segunda-feira, 30 de julho de 2007

Foto da Anime Friends! Minha sombra e o Ivo's. Eu sou o da esquerda, e... Sim! Estou fazendo chifrinhos em mim, heaheuaea...

Frio é bom porque eu consigo dormir. Não consigo dormir com calor, fico acordando toda hora, transpirando, e tudo mais. Na verdade eu sempre tive uma curiosidade com sobre o que seria o sono. Eu sabia inclusive controlar os meus sonhos, mas quando eu finalmente adquiri o controle, nunca mais sonhei.

Me sentia o próprio Hypnos encarnado. Me sentia como aquele que controla o sono, o filho de Nyx e irmão de Thanatos. Conseguia adormecer mesmo acordado, conseguia me prender em meu sono, e sem contar os meus distúrbios do sono, como por exemplo, minha sonambulice. Mas a única coisa que eu realmente queria era dormir menos, ou quem sabe não dormir!

Nós perdemos entre oito a doze horas por dia dormindo. Por outro ponto de vista, dormir é bom, e nos dá uma ótima sensação. Quando durmo eu sinto que eu estou em outro lugar, que eu estou livre, mas ao mesmo tempo preso em minhas sensações. É algo como uma nova dimensão que se abre, que inicia quando você fecha os olhos, e termina quando você se dá por acordado - muitas vezes ainda de olhos fechados.

Aí a fantasia termina e a gente volta pro mundo real. =)

Essa fantasia, essa falta de limites sempre será utilíssima para nós humanos. É uma das nossas válvulas de escape, e além de tudo emagrece, nos faz recarregar as baterias, entre outras coisas. Somente não gosto de dormir muito, meu corpo tá acostumado desde criança a dormir muito, e agora estou penando pra fazê-lo acostumar com uma nova, digamos, organização do tempo. Dormia mais de dez horas quando era menor. Hoje, tento diminuir pra sete. Existe pessoas que eu conheço que dormem quatro! E se sentem muitissimo bem. Eu queria dormir pouco assim...

Mas hoje, mesmo começando toda a rotina de arrumar a casa e fazer o almoço, igual a como era antes, eu me dei o luxo de ficar na cama até as 11h. E isso porque ontem eu dormi ás 22h! Nas férias uma coisa que eu não fiz foi dormir. Varei a noite por vários motivos, mas me arrepender, não me arrependo.

O problema são as rugas, hehehe!

sexta-feira, 27 de julho de 2007

Olha, eu de poser com os ingressos da Anime Friends 2007. =P

Hoje eu cismei que deveria arrumar a minha cômoda de mangás. Admito, não sou de longe uma pessoa tão centrada, e tenho minhas quedas por algumas coisas, e uma delas é mangá. Até gosto de animes, mas o meu negócio é mangá. Tava fazendo as contas, de tudo que eu gastei até hoje e deu mais ou menos 1500 reais. Porém vários eu comprei com desconto em eventos, então o preço talvez seja um pouco menor.

Até hoje eu lembro quando eu comprei o meu primeiro, que eu tenho até hoje, e pretendo guardá-los até mostrar aos netos. Comprado em meados de 2000, o primeiro volume da saga dos Cavaleiros do Zodíaco, lançado pela Conrad, até hoje tá ali com destaque, na primeira gaveta. O tempo foi passando, fui criando gosto por outras coisas, e hoje mesmo eu tendo uma coleção relativamente pequena, ainda são os orgulhos do papai aqui, hehehe...

É Cavaleiros do Zodíaco, Samurai X, X/1999, Tokyo Babylon, XxX Holic, Tsubasa RESERVoiR CHRONIcles, Negima!, Evangelion, Card Captor Sakura, Battle Royale, Guerreiras mágicas de Rayearth, Death note... vish... Só lembrei de uns mais queridos, hehhe... E ainda quero comprar mais, como Yuyu Hakusho e Chobits.

Em alguns inclusive eu acabo chorando. o_o~~ Ok... Admito. A única coisa tb que me toca ainda bastante, hehehe... Talvez até pensem que isso seja coisa infantil ou algo do tipo, mas quem fala isso ou nunca leu, ou leu os errados e tenta julgar todos. Tenho mangás que te tocam, como Tokyo Babylon (a relação amorosa dos dois personagens masculinos, o Seishirou e o Subaru em Tokyo Babylon), mangás que te dão lições de vida (Kenshin Himura e suas clássicas frases-impacto em Samurai X), mangás que te dão lembranças da infância e te ensinam a não desistir do que quer (Seiya de Pégaso, o grande herói de Cavaleiros do Zodíaco), outros que te ensinam sobre ocultismo (Yuuko Ichihara, a "feiticeira das dimensões", em XxX Holic), outros que são meigos (Misaki Suzuhara em Angelic Layer, e Sakura Kinomoto, em Sakura Card Captors), e outros que não fazem você desgrudar exatamente pela história ser viciante (Light Yagami & L, a clássica luta entre criminoso e detetive em Death Note), e por aí vai.

Ta aí algumas indicações. Eu até empresto, mas eu gosto de emprestar o mangá certo pra pessoa, pq sei que aquilo terá algum significado à ela. =)

Tive ainda que desocupar ainda uma gaveta inteira de tralhas e ir jogando pra baixo. O espaço está definitivamente acabando... Mas esse mundo nipônico sempre acaba de algum jeito me atraindo. Não sou daqueles doentes, sou apenas um viciado. Uma boa parte do meu salário inclusive vai nos mangás, mas eles me divertem, me completam, me ensinam coisas, e sei que muita gente que tem um infeliz preconceito, também infelizmente não conhece. =)

Depois tiro uma foto das três gavetas de mangás, heheh! =D
(consegui fazer uma foto em Preto & branco r0x igual a da Amanda *_*~~)

quinta-feira, 26 de julho de 2007

Seu nome é a junção de duas palavras, uma latina e outra grega. Tele, significa "longe". -vision, de visio/video. Nos países de língua portuguesa foi adaptado para apenas "televisão".

Querendo ou não, é a coisa que mais se têm em casas, e supera até o número de geladeiras em casas. Também pudera, mesmo o mais miserável compra, nem que seja naquelas básicas trinta-e-seis vezes nas Casas Bahia. Hoje em dia, nem antena mais precisa, só pegar uns fios lá e mexer neles para que capte a sintonia.

Dias tava conversando com o meu primo, que o meu computador atual, um Pentium 4 (sim, essa é a ÚNICA parte que me dá orgulho de falar dessa joça, tanto que é a primeira que eu cito), com míseros 224 de RAM, 80 GB de HD já é ultrapassado, e com os mesmos R$ 2,500 reais agora dá pra comprar um BEM melhor... Poxa, eu preciso aumentar a memória disso pra não ficar mais tão lerdo, e só pra por um pente de 512 MB o tio ali em cima me faz por 130 pratas!

Extendi a conversa então para minha mãe, que estava na cozinha. E ela falou que nem ligava, pq preferiria gastar os mais de dois mil reais comprando uma Televisão nova. Na hora fiquei meio abismado, porque mesmo eu adorando televisão a um ponto de não imaginar a vida sem ela enquanto eu era moleque, hoje eu sequer a ligo, exceto pra ver Jornal ou alguns desenhos animados que eu gosto (Bob Esponja *_*~~).

Não é a questão do "Beyond Citizen Kane" que eu quero colocar aqui. Pra ser sincero, estou até do lado da Globo em dominar a população. Querendo ou não sempre o mais forte acaba dominando o mais fraco, isso não é um dilema humano, mas sim uma lei da natureza. O que acontece é que as pessoas mesmo quando vêem uma segunda opção, se fecham, e mesmo quando sabem, fecham os olhos. Gente assim, eu simplesmente dou a chave e mostro a porta, é deles que tem que vir de abrir-la ou não.

E eu vejo esse choque de culturas interessante... Comigo consigo ver minha vida sem Televisão. Alias, eu consigo muito bem ver minha vida sem Televisão e telefone (ODEIO telefone, celular e derivados...). Mas computador, é algo deveras difícil, porque é apenas uma questão de adaptação, meus caros. Menos tempo, mais coisas pra fazer são equivalentes á facilidades do dia-a-dia. Talvez minha querida mãe apenas prefira uma TV porque pra ela é difícil mexer num computador ou algo do tipo, até porque vários micros hoje em dia vêm com televisão imbutida.

Sim! É bem lógico e chega a ser levemente idiota. Mas o que será que isso? Atraso? Será que preferir ter uma televisão do que um computador é uma escolha do contexto ainda do século XX? Computadores iguais ao meu, exceto o Pentium 4, estão por setecentos reais ou até menos. Pra muita gente, ter televisão ainda é necessidade, e ter um computador ainda é luxo.

Mas como julgar a necessidade ou luxo, essa é a questão. Já dizia Rousseau: "A ciência só existe para cumprir caprichos e luxos do homem"...

quarta-feira, 25 de julho de 2007

Olha só, férias acabando.

E eu nem sei se fizeram ou não a bendita rematrícula na faculdade. Pra ser sincero, nem dou muita bola pra isso. Ano passado foi um ano turbulento, onde aprendi a arte de saber deixar coisas de lado e não ligar para elas. Eu ando ás vezes me perguntando se isso pode ser usado tanto pro mal quanto pro bem, e a resposta vêm de forma fragmentada, meio igual a um quebra cabeça.

Quando voltava da Anime Friends, no último domingo, encontrei com a Daisy, apenas uma amiga da época de colegial. Um pouco mais velha, mas não havia mudado nada. E ela demorou a me reconhecer, e só veio falar comigo quando eu me surpreendi com a presença dela lá. E aí enquanto eu conversava com ela eu mesmo me perguntava: "O que eu mudei? Será que consigo agir da mesma forma que agia quando nos conhecemos há anos atrás?"

Ela pra variar me disse, meio que de forma irônica, que eu não mudei nada. E eu que fiquei, até admito, um tanto desapontado. Mas não fiquei tanto pq lembrei da frase de uma senhora que me disse não há muito tempo, a grande Nazaré, que "a gente pode mentir pra todo mundo, menos pra si mesmo".

Eu acho que eu me perdi, isso sim! Só tenho que me achar. Somente existe uma pessoa pelo qual eu mantenho contato antes do ano passado, resolvi me fechar e meio que "começar vida nova e mudar". Mas quando eu penso que eu teria mudado, que eu teria exatamente me tornado diferente para que eu não sofresse igual ao que aconteceu no ano que já foi, exatamente por eu não falar com ninguém sobre o que aconteceu, enfim...

E ela me me diz que eu não mudei nada. Talvez eu tenha mudado, quem sabe a minha vida não é a tal encenação que eu tanto tento estrelar. Talvez ainda eu sequer tenha mudado, e continuo a pessoa pura e ingênua de antes, que não conhece o que há de mais terrível nas pessoas, mas... Peraí!

O que há de mais terrível eu conheço. Inclusive a morte por um aspecto que poucos conhecem...

Se eu mudei, ou se continuo o mesmo, não sei. Perpetuarei na minha eterna busca para saber se o que fiz foi certo, ou errado.

quarta-feira, 18 de julho de 2007

O maior acidente da história da aviação brasileira. Simples e rápido. O que o pai da aviação, o brasileiro Santos Dumont, diria ao ver a dita evolução de seu 14 BIS causando a morte súbita de mais de 200 pessoas?

Nossa, aí que ele se suicidiria, de fato. Mas nosso grande Santos Dumont creio que se suicidaria com muito mais pesar do que quando ele oficialmente havia se matado, quando descobriu que sua invenção criada para dar a liberdade tão desejada pelo homem estava sendo usada para a guerra. Agora sem dúvida ao ver o acidente ele se mataria ainda com mais desdém.

Sabe, nem é tanto o número de vítimas. Os jornalistas querendo ou não apenas os tratam como um meronúmero, mas não vêem que até mesmo a perda de uma vida chega a ser deprimente. Dias atrás em minhas meditações, estava pensando: porque não matar as pessoas? Ideologia? Teoricamente não... Uma animal que mata os mesmos de sua espécie são apenas os humanos, e também somos os maiores vermes desse planeta, e só sabemos procriar, viver, destruir e morrer. Justiça? Talvez. Vingança é algo bem plausível pra mim, ainda mais porque odeio admitir mas tenho um sério problema pq costumo de vingar das pessoas mais normalmente do que imaginam. u_u~~ Terá uma resposta sempre pra cada ponto de vista, mas nenhuma na minha opinião bem resolvida.

Apenas uma única. A ambiguidade de ser tratado como um número ou como uma pessoa. Afinal, querendo ou não todos nós vivemos em um mundo. Cada um tem uma Terra pra cada um, onde vivemos, temos nossos amigos, temos nossas pessoas queridas. Mais de duzentas pessoas é a expectativa de mortos. Mais de duzentos mundos são destruídos, são mortos, se apagam. Se for contar ainda as outras pessoas que as conheciam irão sofrer ainda mais. Apenas isso seria um motivo plausível pra revolta, mas existe algo mais.

É o maldito dinheiro. Eu fiquei totalmente abismado, mas depois de estudar todos os pontos de vista, esse incidente foi causado por apenas dinheiro. Internacionalmente o aeroporto de Congonhas é conhecido como o aeroporto pequeno. Tem uma pista considerada minúscula que atrapalha muito. Além das casas no raio do famoso Jardim Aeroporto. Quando a administração do Aeroporto recebe dinheiro, investe em que? Em lojinhas malditas, em talvez uma troca de piso, uma pequena reforma aqui e alí no prédio e na comodidade dos usuários. E o quanto a pista? Simplesmente deixada de lado.

O que acontece além disso é que as empresas de aviação só querem mais e mais ganhar grana. Querem fazer dinheiro. Eu não vejo eles como um tipo de terroristas, mas não ideológico, mas puramente comercial. É a mesma coisa de ter uma bomba nuclear mirada em um ponto e trocar o atentado por dinheiro! Cada vez mais diminuem o preço da passagem, aumenta e muito o tráfego aéreo, diminui a arrecadação de impostos (que mesmo quando são recolhidos adequadamente sequer são usados pra fazer benditas ranhuras na pista para escoar água), mais pessoas acabam viajando de avião e o presidente das empresas vão lucrando em cima. Lucrando em cima de como se fosse uma bomba prestes a explodir a qualquer momento em que eles não podem fazer nada!

Eu já falei, eu odeio dinheiro. Odeio essa droga pela qual eu sou obrigado a lutar senão não posso sequer viver, e tampouco essas pessoas que sequer tiveram essa escolha. Eu não ligo se eu morrer amanhã, eu não tenho medo da morte. Infelizmente já encarei a minha morte de perto em circunstâncias passadas pessoas, e graças a isso perdi o medo disso. Mas a minha mãe sempre me disse, que o problema jamais será se eu morrer. Mas sim pra quem ficar aqui.

Pode chamar de egoísmo mas nem ligo muito pra isso... Mas tem gente que tem muita mais vontade de viver do que eu e acaba morrendo, parece um paradoxo. Mas o dinheiro estava aí novamente meu povão, a ganancia de poucos, lucrando em cima de muitos, a incopentência de mais alguns outros e a coisa só vai piorando.

O que chega a ser engraçado é que eu tenho até hoje guardada numa estante uma edição da IstoÉ da época do acidente do "Fucker 100" da TAM, que fez com que eu adquirisse um medo terrível sobre andar de avião. To vendo que terei que comprar a dessa semana, e consequentemente o meu terror de avião irá aumentar ainda mais.

E tenho dito!

Minha família inteira andou de avião. Me chamam pra ir, mas quando sei que é de avião, prefiro ficar em casa, faça chuva ou faça sol. Agora chovendo então, totalmente descartada.

[Foto com os créditos da Agência Estado.]

quinta-feira, 12 de julho de 2007

Uma corrente de um rio segue para um local. Não importa, ar, terra, peixes, tudo é tragado e levado com ela. Não é como o mar, onde a liberdade e a palavra é navegação. No rio, uma única correnteza te leva para um único local, você não tem escolha.

Imagino as escolhas e atitudes das pessoas como uma grande correnteza. Tudo é tragado por ela, e uma vez tragada você deve se adaptar a ela, ou aceitá-la. A escolha mais simples que você pode fazer é segui-la, e ela te levará para um lugar em comum com os outros elementos que também fizeram tal escolha. Independente do seu destino, saiba que jamais estará sozinho, pois muitos irão com você e dividirão o mesmo trajeto.

No final todos se encontrarão, e não importa se for ruim ou bom, todos se encontraram. Um imenso cardume pode se dirigir, uma família inteira, e lá eles vão. Alguns fracos de mente seguirão os outros exatamente por temerem suas escolhas e não querendo se sentir sozinhos. Outros, desistirão de enfrentar a correnteza e irão apenas ser levados. Outros sabem que podem passar, mas por uma imensa humildade jamais passarão.

O outro tipo irá lutar com todas as forças para ir contra a correnteza. Talvez tenha um ideal, talvez não. Talvez tenha um objeito, ou ainda não. Ou quem sabe algo que o fortaleça, ou apenas influência de um primeiro peixe que encontrou com a água pura da nascente do rio.

Existe ainda um outro que prefere ainda não arriscar-se nem por um, nem por outro. Que não se deixa ser levado, mas também não luta contra, prefere ficar estático em seu local calmo, apenas vendo a vida passar.

Eu sempre me achei como um idiota que vai contra a correnteza. Não adianta, sou teimoso! Mas nas minhas meditações eu procuro uma resposta. Pra quê? Gosto de meditar, e quando tenho tempo eu medito mais ainda. Eu não costumo meditar na clássica posição de lótus, mas sou um adepto da meditação enquanto eu ando. Gosto de andar distraído nas ruas pensando na vida. Até um carro me pegar me cheio, claro. Mas como isso até hoje graças a Deus não aconteceu, eu continuo a minha caminhada.

É bom pensar, é bom meditar. O problema é que eu penso demais e isso ás vezes acaba com a graça de umas poucas coisas boas da vida e acabam me levando para tanto conclusões benéficas como maléficas. Pode chamar isso de algo como filantropia mas ao mesmo tempo pode considerar como uma reação totalmente maquiavélica. Pois bem, duas conclusões.

A primeira é no simples quesito de ser exibido. Eu gosto de me exibir, sou chamativo por natureza, mas chamava mais atenção com cabelo vermelho. Mas gosto de que as pessoas prestem total atenção em mim e que se foquem em mim. Claro que quando eu cheguei nessa conclusão eu vi que, se eu vou contra a correnteza é apenas para chamar a atenção? Apenas pra isso?

Como sou contraditório até comigo mesmo, andei pensando ainda mais...

E cheguei a segunda conclusão. Talvez eu chame a atenção sim por ser diferente dos outros. Mas ao mesmo tempo sempre gostei que todos me tratassem igual ao que os outros tratam e igual eu os trato. É exatamente por "ser diferente" e "chamar a atenção" que eu tento lhes mostrar que é esse o caminho. É algo como uma grande campanha publicitária, onde eu crio um novo produto que chama a atenção por ter aquele rótulo verde-fluorescente na plateleira, mas ao mesmo tempo quando você abre e vê e usa o produto, você vê que era aquilo que você sempre precisou, que facilitou sempre e muito sua vida daquele ponto em diante.

Não gosto de seguir as pessoas em sua totalidade. Gosto de desafiar o desconhecido e ir por outros caminhos. Ora, ora... Eu já estou perdido mesmo! E como o caminho em que trilho não há ninguém do meu lado, aqui vou eu sem medo. Se alguém quiser me seguir, siga as pegadas no chão, pois nesse momento já estarei longe. Muito longe. =)

quarta-feira, 11 de julho de 2007

Tanabata é a palavra! Ou melhor, na verdade é o evento!

Na Liberdade, famoso bairro oriental de São Paulo onde tivemos apresentação da cultura típica oriental, além da clássica feirinha de fim de semana que tem lá, comida deles mesmo, comida nem tanto deles (churrasquinho de gato em uma das tendas), mas acima de tudo: pessoas, muitas pessoas. Sim, era um caos andar por alí, que já é cheio nos finais de semana agora estava mais cheio ainda!

Isso no sábado e no domingão. No sábado fomos eu, Ivo, André e Gabi para o videokê! Uhul! Eu e o André chegamos na hora, mas onde tava o Ivo? TCHARAM! O ônibus quebrou! HEuhUAEhuea... DE NOVO! hUEhauhea =XX

Mas deu pra nos divertir. Infelizmente as fotos tão com o Ivo e depois ele nos mostra, eu só estou hoje com as fotos principais do domingo mesmo. Porque enquanto estávamos tendo alucinações gastronômicas e "gargantais" com a pimenta de um arroz com curry que resolvemos comer, foi o bastante para marcarmos no dia seguinte a ida ao Tanabata, mas dessa vez só pra comer mesmo. =)

E fomos lá! E advinhem: mais uma vez o Ivo se atrasou! uhEIUhAUIehEUa... =XX To brincando meu caro amigo, até pq eu me atrasei. Mas já tinha avisado até no dia anterior que seria meio complicado chegar lá na hora... ~_~ Enfim... Fomos então comer, e eu estava com a minha câmera metralhando para todos os lados. (agora com esse novo pente de memória de 1 GB agora eles vão ter que me engolir! huhuh!)

A primeira foto é da... Quem era ela mesmo? xD Dani Suzuki, a apresentadora do Multishow. Sim, ela foi comer na nossa barraquinha enquanto estávamos comprando...U_U~~ O que foi o bastante para atrasar o já atrasado atendimento. Depois da minha praga (que foi ela ter queimado a boca, huhhuh! BEM FEITO) e depois de eu inclusive ter tirado uma foto dela no momento que eu a lancei a maldição por ter nos atrasado, aqui está ela, meio desfocada... u_u~~

Ah, e lá perto tinha uma tia, acho que curiosa pra ver a tal japonesa, e ela tava com um sorvetinho e fazendo caras e caretas (acho que era dente sensível. Eu tenho, e só quem sofre disso sabe as caretas que a gente faz) e eu tinha que tirar foto da velha, heuahuea... E não resisti. Esperei o momento dela novamente abocanhar o geladinho e... Click! É essa segunda foto, que rendeu risadas. o_o~~

(Sim, até alguém me processar, tá valendo, euaheuaehua!)

Ficamos ainda andando em busca agora de refrigerante. Que encontramos em lugar nenhum. u_u~~ Andamos toda a Galvão Bueno e não tinha uma lojinha sequer com um refrigerante dois litros. Sim, somos exigentes claro, e só dois litros pra matar a sede depois da srta Suzuki ter nos atrasado. ¬¬ Ela bem que poderia ter nos pago, isso sim. =P

Ah mas achamos depois uma lojinha onde tinha refrigerante. Sim, enquanto eu paguei R$ 2,50 numa garrafinha pequena de Fanta Laranja, o Ricardo fez uma geraldisse e comprou uma garrafa de dois litros d chá verde por R$ 3,20... ¬¬ Cara tava no lugar certo na hora certa, heaheuaheau...

E aí fomos comer, aleluia irmão! Argh, não presto pra ser japonês não. Ao menos se for pra comer PEIXE. Sei lá, peguei um pedacinho de um bolinho lá de frutos do mar e teimei a engolir. Odeio o sabor, a textura e o fato deles morarem na água. É impossível algo morar embaixo da água! Eles são filhos do demônio! Os peixes são criaturas extraterrestres!!!!

Deixando a neura de lado, Ainda comi um bolinho de carne de vaca excelente. *o*~~

Thanks for Gabi! o/ Nas fotos ae são o Ivo todo feliz ao comer e em cima o bolinho gigante e André, ehhe... Depois fomos ver a batucada do Olodum japonês (inclusive eu gravei ^^) e o Ivo e o Ricardo subindo em um jardim alto próximo do metrô e me chamando para ir. Cai fora, não posso ficar em locais altos nem a paulada. Mas o Ivo subiu e gravou pra mim (valeuuu!). Ah, foi um dia bom, hehehe!

Mas o pior foi o mendigão da Liberdade conversando com o Ivo e a Gabi. O André também tava no meio mas conseguiu escapar. Quando eu cheguei depois de ter ido numa mercearia ali perto para comprar umas balinhas orientais de leite (são deliciosas, diga-se de passagem!) e quando eu voltei lá vem o André "Cara, o mendigo tava conversando comigo e eu consegui escapar, agora ele tá lá conversando com a Gabi e o Ivo!"... HEuhAEuAHEuHEUAheuEhuaheiheI!

E ainda tirei foto ainda. Estavam falando não sei o quê. Mas foi um encontro com uma das figurinhas carimbadas da Liba, o mendigo da Liberdade! ehuAEuHEa... Valeu a pena! =D

Sim meus caros, amigos são pra isso, yeah! E ainda foram lá pra casa do Ivo continuar a festinha, mas não pude ir pq já tinha dito aos meus pais que estaria em casa ás 16h... E quando eu cheguei já tinha passado das 16h. ^^"

No mais, Anime Friends que nos aguardem, eaiuehiauheaiu!!!

terça-feira, 10 de julho de 2007

Foto novinha, heheh! Ao fundo, azulejos da cozinha.

Hoje, mais um belo dia. E diria ainda mais, as férias estão sendo ótimas, até agora. Joguei Ragnarök de maneira insana na semana passada e até ontem. Fui do nível 90 até o 93... E estou exausto. =P É sério, enjoou! xD~~ Ao menos por hora vou dar uma pausa. Eu também mereço. u_u~~

E descompactei o single Ain't afraid to die do Dir en grey e estou simplesmente tendo total prazer, yeah! É muito bom. Hoje fui na casa da minha tia Cláudia, que não via há anos. Minha tia favorita, diga-se de passagem, simplesmente adoro ela. Mas richas familiares as vezes nos impedem de estarmos juntos de quem amamos. Mas foi tranquilo. Ainda fomos fazer compras. Resumindo: Essas férias tão ótimas. Fui de novo naquele mini-evento do metrô da Liberdade no domingo com o Ivo, André e a Gabi e ficamos lá nos divertindo, falando com os mendigos (EU TENHO FOTOOOO DO IVO E A GABI FALANDO COM O MENDIGO DA LIBA! HEUAHEUAHEU!!!), comendo yakisoba e um bichinho de lula lá que eu quase passei mal qd comi, mas tirando isso foi um dia memorável! Logo postarei fotenhas. =)

Anime Friends chegando! Hohoho! Enfim... Acho que é o quarto seguido! Vamos que vamos. Logo logo aniversário da Naiara e ela terá surpresas! Vou dar um presente pra aquela feiosa que faz três dias antes de mim. =D Afinal, ela me deu o melhor presente da vida ano passado e não sei como retribui-lo, embora sei que talvez passará a vida inteira e jamais consiga dar um presente que se equipare ao daquele dia. =)

Bom... Tirando meu passado da reta pq odeio falar dele, vamos lá! Hoje quero falar da maior merda que já foi feita. Eleição do Cristo Redentor como uma das novas sete maravilhas do mundo. Gostaria de parabenizar aos idiotas que tiveram essa idéia maluca de fazer com que aquela estátua de pedra sabão como se fosse uma maravilha. Que saco! E como aquilo ganhou da estátua da Liberdade e do Borba Gato? EHuaheua.. Ok, Borba Gato foi realmente foda. =P

E não adianta. Não sou patriota. A única coisa que eu gosto dessa merda de país, e ainda em poucas partes, é um pouco da cultura e do povo. De resto, odeio praia, samba e calor. Não nasci pra morar aqui e sei disso. Mas voltando ao Cristo, é uma vergonha. Mais vergonha ainda é um zé mané do Big Brother Brasil vir na TV e pedir com aquele jeito sem pé nem cabeça pra eu votar. Aí que eu não iria votar mesmo!

O que acontece é que, por mais que elejam aquela droga de monumento como uma maravilha, as pessoas esquecem de que existe ao lado pessoas morrendo por invasões da Polícia "tentando mostrar serviço matando a tudo e a todos". Preferem clicar num site sem noção pra votar uma estátua que mais deveria estar com as mãos pra cima pelo crime que acontece abaixo dela do que do jeito que está, em forma de "T". O que acontecerá? O básico. Muitos mais gringos irão querer ver nossa obra do Heitor da Silva Costa.

E esses gringos farão os já ricos que faturam com o turismo carioca mais ricos, que contrarão mais pessoas pela mesma micharia/hora, que aumentará a população, que subsequente procurarão abrigo nas favelas e lá vamos nós para o ciclo que se renova. ><~~ Atrairá mais violência ainda para o país, que já não suporta a atual. Não ligo pra que os outros países pensem dessa merda. Merda é merda, não importa o quanto disfarce, sempre terá a cor, o cheiro e consistência de bosta característica. Exceto que transformem a merda em algo útil, não será a eleição de um monumento religioso qualquer que mudará alguma coisa.

Sem contar que foi um tanto estranha essa votação, enfim. o_o~~

O que eu digo é o que sempre vemos nos noticiários, revistas, nas ruas... Querem que sintamos orgulho de sermos brasileiros por termos uma das sete maravilhas do mundo aqui. Querem que nos escondemos por detrás de um patriotismo idiota, que amemos nossa terra que ainda persiste em eleger idiotas para governar, onde os ricos mandam no país, e temos fama de ser o eterno país de festa, carnaval e agora, ethanol. ~_~

Me desculpem, podem eleger até a coitada da estátua do bandeirante Borba Gato como maravilha, mas não posso deixar de enquanto ando pela cidade ver crianças vestindo farrapos, pedindo dinheiro, párias da sociedade sem nenhuma chance, favelas onde a criminalidade nasce, cresce e se reproduz, embora nunca morra, ladrões com terno e gravata que provam que a caneta sempre será mais forte que a espada, que vivem no exterior enquanto mandam idiotas serem patriotas, enquanto estes pobres continuam a se submeter ao diabo cantando que a "vida é bonita e é bonita".

Ah, vai se fuder. Se quiserem ajuda, posso pegar uma picareta aqui em casa e ajudar a derrubar o Cristo. Querem disfarçar uma idiotisse pra esquecer do real. Sinto muito... Nessa não caio.

domingo, 8 de julho de 2007

Sim! O primeiro de um dos muitos livros que "não existem mais" eu já encontrei! =D

Thanks ao sebo que eu achei, o livro que eu até tirei foto, o Exilados da Capela, que eu li há alguns anos e desde então tenho o procurado. Um dos livros que eu procuro já foram achados, agora tenho já outra meta! O livro que foi publicado em poucos volumes da tradução do lendário Marco Polião Vitrúvio, um romano que havia feito uma pesquisa já naquela época de toda a formação arquitetônica e o que o ser humano realmente precisa. Que foi encontrado na época da Renascença e desde então ganhou o título de Da Arquitetura (Da architectura, no original).

Torçam pra que eu ache! hehhe... mas talvez até se perguntei pq diabos estou procurando um livro sobre arquitetura se eu nem estudo mais. =\ Mas esse livro eu gostei. Alias, muitos dos escritos dos romanos são sempre atuais, não importa. É algo que talvez pareça um instinto humano, que foi a romanização do pensamento e das ações da psiqué humana e isso acaba sendo tão foda, mas tão foda, que... Oh damn it!

Oh sim, gostaria de agradacer ao André, Gabi, Ivo e Ricardo pelo excelente dia hoje. É bom sair com o pessoal, mas melhor ainda sair com os amigos. Não sei se chamaria pessoas assim tão rápido de amigos, mas esse nosso grupinho vai dar o que falar. Não sei, vou ser sincero, conheço um bocado de gente. Mas intimidade e amizade é outro papo. Com amigos você pode ser o que você é na real, pode falar a vontade, besteira, peidar (Naiara que o diga =P), e... Enfim. Resumindo: amigo é outro papo.

E com eles eu me sinto assim. o_o~~ Foi bom o dia hoje no karaokê, mesmo cantando pouco, mas nos divertimos, isso que é o mais importante. Amigos, sei lá... Me dá vontade de acreditar que existam muitas mais pessoas boas do que o idiota ao qual eu me refiro como "eu"... São sinceras, sabem brincar mas acima de tudo levam um papo sério e te ajudam quando você cai. E cair é a coisa que eu mais faço. =P~~

Não adianta, comigo é bem à la gaucho mesmo. ou é oito ou oitenta. Ou tou muito bem ou muito mal. =P~~ Mas ainda temos uma longa vida para isso. E vou aproveitar pra desejar tudo de bom pra minha irmãzinha querida que vai pra Bahia agora, nossa terrinha, estudar lá. ^^ Espero que dê tudo certo, e ela já marcou já Anime Friends 2008!

Sim! 2008 promete. =P
That's all folks.

segunda-feira, 2 de julho de 2007

Apenas uma foto aleatória de crianças sorrindo. Eu gostaria de na infância ter sorrido como elas...

Uma coisa que eu posso afirmar foi a minha falta de infância. Por isso mesmo, por ter sido uma criança constantemente que levava todo o tipo de castigo exatamente por ser criança, que me esforço para fazer com que toda criança que eu conheça seja feliz. Eu brinco, me esbaldo, mesmo eu não tendo mais meu corpinho da adolescência, acabo perdendo os limites e já quase cheguei a literalmente cair de cansaço. Quero dar a todas as crianças a chance de serem crianças, que por causa da educação rígida de meu pai, que brigava e nos humilhava quando brincávamos ou tentávamos ser crianças, quero que todas elas tenham o que não tive.

Cada dia que passa eu infelizmente afirmo que não tive um pai. Tive um sustentador. Um homem que pagava minhas contas, videogames, salgadinhos, televisão... Não posso dizer que não aproveitei, mas isso me custou uma infância obesa, onde eu era constantemente inferiorizado pelos "amiguinhos" da escola por ser o "gordinho sabe-tudo"... Mesmo ele apenas sustentando por um lado, sequer participava da minha vida, exceto na escola, onde seu papel era de carrasco. Afinal, ele não entendia como uma crianças ás vezes tirava notas ruins nas escolas, ameaçava, gritava, humilhava, todos os tipos do que a constituição chama de "violência branca", que de branca apenas tingiu com um cinzel triste por toda minha infância.

Toda a cobrança, a ordem de CRESÇA, fazendo com que hoje eu com dezoito anos me sinta um velho com quase trinta. Afinal ele sempre aumentava minha idade. Com sete, me xingava dizendo "você já tem dez anos!". Com 12, ele dizia "você já tem quinze!", com quinze ele já dizia que eu era um adulto. E isso criou-me complexo de idade, com a qual eu não a reconheço, pois sempre fui obrigado a crescer, e não crescer naturalmente como todos meus amiguinhos.

Mais talvez o mais triste, sejam ainda reminiscência que perpetuam em minha mente...

Hoje estava vendo a mulher do sequestrador do ônibus da Dutra que o perdôou. Lembrei de minha infância, mais tenra de todas, a minha infeliz lembrança mais velha da minha vida que eu tenho memória. Infelizmente não é a sensação do leite morno de minha mãe, tampouco aquele banho morno na minha pequenina pseudo-banheira... É algo muito mais triste.

Um garoto ao fundo chorava. Estava trancado no quarto. Sua cabeça estava enfiada no travesseiro. Este, estava levemente gelado. Ao mover seu rosto, sentia que água estava impregnada nele. Não era uma goteira. As gotas eram lágrimas que caiam de seus olhos e pousavam calmamente no travesseiro.

Ao fundo, vários gritos. Ele não conseguia entender muitas coisas, era apenas uma mera criança. Conseguia ouvir a voz de seu pai sobrepujando a da mãe, que tentava conversar com ele. Parecia impossível, mas o pai sempre aumentava o tom da voz, mais e mais. A mãe parecia tentar retrucar, mas já era tarde.

Ela, criada numa época e numa filosofia de vida onde as mulheres eram inferiores e não tinham nenhum direito sobre "aquele que põe comida em sua boca", havia presenciado a pobreza de vários aspectos. Escolhera o marido exatamente por isso, homem trabalhador, que sustentasse e lhe garantisse uma vida melhor do que a que tivera com seus três pobres irmãos que vieram da Bahia. Ele, um homem criado numa clássica família italiana á moda antiga. Era o bonitinho da escola, onde as garotas viviam dando em cima dele sem o menor escrúpulo. Havia sofrido sem precendentes da mão de seu pai, um velho que acreditava na violência como forma de amadurecimento. Ele carregou essa filosofia como sua marca.

A discussão começou a piorar, até que um som de um baque violento cessou as palavras da mulher. O homem resmungava em volume alto algo, e a mulher se derramava em prantos no chão. O olhar do homem era de puro sadismo, o sadismo de um homem violento que havia encontrado sua presa. A dela, a de uma fraca mulher, que não sabia o que fazer a não ser abaixar a cabeça pro marido. Ele a espancou.

Momentos mais tarde, a mulher entrou no quarto da criança mancando. A criança tentava enxergar, mas tudo estava embaçado. Seus olhos estavam desfocados graças a uma corrente de lágrimas que se hospedara ali, e teimava não cair. A mãe, deitou-se na cama, chorando tristemente e passando a mão no rosto de criança. Não chore... Não precisa chorar. Mas a criança não sabia como aquilo apertava seu coraçãozinho...

Seu coraçãozinho frio estava nascendo alí.

Alguns minutos mais tarde o homem entrou no quarto. Parecia que havia tomado um banho, e talvez sentia-se com o dever cumprido, pois havia mostrado a mulher ser superior. A criança então conheceu o cheiro que ela saberia que carregaria a vida inteira. Um cheiro que exalava morte... Álcool. O homem estava certamente um tanto bêbado, e juntando com o estresse, havia cometido isso contra sua mulher.

Quem pudera que isso fosse apenas uma vez. Dias após dias o homem bêbado chegava, brigava, espancava e ia dormir. Parecia algum tipo de esporte. A criança não sabe ao certo quantas vezes foram, mas foram as necessárias para marcar-lhe na memória de tal ato de brutalidade e desonra à mulher.

Eu bem que gostaria de dizer que essa estória foi algo inventado agora, apenas para trazer audiência ao blog. Mas num mundo onde ainda mulheres sofrem nas mãos de maridos ou namorados, é triste pensar que ainda exista isso. Minha mãe sofreu de violência doméstica nas mãos de meu pai, onde eu era o expectador. Gostaria de dizer que isso era mentira, mas não consigo.

Até hoje, meu pai já deixou a violência de lado, e usa uma abordagem muito mais torturosa e "branca" de acordo com a lei. Ainda consigo sentir aquele cheiro de bebida impregnado nele. Somos todos vítimas infelizes disso, e eu sendo um filho deles tive que crescer com mais um dos muitos traumas que meu pai me deu.

Isso é pras pessoas que insistem em dizer que sou uma pessoa feliz. Não sou. Sou um palhaço, o que eu quero é fazer os outros rirem, onde até minha maquiagem não mente: sou no fundo, triste.

Tenham um bom dia.

domingo, 1 de julho de 2007

Foto tirada esses dias. Parece uma capa de CD, heuaheau... Meu cd de música Country! xD~~

Sim, eu gosto de country. ~_~'

É humilhante um amante do bom e velho metal como eu dizer isso, mas não posso mentir pra mim mesmo, hehe... Tava revendo alguns clipes e músicas da Shania Twain e, nao vou dizer que voltei ao vício que tinha por ela há alguns anos, mas é bom relembrar boas músicas.

Eu peço desculpas também a todoooooooos... Eu disse que entraria um pouco mais no MSN durante as ferias e tal e não estou cumprindo o que disse. Mas é por um bom motivo! Juro. É Ragnarök Online, se eu não aproveitar esse período de experiência dobrada não vou conseguir evoluir o meu personagem, e só falta apenas oito níveis para o último. Quero ver se pego pelo menos mais um e paro no 92... Aí só irão faltar sete!

Postagem rápida pq estou feliz por alguns motivos: primeiro que o meu PC está limpo e não desligará mais sozinho. Segundo porque eu vi que um pente de memória o tio faz aqui perto de casa por 130 reais (Banco Central, não aumente o dólar!!) e terceiro é... É segredo! Mas as férias acho que prometem. Inferno astral começou e até agora só aconteceu coisa boa. Espero que não seja como o do ano passado. u_u~~

E, nossa... Logo logo daqui a 21 dias meu aniversário. Cara... Dezenove anos. Eu diria, ainda até. Espero que isso que eu sinto do tempo estar passando lento demais não fique numa velocidade insana daqui a alguns anos. Tenho que me manter a postos e não deixar o tempo passar mais rápido. E só mais um recadeeeeenho: voltarei ás atividades normais dia... Err... Na quinta eu acho. Se a dupla experiência do Ragnarok não se prolongar. ><'

No mais, encontrei a Naiara dia 26! \o/ E dei pra ela o resto dos mangás do Samurai X e meu óculos escuros... o_o'~~

Ok, ela é uma boa menina, e ele cuidará direitinho dos meus meninos. Ela tem mesmo, quando não está com raiva, cara de "mamãe"... Hehehe! Meio estranho, até pq ela é mais nova que eu, mas é ela que me faz sentir mais velho, pq somos "pessoas crescidas no corpo de moleques", além de ela não sei como consegue me entender melhor do que eu mesmo me entenda. i_i~~ E ela que me ensinou a ter mais frieza e não ser tão inocente.

Considere-a uma consultora minha. Governanta de mim mesmo, euaheau... No mais, uma amiga muito importante. ^^

Chega de falar dela senão vou começar a chorar (sim eu choro por pouquíssimas coisas... Ainda!) e vou lhe render homenagens. Afinal essa tia aí já é passado.

Feiosa... ;X

Arquivos do blog