quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Beijos, abraços e afins.

Foto antes de cortar o cabelo. o_o~~

Na verdade eu pedi pra ele cortar um pouco a franja, só que cortei até demais... Agora estou parecendo o John Lennon virgem antes de conhecer a Yoko Ono...

Estou com uma dorzinha de cabeça irritante que está quase me tirando os nervos. E ela não passa e eu to começando a ficar muito irritado. Descobri com o Google Maps a exata latitude e longitude em graus decimais da localização da minha casa, hehehe... Bem inútil né? Mas isso me lembrou o primeiro colegial, quando uma professora de geografia contou-nos a seguinte estorinha para ensinar algo:

"Digamos que vocês estão de férias. E como sempre vocês fazem, estão lá em Marte. Lá, bem longe daqui, vocês conhecem uma marcianinha e querem dizer pra ela onde ficam suas casas. Vocês apontam pra aquela bola azul no céu e falam o quê?"

(Agora ao menos se eu encontrar uma marciana tenho todos os números de latitude de longitude exatos de casa...)

Bom, sem mais. Estou meio sem assunto. Tinha planejado algumas coisas pra esse fim de semana, porém tudo foi pro espaço como de costume. Tudo bem, a vida continua. Uma vez numa taróloga ela me disse que eu viveria durante muitos e muitos anos, mas quanto mais vai passando os dias, vou perdendo essa vontade de viver cada vez mais.

Lembro da primeira vez que eu me recordo de quando conheci a morte. Anos mais tarde fiquei sabendo que eu já havia escapado da morte no meu nascimento, mas essa segunda história mais antiga fica pra depois.

Nessa vez que eu quero citar hoje, eu tinha seis anos. Meu pai me levou para ir assistir ao Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 (até parece que a frase está decorada do evento automobilístico). Não me recordo muito bem, mas enquanto tentávamos entrar, meu pai disse algo como "Vamos pegar ingresso com aquele cara ali". Pouco depois de comprarmos nossos ingressos um segundo homem puxou uma pistola semi-automática pra roubar o cara que tava vendendo.

Lembro-me de ter ficado um tanto maravilhado. Parecia cena de filme! Uma morte heróica, na frente de tantas pessoas. Já sabia o que era morte desde minhas memórias mais longíquas. Meu pai demorou um tanto a reagir, talvez pensando que eu correria de medo, e me puxou ferozmente pra salvar minha vida, claro. Mas mesmo ali já não temia a morte.

Anos mais tarde eu comecei a ter mais medo dela, mas devo dizer que era por garotas. Afinal, eu queria viver para ter algo a mais com aquelas coleguinhas da escola que a gente sempre esteve de olho. Mas de resto, nunca tive tantas ambições. É algo como "quando se tem dinheiro, não se tem amor", e vice-versa. Por eu ter sempre videogames bons, computadores, TV por assinatura, e nunca ter recebido como as outras pessoas "amor", acho que cresci complexado. o_O~~

Quando recebi o meu primeiro abraço foi num evento de anime, eu acho. Pra ser sincero eu não as conhecia nem há tanto tempo, mas por as garotas otakus (tradução literal: fã de animes/mangás/cultura nipônica em geral) serem mais carinhosas, quando eu recebi um abraço uma certa vez fiquei tão sem jeito, tão vermelho, afinal não tinha provado tanto daquela sensação na vida. Como já disse, meu pai sempre preferiu dar dinheiro do que dar amor, então já estava mais do que acostumado com aquela filosofia, mas ali naquele momento vi o quanto abraço pode ser bom, e como uma coisa tão simples me deixava tão bem. ^_^

Até hoje tenho essa queda por abraços, embora eu sempre dê um tapinha nas costas de companheiro, dificilmente eu abraço as pessoas com os dois braços e todo aquele aperto carinhoso. Chega a ponto de eu beijar e dificilmente abraçar. Se fosse escolher, preferiria abraçar, e falo sério. Não que dar um beijo fosse algo bom, mas eu sou daqueles que quer que seja memorável pro outro, não tanto pra mim. Embora ninguém tenha reclamado até hoje. Mas abraço é tão mais intenso, vigoroso, enfim... É único. Melhor que sexo, chocolate, drogas, Ragnarok, beijos, enfim. Não tenho que me agradar a outra pra eu ser chamado de bom de cama ou bom de beijo, abraço é simples, quente e conforta as pessoas.

Acho que eu estou tendo muitos relacionamento com mulheres cachorras ultimamente, isso sim. =P

Bouna sera. =)

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog