terça-feira, 5 de junho de 2007

Essa imagem choca um pouco. Mas acho que não terá tanto peso porque está em tamanho menor. Foto tirada do encarte do álbum HIStory - Past, present and future Book I, a coletânea do cantor Michael Jackson lançada em 1995. No disco 2 existe uma música chamada Little susie que é um tanto... Estranha.

Digo isso pq o significado está explícito! Logo no começo da música, Michael canta Somebody killed little Susie, the girl with the tune, e por aí vai. Estou postando isso hoje porque estou indignado com algo que eu vi. Já basta o que eu vi há meses e não comentei, que foi o caso do garoto que morreu pelo atropelamento de carro que inclusive o empurrou metros adiante, eu nem comentei muito pq o garoto teve a sua redenção: a morte.

Claro, o problema de morrer nunca é pra quem morre, mas sim pra quem fica. Acho que é esse um dos vários motivos pelo qual ainda tento seguir em vida, pq acho que se eu morresse seria um grande egoísmo de minha parte. Mas hoje de manhã eu estava acordando como sempre ás 7h30 pra arrumar a casa. Sim, eu arrumo a casa, minha mãe trabalha meu pai também e meu irmão está estudando. Mas como ele é o mais novo, mesmo tendo uns 14 anos, ele é preguiçoso e mimado e não faz as coisas do jeito que eu peço... ¬¬

Mas estava vendo o Fala Brasil pra ir ver depois o Hoje em dia, na Rede Record. Nos dois foram exibidas notícias de um caso de prostituição infantil, onde um médico endócrino estava aliciando crianças e jovens para se prostituirem. E não apenas isso, as babás ainda estavam por detrás disso. Na hora vendo a reportagem tenho que admitir que achei aquilo simplesmente um dos cúmulos. E já tinha criança já fazendo sessões com psicólogos pra ver se tem alguma chance de superar esse trauma.

E eu fico aqui pensando, o que um cara desses tem na cabeça? Ano passado eu dava aula de inglês pra um público essencialmente infantil, crianças de 8 até 12 anos, e foram elas que me fizeram ter uma outra perspectiva do que eram as verdadeiras crianças. Primeiro pq infelizmente não tive infância. Minha infância sempre foi regada de video-game, salgadinhos e refrigerante, deixando-me uma criança obesa que ainda tem um pouco de trauma de gordura mesmo hoje. Mas ao conhecer tais crianças como as minhas aluninhas do CNA, nossa =\ Devo dizer que cresci como uma pessoa, e eu que já defendia as crianças, agora as defenderia com unhas e dentes.

Queria saber antes de tudo o que um cara desses têm na cabeça. Não me venham com a demagogia de que ele "não tem nada", porque isso pra mim não existe. Que tipo de traumas ou algo que ele tenha presenciado o fez virar o que virou? Levando crianças pra prostituição e fazendo dinheiro com a pureza delas? Simplesmente pq acho isso inconcebível e ainda não acredito que existem pessoas assim. Que motivo que os levam a fazer isso?

Ganância? Dinheiro? Sexo? Enfim... Não vou dizer que ele deveria ir pra alguma igreja ou seita pq como eu sempre digo "Sou feliz em servir Deus na minha própria casa, e não preciso de uma igreja, nem de um pastor colocando abobrinhas e fazendo lavagem cerebral em mim e tampouco colaborar (leia-se 'ser roubado') por igrejas que sugam o dinheiro pra construir impérios anti-católicos...". Mas saindo do papo de religião, pq se for expressar no que eu acredito todos cairão matando, pra não sair do foco, espero que esse cara viva muito. Viva pra sofrer na pele castigos e tudo o que ele merece por ter feito isso com essas crianças.

Morrer é muito fácil, e é um presente. Digo isso e não tenho vergonha de afirmar, morrer seria fácil demais. As crianças terão que viver e superar esse trauma, isso é, se superarão. Terão que além de lutar contra todas as adversidades da vida, que não são poucas e ainda lutarem contra o velho fantasma do passado que tanto nos atormenta. Sabe, ele merece sofrer o triplo do que cada criança sofreu. E se ele fosse um deles? Gostaria disso? Tenho certeza que não.

Sei que esse mundo onde reina é o mais forte. Mas eu ainda acredito no que eu chamo de "Justiça divina" e esse homem pagará, cedo ou tarde por tudo que fez a eles.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog