domingo, 28 de outubro de 2007

Esposa e filhos

Não gostei da foto. Mas como é da série "I love my Katana", heuhaeua.. xD

Lembrei de uma amiga nesses dias que jogava Ragnarök comigo. Era meio bobinha, um tanto ingênua. Mas aparentemente me conhecia muito bem e sabia dizer palavras certas. Pena que acabei brigando com ela, enfim (na verdade até queria brigar com ela... u_u)...

Um dia estávamos jogando e ela virou pra mim e disse: "Você tem que parar de viver olhando pro seu passado. Você só terá um futuro quando deixar de viver do que já se foi". Bom, eu sou meio cabeça-dura e dificilmente seguiria isso. Como eu sempre falo eu sou um eterno devedor do meu passado. Fiz muita coisa de errado lá atrás, magoei muita gente, fiz muita coisa errada, e ainda sei que tenho muito a pagar pelo que eu fiz de errado antes e tenho que pagar no presente e arrumar tudo, caso contrário não creio que terei um futuro.

É uma seqüência de erros e merdas que fiz que eu não conto a ninguém até porque eu odeio falar de meu passado, pros curiosos de plantão (leia-se ninguém). ^^

Na época eu a respondi que não poderia pensar no futuro se o meu passado ainda está lá pra me reprimir dizendo "Não faça isso porque você sabe no que vai dar!" ou "Você fez coisa bem pior, tem que tomar mesmo muitas chicotadas pra pagar pelos que você fez!". Logo, teria que arrumar. Questão de combinação, afinal não posso ir lá na frente no futuro acabar sofrendo porque não arrumei um erro ou uma tolice que fiz lá atrás. É um coisa do meu espírito, que luto sempre pra arrumar e tentar deixar do lado as coisas horríveis que fiz.

Aproveitando que estou falando de passado, hoje vi pelo Orkut o profile de um antiguíssimo amigo meu. Estudávamos juntos da terceira até a sexta série, ainda continuamos a nos falar depois, mas depois que eu deixei a escola antiga eu perdi contato totalmente. Não sei o que ele faz, nem tenho o anseio de saber, mas ao visitar o álbum dele me deparei com uma foto de uma mulher grávida como legenda "Que delícia, essa é a mulher da minha vida", e embaixo uma foto dele com um recém nascido dizendo "Essa é a maior emoção da minha vida".

Não é claro ele o meu único amigo a ter filhos. Na verdade posso contar tranquilo dos dedos das duas mãos os que já são pais e mães. Mas é engraçado como esse tempo louco vai passando. Lembro-me dele ainda nas aulas que um professor nosso dava de algo como "Educação Sexual", onde nós moleques na época haviamos descoberto coisas deveras... Precoces pra nossa idade. Aquela fase da puberdade que todo mundo já passou ou vai passar. A gente na época morria de dar risada quando descobriu como as mulheres se masturbavam, hahaha... *capota.. Sim, é vergonhoso, heheh, mas tinhamos dez anos aproximadamente*

E agora o cara tá lá, com uma mulher, morando junto e fazendo filhos. Cara, eu sou muito encalhado mesmo, hahah... Como diz a minha tia, eu sempre penso muito e é aí que mora o problema. Seja Angela, Naiara, seja o diabo, seja alguma mera transeunte. Não digo que quero ter filhos, longe disso. Na verdade eu tenho um pouco de receio sim, pq lembro de ter feito uma vez a brincadeira da agulha e depois dela dar certinho com meu irmão e minha mãe comigo a agulha não parava... Meu irmão terá um casal e mais um, minha mãe deu certinho: dois meninos. Comigo a agulha não parava, hahaha... Foram mais de vinte, vinte e dois filhos eu acho. Parei ela na hora e disse: "CHEGA!", heauheau... Nem vi até quantas dezenas de filhos teria, pq a agulha não parou! Comigo essas coisas não dão certo, até pq tenho uma série suspeita que eu seja estéril por ter tido caxumba há cinco anos. Tudo mulher também... Só uns sete meninos dos vinte e dois.

Pelo visto as dores de cabeça não acabarão (se multiplicarão, ainda mais com quinze donzelas pra cuidar). Mas fico vendo meus amigos tendo filhos, casando, envelhecendo tanto quanto eu, e fico pensando: será que é tão importante assim eu ir contra a maré? Algo como você vê que todos vão pra um lado, e você insistir em ir pro outro lado, mesmo que tal caminho seja sombrio, solitário e sem ninguém.

Me pergunto se eu tivesse sido influenciado por alguns amigos eu seria isso que sou hoje. Se eu seria um "jovem antenado" ou um "velho rabujento e careta". Eu felizmente sempre fui influenciando eles, mesmo pro bom ou pro mau caminho, mas quase nunca influenciado. Pergunto ás vezes se seria mais fácil falar gírias, pegar qualquer mulher por aí, somente agir por instinto... Ou quem sabe me juntar a alguma meretriz e ficar fazendo filhos adoidado, enfim.

Afinal o que é importante pra mim? O que me move a ser tão diferente? Francamente ainda me pergunto a fonte disso, se é influência ou escolha. Ficar revirando passado atrás de respostas, logo ele que tanto ódio e tristeza me traz. Bom... Se eu sou o que sou hoje isso se dá pelas minhas escolhas, isso é fato. Nossa, isso está ficando muito confuso. Cada vez mais... =P

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog