora adore Rousseau e Wittgenstein e sempre tento assistir ao History Channel. Acredito que uma dose de besteira é fundamental, mas não exagere. Não fique pensando que vai ouvir Helena de My Chemical Romance e ficar intelectual enquanto tem gente que entende Another brick on the wall do Pink Floyd e tem muito mais conteúdo.

Esse romantismo essessivo de hoje em dia que eu odeio. Eu odeio a modinha emo não é pq os rockeiros que se dizem machos estão tendo que encarar o crescimento do rock dos "não-tão-machos" e tendo que pra afirmar sua heterossexualidade ir detonando eles e nem tampouco a completa falta de estilo deles, usando franjas do Visual kei ou ainda Adidas, marca dos praticantes do New Metal. O que eu não gosto é da completa romantização de suas letras que parecem fazer lavagem cerebral nas pessoas e que apenas tenta mostrar que a vida é nascer, crescer, namorar, chorar e se suicidar. PQP... Parem com essa porra de hipocrisia. Acabem com Charlie Brown e suas idiotisses de "Ela não é o tipo de mulher que lá-lá-lá" e ensinem letras com conteúdo, porra! Chega de amor, que droga de bosta é essa? ¬¬'

Já temos um povo BURRO. Se bandas comerciais como essas continuarem em sua decolagem apenas fazendo marketing nessas maldições de amor, mulheres, romances e coisas afins vão fazer pra outro, pq eu tou fora dessa. Sou mais ouvir o "Wind of change" dos Scorpions e ter uma puta aula de história com rock do que ver idiotas cantando "Vivendo apenas pra vencer a falta que me faz você" e pessoas ouvindo isso e se achando inteligentes e rockeiras.

O rock está morrendo, e não são emos. ¬¬ Já morreu alias. Tanta coisa boa por aí tipo System of a Down com uma puta crítica até a guerra e as cabeças pensantes e o pessoal só quer saber de cantar coisas medíocres. Quanto tempo a B.Y.O.B. ficou nas paradas? Duvido que algumas semanas. Se sentirem mal por eles cantarem "Where the fuck are you?" com certeza ninguém ficou, mas talvez por ter um conteúdo tenha caído, o que deveria ser o oposto.

É meus caros, sinto muito, mas disso eu tenho um baita preconceito. Mas como eu disse, algo dosado é saudável. Ainda gosto de ouvir Roberto Carlos e Zezé di Camargo e Luciano. Mas sei que o que me adicionará algo na vida pra eu ser alguém e não um Don Juan pegador-de-mulheres será exatamente a diferença entre ouvir demais "Sei tudo que o amor é capaz de me dar, eu sei já sofri mas não deixo de amar" e entre ouvir demais letras de conteúdo como "I am a world before I am a man, I was a creature before I could stand, I will remember before I forget, BEFORE I FORGET THAT!"

E desculpe se passei dos limites hoje. =P Mas como eu disse, besteira é essencial, mas não exagerem. =P Essa é a minha teoria, hehee...

terça-feira, 8 de maio de 2007

Eu em um dos trens da linha verde! Provavelmente próximo a estação Consolação do Metrô.

O que diabos o grande cavaleiro de Sua Majestade faz lá? AH-HA! Tirando fotos pro trabalho do Audio Visual. xD~~ Sim, porque os últimos dias foram sem palavras, e quando é sem palavras eu costumo demorar um pouquinho mais pra tentar abrir os olhos e me manter no mundo real. o_O'

Na sexta foi tranquilo! Recebi meu salário, opa, já é algo bom! \o/

E ainda apresentamos trabalho de teoria, mas nem valeu direito, embora meu grupo tenha sido potencialmente SUPERIOR e logo dominarei o mundo, começando pelo Senac, huhuh! Ok, to brincando, todo mundo se deu mau, isso sim. =P No sábado além de aula de pintura ainda passei na Auto-escola pra marcar aula de direção pra segunda, e como estava exausto, nem deu pra ir tirar fotos do AudioVisual que eu queria. o_o'

Até aí, tudo bem... Ao menos descansei bastante. Porque no Domingo, lá vamos nós, Lucas meu primo e eu, para o centro de São Paulo em mais uma aventura de Turistas da própria cidade (a primeira vez que nos metemos em enrascada foi no ano passado, quando visitamos a Barra Funda, se você perdeu, clique nesse link aqui e procure o post do dia 24 de setembro!), mas a Barra Funda já foi e vamos voltar ao que interessa. Saímos daqui lá pelas 11h e chegamos pouco depois do meio-dia na Praça Júlio Prestes (na frente da estação Júlio Prestes), e de lá fomos até a Luz, onde no Parque da Luz tava tendo uma feira de automóveis antigos. o_o' Legal até, e fiquei mais seguro de usar minha cam sem medo de ser feliz e ser roubado, ehuaheuae...

Tiramos várias fotos, das quais não as revelarei. MUAHAHA!!! Até o dia que eu mostrarei o Making Of do meu AudioVisual explicando tudo, cena por cena, do que significa cada coisinha naquele vídeo! Mas voltando ao que interessa... Tiramos bem umas trinta fotos, dessas só usei 10 e muito. Sem contar algumas na Estação da Luz com aquela architectura simplesmente FODA. *-*~~ E teve uma que ficou muito "cena teatral de tragédia, quando o mocinho vê a mocinha morta"... =P

De lá, seguimos para a Clínicas, onde fomos ao cemitério do Araçá, exatamente na frente do hospital. Engraçado... Você morre de um lado da rua, atravessa e é enterrado! HEuhea... Isso que é humor dark, huhuh! Mas fui lá pq é de um bairro bom (próximo de Higienópolis) e um cemitério tranquilo e bonito até! Muitas lápides lindíssimas, e são ainda enterrados ao modo não-tão-tradicional (sem ser enterrados embaixo da terra, mas sim os caixões guardados em galerias subterrâneas embaixo da própria tumba). Onde tiramos as últimas fotos do Audiovisual e fomos comer no Shopping Metrô Santa Cruz. =)

Na segunda, dia corrido, isso é, ontem. =P Aula de direção, dentista, faculdade...

Fiquei só o caramelo, mas quer saber, to me acostumando e tentando romper alguns limites. Isso é, até eu cair duro no chão por não comer nem descansar. =P E como se bastasse, hoje teve teste de direção, o teste prático. E como eu falhei exatamente por ter deixado o carro morrer e não ter parado certinho no acostamento, nem vou comentar que fiquei mais de três horas esperando pra fazer embaixo de sol, em pé, cansado, com fome, com sono, nervoso e sem paciência e até que fui bem. o_o' Vocês deviam ver como eu tava tonto dentro do carro. ¬¬ Se tivesse a opção "Adie para uma outra oportunidade", com certeza iria usá-la. Como fui deixar o bendito carro morrer? ¬¬'''''' Nem eu mais faço isso.

A baliza saiu perfeita, mas... Paciência. Cheguei em casa, nem esperei direito tirar as botas e agarrei num sono profundo do qual só acordei às 15h, qd minha mãe me chamou pra comer. Sinceramente, um dia pra esquecer. =P

Ah, e visitem o blog da minha migona, a Cris! =D
Aqui ó: http://www.taolongedetudo.weblogger.terra.com.br/index.htm

sexta-feira, 4 de maio de 2007


Olá gente bonita! Olha só heim, e não é Photoshop. o_o'

Sim... Eu tinji o cabelo novamente. Agora preto. E devo dizer que as últimas horas foram um tanto caóticas, mas teve mais confusão interna do que externa mesmo. Porque é engraçado ver a reação das pessoas ao me verem de visual novo, é tão bom ser reparado e tal, hehehe... Me sinto ótimo. É bom pra aumentar um pouquinho o ego também.

Afinal hoje eu vi a Nai de novooo! Minha amigosa, meigosa, bonitosa e tudo de "osa" de bão! o/ E conheci o namorado dela também, o Ricardo que parece ser super gente fina. Cara do bem mesmo, esperto, inteligente, e ainda passaremos na USP! ò_ó Ehuehua.. Eu mal conheço o cara e já estou marcando passar na USP com ele, eaheuaiheheuia... xD

E o pior que tipo, eu nem me acho TÃO inteligente assim. Eu gosto de aprender, mas não quer dizer que isso seja inteligência, ao menos na minha opinião (meio que, aprenda o "how to use" e apenas siga isso, eu sou meio assim...), pq eu gosto de seguir uma receita até pra coisas simples, talvez pq sempre dê certo ou mesmo eu não tendo muita criatividade pra inventar algo pseudo-inovador.

Mas foi um dia bom. o_o' Tingi e cortei o bebelo. Tava com saco dele já. ¬¬ Mas voltando ao papo do início, estou passando por uma mega crise de identidade. Sei lá, eu me vejo no espelho e não me reconheço. Não é por estar mais bonito ou feioso, pelo contrário, até gostei da nova aparência, mas é dificil de me identificar atualmente com ele. Afinal passou tanta coisa desde que eu criei o hábito de tingir o cabelo de vermelho, que isso virou identidade minha, e agora me sinto meio que querendo colocar a mão no bolso, mas sem poder!

Afinal o ato em si de tingir o cabelo tornou não apenas um símbolo da minha personalité, mas também uma espécie de "lacre" para com o meu passado... Não gosto de me olhar no espelho e me ver com a aparência da pessoa fútil, idiota, sem noção, sem personalidade e IDIOTA que eu era antes de pintar o cabelo. Acho que isso me faz sentir-me mais fútil, idiota, sem noção, sem personalidade e idiota!

E tingir cabelo é o signo desse lacre, é como se fosse algum tipo de magia que guardasse o meu ego mal do meu ego atual (que não sei julgar se é bom ou ruim) e ir pro espelho e encontrar o velho Alain de cabelos negros definitivamente não me faz bem. o_o' Tá, me chamem de louco que eu deixo. =P Mas sinto muito, sou muito complexo. Mas até que eu me entendo. Mas não gostaria de viver comigo mesmo, nem mesmo conhecer eu mesmo nem nada do tipo, ehauheau...

Mas isso passará. Pq quinta enfim voltarei a ter meu amado cabelo vermelho. Sim, isso já virou uma marca minha. Vermelho, minha cor favorita, mas eu digo se eu gostasse de azul, tingiria de azul sem medo. Eu não tinjo pra parecer sexy ou pq a mulherada tenha queda por ruivos (nossa, forcei. =P), mas existe toda uma armação por detrás disso que é uma looooooonga estória (com "e" mesmo) que está dentro de uma História maior ainda. Mas como eu tenho atos no mínimo péssimos no meu passado, prefiro reservar-me ao silêncio qd for de falar do meu passado. =P

Meu pai nao falou nada cara, minha mãe adorou. Todos me acharam com mais cara de jovem e tal, parece que eu estou com uns 20 anos, ehauheuae... Meu pai comprou um pente de 1GB pra câmera, nossa... Tá uma magavilha! Em VGA posso tirar mais de 9999 fotos! E no 6 MegaPixels (resolução máxima) mais de 600 fotos. 609 pra ser mais exacto. Cara, isso é foto pra caralho, isso pq eu gosto de tirar no máximo em 2 megapixels pq aí eu tenho mais controle, mas em 6 megapixels posso ver até o trajeto que os fios de cabelo meu fazem da raíz até as pontas. =O é simplesmente medonho, pra não dizer coisa pior. =P

Por hoje é só galerinha. Deixa eu ir dormir que a cuca vem pegar...

E não me venham com piadinhas que um tal de cuca vem me pegar que vem o caralho, ehauehuae... (isso chama-se stress noturno. =P Preguiça talvez de começar um novo dia. Aliás nem sei pq estou escrevendo isso, bah. Vamos partir pra próxima. =P)

terça-feira, 1 de maio de 2007

Oba! Já estamos em maio! xD

Hoje aliás, dia primeiro de maio, dia do trabalhador. Em função disso, vou postar algo que significa muito pra mim. Alguém tem a mínima idéia do que a imagem se trata? Não? Mas é claro, pouquíssimos sabem. Talvez apenas os sites tenham-me feito me interessar por esse mundo chamado web.

Afinal, eu a vi nascer. Eu naveguei pelo Netscape Navigator, e fui um dos primeiros assinantes da UOL. Tinha medo de acessar os sites, e quando superei o medo vi o qual extenso e gigantesco seria o novo mundo virtual, a tal Internet da época, e vi o quanto ela tinha a crescer. Mas eu não queria ser apenas um mero expectador.

Sim! Eu queria participar, é claro! E participei! Quando a saudosa e velhíssima hpG (na época, Home-page Grátis) existia, fiz um site pequeno sobre o que eu mais gostava: games. Aí desse sonho nasceu a Cidade dos Games, que me fez fazer webdesign na Microcamp e por aí foi. Devo admitir que deu um trabalho desde setembro de 2000, mas valeu a pena. Durou mais de dois anos e com ele aprendi muito.

E essa foto aí é do site quando estava em Julho de 2001. Salve ao The Internet Archive! Onde sites como os meus finados ainda vivem, mesmo com imagens e links quebrados. Aqui está um registro para a posterioridade. Agora vou dormir! Tou cheio de fazer plantas para o Projeto experimental. ¬¬

Fazer sites e dedicar-se a eles é algo explendoroso. Claro que nos dias de hoje a gente tem mais opções e eu mais conhecimento. Sei como atrair público e tal, mas sempre gostei do anonimato. É bom escrever sabendo que apenas amigos ou quem sabe um mero qualquer entrará no blog e lerá. E esses mero qualquer que eu acho mais interessante. Quem sabe se eu apenas mudasse a vida de uma única pessoa por aí, já me faria feliz. Nem que fizesse tal pessoa pensar nisso ou quem sabe num dos meus textos eu desse uma resposta.

Mas claro, jamais pra todos. Nem almejo tal honraria. Fico feliz em ter 200 acessos mensais (média de 6,5 acessos por dia) e pretendo continuar assim. É bom ter um blog e é bom ser lido. Mas ser famoso por ter blog... Aí já é quebra demais da privacidade. =P

Arquivos do blog