terça-feira, 25 de dezembro de 2007

Os lugares, e os nossos lugares.

Começando com um desenho meu muito velho. Com certeza foi desenhado no início de 2003, colorido ainda em meados de 2003 e o achei num servidor perdido meu no Terra.

Nos dias sem PC resolvi sair por aí. Fui na segunda-feira andar pela área da Praça Júlio Prestes. Na terça fiquei em casa, na quarta-feira voltei lá. Mas foi rápido. Passei por alguns locais que são importantes pra mim. Entre eles aquela esquina na frente da faculdade de Direito da USP, entre a Rua Senador Feijó com a Cristóvão Colombo. Lá vi uma estátua de um casal se beijando. Lembrei-me do beijo que dei nela naquela noite, e o quão feliz havia me sentido aquela noite, e o quão triste me senti há pouco. Fui ainda na Liberdade, passear por aquele restaurante. De ônibus observar a Vinte e três de Maio onde andávamos de carro junto, e na volta dar uma olhada naquela esquina do Shopping Ibirapuera, que também tornou-se especial para nós.

Sem PC, fui tentar relaxar um pouco. Vi meu irmão vendo um programa na Record, onde o repórter estava na Liberdade. Não agüentei, saí de lá com os olhos nublados e deitei-me na cama.

Naquela esquina que dá no Largo São Bento me posicionei bem na esquina. Haviam muitas pessoas lá, e apenas de virar o olho pro nada consegui reconstruir cada segundo daquela noite, quando éramos apenas nós dois.

Mas isso, infelizmente é passado.

Ao terminar o quadro, ouvi alguns comentários interessantes a respeito da pintura minha das Moiras. A primeira é que a Naiara no quadro saiu com os seios caídos. Eu infelizmente sou péssimo pra anatomia feminina, embora com todo respeito às donzelas, a anatomia delas seja particularmente fácil. Tão fácil, que chega a ser idiota. Estou sendo sincero, isso não é de nenhuma forma desrespeitoso. Compare o corpo de um homem com o de uma mulher e vocês vão entender. Homens têm mais músculos, volumes e proporções tão assimétricas que é extremamente difícil, enquanto o corpo feminino é particularmente fácil. Mas seios e coxas eu ainda sofro muito pra fazer, e sempre saem grandes demais ou caídos demais.

A segunda é que a Lakhesis, a do centro, ficou parecida com minha mãe. o_o~~ Embora eu tenha até colocado a pinta no rosto que a mulher que eu de fato me inspirei tem, e que não é minha mãe. Até os olhos puxados tão lá... Mas vendo bem, não ficou tão parecido assim mesmo.

A Atropos, a do lado direito que dá a morte, dizem que ficou parecida comigo. Mas achei muito parecida sim com a garota no qual eu me inspirei. Mas ainda pra ser tão bom quanto a dos antigos, resolvi ir buscar inspiração direto da fonte mais próxima.

Lá vamos nós então pra arca do tesouro de obras classista de São Paulo, a Pinacoteca do Estado. Como é de se esperar, não gosto muito de nada que tenha relação com este país. Mas os classistas eu tenho alguma admiração, embora nenhum entre na minhas lista de favoritos. Tive então algumas noções de como fazer pessoas vendo os quadros lá e muitas idéias brotaram.

Depois fui na formatura da minha amiga do cuore, Naiara. Ela tá lá no quadro, é a minha Clotho. =)

Tenho que pegar meus mangás com ela. Mas estão em boas mãos. O namorado dela tava tão nervoso que até eu tava me sentindo nervoso. Só que eu quando fico nervoso começo a transpirar, e ele é o inverso, fica sentindo muito frio. Nem sei pq, mas ficamos nervosos, dã... xD (era só uma formatura) Ainda ganhei uma carona dele. E ele sabe que eu sou assustado de tudo, teve uma parte do trajeto que ele dirigiu sem as mãos, em plena Av João Dias, pqp.. x_x

Mas a Nai é isso. Pra ser sincero, não quero nada dela a não ser amizade. Uma porque eu não tenho mais idade pra ficar correndo atrás de mulher compromissada (acreditem, eu tinha o infeliz hábito de destruir casais antigamente... Sim, eu era um filha da puta, admito e me redimo.) , e outra pq querendo ou não estamos em um ponto onde haverá apenas amizade e apenas amizade. Poxa, ela é a única pessoa que eu soltei um pum, e ainda foi na casa dela, hahaha... É com amigas desse jeito que a intimidade chega a um ponto que beira a falta de educação.

A Rainha que me perdoe. Mas eu falho as vezes na etiqueta. =P

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog