terça-feira, 26 de junho de 2007

Foi apenas um sonho...

Eu dormia tranquilamente no último final de semana. Ouvia ao fundo meu irmão na sua hora de jogatina de Ragnarök Online, e eu havia acabado de almoçar. Não havia escovado os dentes, mas nem ligava. É no fim de semana tediante em casa que damos folga até a coisas chatas como tomar banho, escovar os dentes e pentear o cabelo.

Sabe quando começamos a nos sentir em outro mundo quando estamos adormecendo. Acho que muitos não percebem isso, e dificilmente eu percebo. A gente ao invés de ver, acaba tornando-se o espectador e nos vendo lá embaixo. Mas sonhos servem exatamente para isso. Costumava controlar, mas vi que isso acaba com toda a graça. O bom mesmo do sonho é ser o espectador, não adianta. E ainda mais num sonho desse tipo.

Afinal, estávamos em minha casa. Era manhã ainda. E era apenas eu e ela. Estávamos como nos dias de hoje, já adultos, mas eu me sentia como uma criança. De verdade! Afinal, apenas ela que é uma pessoa especial pra mim e apenas ela é com quem eu posso contar pra tudo, seja amizade, companheirismo ou aquele ombro pra desabafar. Teríamos um dia inteiro, apenas eu e ela, onde não nos relacionaríamos como namorados, ou um casal simples.

Seria um dia reinado pela maior das purezas, onde brincaríamos e iriamos nos entreter da maneira que sempre gostaria de fazer. Sem malícia nenhuma. Conversaríamos, iríamos até fazer o almoço e comer juntos. Veríamos TV juntos e até iriamos tirar o típico cochilo no meio daquele filme chato e acordaríamos depois e iriamos constatar que um tava dormindo no colo do outro profundamente, e iríamos rir disso durante meses e meses.

Mas o fim do dia chegaria, e eu saberia que isso significava que ela, mesmo depois de anos de amizade, mesmo depois dela ter me ajudado, e ter no ano passado me dado tal presente de aniversário que eu sei que jamais me esquecerei a minha vida inteira, não importa que mulher que apareça na minha vida daquele ponto em diante, sei que hoje ela está longe de mim.

Está tão longe que é impossível pra mim tê-la em meus braços para mais do que uma amizade. Hoje ela está namorando, e namorando bem. O rapaz a ama, é trabalhador, esforçado, tem cabelo grande e nem é tão alto... Nem digo nada. respeito o rapaz porque ele me parece gente fina. E até prefiro que ela o prefira para isso, afinal o cara é um ano mais velho que eu e sei que esse namoro irá muito provavelmente evoluir para algo mais denso, isso é, se já não está agora.

Mas se engana se você pensa que fico triste com isso. Não fico. Talvez apenas um pouco. Mas a felicidade que eu sinto é incomparável. Amar acima de tudo é desejar o melhor para a pessoa. É dar conselhos, é ajudar, é ouvir... Sei que os dois formam um casal magnifíco, e apoio o namoro dela, mesmo eu sofrendo um pouquinho. Acima de tudo eu desejo o melhor pra ela, e se ela está com ele é pelo simples fato de que ela o ama e é ela que o completa e vice-versa. Por isso não teria coragem de nunca fazê-la trai-lo comigo ou com ninguém mais.

Apenas ela que me faz sentir-me como um moleque. É com quem eu posso conversar de absolutamente tudo sem me sentir constrangido. É com ela, que eu posso deixar a ponpa de Sir e toda minha educação britânica, e mesmo se eu faço uma besteira como peidar, ela diz "Ah, e daí. Isso é até bom. Pelo menos vc não é tão entupido como sua educação aparenta!". É ela uma pessoa que mesmo depois de tantos tempos, acontecimentos e tudo mais eu possa chamar de "amiga", e por isso mesmo o sonho era perfeito.

Pois seríamos apenas amigos, porque eu apoio o namoro dela, mesmo eu a amando. Porque se ela é feliz namorando ele, a única coisa que tenho a desejar é que ela continue com ele e seja feliz. =) A parte chata seria no final do sonho, quando ela teria que ir embora, mas já estou acostumado com isso. Gosto quando as coisas tem começo, meio e fim. Querendo ou não colegas, nada é pra sempre.

E então foi assim. Logo eu acordei... Meu irmão tinha gritado algo inaudível, acho que ele tinha morrido no período de Guerra do jogo. E então o sonho acabou, e eu voltei pra essa vida salgada. Mas ao menos no sonho eu provei um pouquinho das coisas doces.

Mas foi apenas um sonho...

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog