domingo, 17 de agosto de 2008

Ateístas são mais inteligentes?

Alguém notou que todo raio de título de post começa com uma pergunta? Cara, isso é fim de carreira, tou falando.

Li um artigo na Época falando exatamente disso. Minhas teorias sobre fé que eu tenho já expus toda a parte bonitinha e poética por assim dizer. De acordo com ele basicamente pessoas mais inteligentes são capazes de questionar o divino e assim conseguir atingir um nível de clareza capaz de fazê-los mais inteligentes.

Na verdade no mundo inteiro há um "ateísmania" que eu dou muita risada, hehe... Pessoas inclusive pra se dizerem que são atuais, modernas e tudo mais dizem não acreditar em nada exatamente para entrarem em grupos sociais ou adquirirem uma espécie de respeito. Quem dera que fosse assim, afinal tenho muitos, mas muitos amigos que bebem por exemplo, tenho personalidade pra não beber e nem por isso deixo de considerá-los ou deles terem minha estima também.

Mas dei um pouquinho de risada, e devo dizer que em partes ele está certo. Mas veja bem: em partes. Isso tinha valia acredito que na idade média, onde o clero tinha todo o poder sobre o conhecimento e a censura deles. Porém hoje em dia pessoas têm religião e questionam, pessoas não acreditam na teoria dos sete dias de criação do mundo, adotam o Big Bang mas ainda acreditam que teve um cara há dois mil anos atrás que trouxe ensinamentos tão importantes que são atemporais.

Claro, há os casos extremos. Eu por exemplo não gosto nem mesmo de ser amigo ou conversar com protestantes, prefiro distância deles, já convivi com muitos e minha família mesmo vive numa espécie de "contra-reforma", onde a família do meu pai é totalmente católica e minha avó é evangélica até o talo. Igual aqueles programas da madrugada das igrejas que passam na TV paga, que dou uma olhadinha na nova forma dos pastores conseguirem hipnotizar os fiéis, e cada vez estão melhores nisso (se fossem espíritas conseguiriam avançar lá rapidamente).

Digo isso porque conheço muitos protestantes que acreditam que a vida resume-se a casar, arranjar um trabalho e não crescer em vida. Sequer pensam em estudar, ser alguém na vida a não ser auxiliar geral. Claro, há os que contestam isso, sempre têm, mas não é apenas pela doutrina, mas a maneira deles viverem os faz acreditar que qualquer coisa diferente da filosofia deles seja errônea e diabólica, num mundo onde cada vez mais descobrimos que é a experimentação, o teste, o conhecer novas culturas que nos faz abrir a mente e nos tornar pessoas melhores.

Só pra constar, hehe... Eu conto isso pra muitos mas ninguém acredita. Tinha um amigo na época do colegial que dizia que "sentir tesão" era pecado. Claro, na época eu dei muita risada, pois quando bem dosado, o tesão dá um up na relação - tira as pessoas do beijo da boca e querendo ou não, é um ato bonito isso. Lembro até hoje minhas palavras que eu disse a ele: "Ah tá, entendi. Você é crente né? Imagino que pretende casar e ter filhos, o clássico crescer o multiplicai-vos e traga-os pra igreja e continuarão por esse círculo interminável, correto? Então como você vai engravidar sua mulher? Via espírito santo? Vai pensar nos espermatozóides indo pro óvulo pra fazer seu pau ficar duro? Me poupe!", e acredito que até hoje ele ainda pensa assim, coitado.

Peço apenas um pouco de inteligencia e uma mente aberta, jamais de deixarem sua fé.

E chega de títulos de post com pergutas, eu já tou de saco cheio. =P

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog