sexta-feira, 25 de julho de 2008

Parte do corpo? Talvez.

Olha só o que eu achei. Dois relógios de pulso. Aliás, eu discuto comigo mesmo se ter um relógio de pulso é como uma parte do corpo, pois tenho verdadeira mania por deixar o relógio no pulso. Se me tiram - sinto-me quase nú - afinal, eu tenho que ficar olhando pra ele a cada quinze minutos pra ver que horas são, senão eu não sossego.

O do lado esquerdo é um relógio que eu ganhei na primeira série, com seis anos. E o carreguei até meus, nem lembro ao certo, mas o coitado tá desgastado hoje em dia. Todo arranhado, mordido (as vezes eu ficava mordendo a pulseira, que nunca troquei inclusive, durou dez anos) e também pudera. Meu pai me deu um Casio original (na época, uma bagatela, principalmente pq não tínhamos uma condição mais estável como temos hoje) e ele mesmo disse que não duraria nem uns tres meses pra eu perder. Durou dez anos.

E a bateria tá lá ainda. Troquei três vezes apenas. Do lado direito, meu atual relógio. Claro, hoje em dia temos luzinha daqueles verdes radioativas, mas na época meu pai tinha um com essa luz de escuro e era amarelada, como uma lampada incandescente. O meu hoje tem quatro alarmes, o meu antigo tinha apenas um. O atual eu posso até ver que horas são na Inglaterra pra Minha Majestade dormir. O meu só tinha cronômetro. Nem ponteiro tinha, e eu achava o máximo ter relógio de ponteiro e digital ao mesmo tempo (diga-se de passagem hoje eu com meus vinte anos sou praticamente incapaz de ler hora em ponteiro. fui aprender isso há uns tres anos atrás, mas desaprendo tão fácil como aprendo. Aliás, eita coisinha complicada isso de ver ponteiro, viu?).

Se bem que o atual já deu bastante prejuízo. Quebrou a pulseira várias vezes, e mesmo eu comprado ele não tem nem uns cinco anos e já é artigo raro, principalmente achar o componente pulseira. E isso porque eu tava doidinho pra ficar mais dez anos com ele, e claro, com uma marca branca no pulso de nunca conseguir tomar sol nessa área.

Mas a mancha agora é tatuagem. Não sai mais nem que eu fique anos sem relógio, heheh... Parte do corpo? Com certeza!

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog