sábado, 26 de julho de 2008

Papai-do-céu, que piada!

Lembro de uma vez há muito tempo na escola terem colocado essa questão na pauta da aula. Eu tinha um professor que aulas substitutas, dizia que dava sociologia. Era um advogado, bem de vida, e até hoje não sei o que diabos ele estava fazendo em uma escola pública. As aulas dele foram importantes talvez tanto quanto as aulas de Física que nunca tive pois o professor nunca estava lá (quem estuda em escola pública sabe muito bem que a falta de compromisso dos professores faz com que eles faltem muito, prejudicando imensamente os estudos).

Foram importantes as aulas exatamente pois ensinaram-nos a começar a pensar. Eu ao menos a vida inteira eu fui assim, acho que é por isso que eu sempre me dei bem em matemática, pois era apenas a questão de repetir a fórmula - nada mais que isso. Não havia o questionamento, tanto que nos tempos de hoje eu acredito que a matemática atual é uma das coisas mais limitadas do mundo, mais restritivas e muito, muito pequena e fácil, e isso porque dizem os números são infinitos. Hoje em dia eu me pergunto se um com um é igual a dois mesmo.

A primeira pergunta dele foi: existe Deus? Tem como provar a existência dele?

Ao contrário de muitos mais, vamos dizer maleáveis, os clássicos exemplo de pessoas ateístas que na primeira dificuldade na vida descobrem a Igreja Universal® (marca registrada e puramente comercial!) pra acalmarem seus anseios, ele mesmo dizia que mesmo ele fazendo essa pergunta hoje nada impedia dele amanhã ingressar numa igreja dessas. Porém ele não acreditava, e acredito que até hoje não tem nenhuma crença. Foi engraçado ver os evangélicos sem saber como responder. Iam pra igreja todo santo dia, ficavam lá o dia inteiro, como o meu vício de Ragnarok, se deixassem passavam a noite lá. Diziam que vinham deus quando alcançavam uma espécie de transe, vinham coisas, mas não sabiam como colocar aquilo em cheque no momento, pra demonstrar.

Dei muita risada, heheh...

No final das contas, apenas eu e um amigo que vivia se drogando que explicamos a existência do divino, e conseguimos provar até. Exatamente nós, que não tínhamos nenhuma ligação tão forte com o cristianismo como eles conseguimos.

Eu ao menos sempre procuro o divino. A vida inteira. No começo, claro, sempre ajoelhava todo dia e fazia um pai-nosso, não gostava de igrejas. Minha mãe sempre me ensinou que se Deus está em todos os lugares porque devemos ir pra uma igreja e obedecer um padre ou pastor? Fiquemos em casa e veremos ele, acredito que uma nova religião não deve se basear em templos, afinal a igreja é um meio social acima de tudo. É na igreja que o pastor fala pros crentes não falarem com ninguém além dos que são membros da sacristia, e é lá que eles encontram pessoas que de acordo com que o pastor fala são as corretas pra um convívio, embora haja o clássico salmo da biblia que fala que quem crê em Deus mesmo que caminhe no vale escuro da morte nada temerá, enfim.

Foi no colegial que eu conheci um amigo meu ator, e juntos dizíamos que fundaríamos uma nova religião, onde eu seria o novo messias depois de dois mil anos do anterior e ele seria o meu "Pedro" (sobre esta pedra edificarei minha igreja, hehe), ou vice-versa, não tinha muito essa não. Claro, tínhamos coisas bem diferentes, visões sobre drogas, sobre bebidas, sobre amor totalmente distintas, mas sempre conseguíamos trocar figurinhas bacanas. Mas como provar a existência do divino?

Várias maneiras. Primeiramente o divino só existe porque cremos. Nas notas de dólares está escrito: "In God we trust", nas de real está "Deus seja louvado". Se em Deus nós cremos, sua existência se dá pois atribuímos a ele a nossa fé. A fé, a crença, a esperança são os verdadeiros motores do homem. A fé consegue mover montanhas, e não é Deus que as move. Se você acredita que consegue ter força pra arrebentar um prédio com as mãos nuas, e não é um cavaleiro do Zodíaco, somente essa sua crença se for forte o suficiente conseguirá te dar forças para destruí-lo.

É exatamente por isso que tantas pessoas se curam com orações. Acreditam que há alguém lá em cima, mas é o "ki" deles que se eleva tanto usando a fé como combustível que conseguem realizar milagres. Deus são os milagres em pessoa, são capazes de fazer o que quiserem. O homem por sua vez apenas quando acredita ao máximo consegue realizar milagres. Acho isso a coisa mais linda do mundo, e não estou querendo desmerecer principalmente os cristãos que acreditam tanto no ser lá de cima.

Jesus, o nazareno, é o clássico exemplo disso. Aquele homem tinha um grande talento, mas acima de tudo acreditava e pregava que a fé das pessoas as levariam pro paraíso. É pela fé que os umbandistas conseguem o famoso e invencível "Corpo fechado", capaz de resistir a tiros de bala à queima roupa. É pela fé que os budistas conseguem meditar e conseguir as respostas das perguntas do mundo. É pela fé que os cristãos conseguem curar-se das doenças mais mirabolantes e impossíveis de serem curadas.

O homem em si tem uma força imensa dentro de sí.
Só tem que explorá-la. =)

1 comentários:

gabi disse...

Sabe, eu concordo muito com isso! Acho que a fé realmente é o que nos faz mover e hoje, mas quenunca, acredito que o querer é poder, tudo depende da fé que você tem em querer e fazer. Gostei do post! Dá pra pensar bastante, como estou fazendo agora. ^^

Postar um comentário

Arquivos do blog