segunda-feira, 1 de setembro de 2008

September 1st, 2008

Aquele texto eu escrevi quando tive alguns devaneios há alguns meses atrás. Na verdade, eu escrevo muita coisa pro blog, mas não posto exatamente por uma espécie de auto-censura. Na verdade eu sou meio doentil com essas coisas, principalmente quando se trata de relacionamentos com a mulherada, e isso como diz minha psicóloga é exatamente por um estranho azar que eu tenho, enfim.

Tem uma pá de coisas que escrevo, tenho uma pasta só com arquivos do Word que eu tenho desse tipo de coisa. Mas o texto abaixo o engraçado é que eu escrevi acho que uns dois dias antes do dia que a Angela me ligou, hehe... Eu ainda pensava que ela chegaria até setembro sem me ligar e hoje em dia dou um pouco de risada, pois naquela hora até eu tava perdendo a esperança e aí alguns dias depois, pum!

Primeiro de setembro. Na verdade hoje eu olho pra trás e vejo que tem textos que eu escrevi, que tamanha era minha melancolia na época, que ficaram extremamente lindos e tocantes. Claro, com um toque muito elevado de tristeza e incapacidade, mas ficaram um quase-só-na-tentativa de um Shakespeare da vida (jamais ultrapassaria o mestre, jamais!).

Foi a primeira vez que saímos, e a primeira vez que nos beijamos. Hoje faz exatamente um ano, e embora tenha demorado quase um ano pra superar aquilo, bem... Acredito que até superei. Pessoal adora dizer que sou normal, que sou feliz, que sou um bom conselheiro mas a pessoa que menos consegue ouvir conselhos sou eu, hehe. Provavel que caso eu ouvisse os conselhos das pessoas ao redor só seria uma coisa passageira, fulgaz.

Mas, sei lá. Meio bobo falar isso, e é mais bobo ainda o que eu vou dizer. Certeza só eu tenho que muito daquilo que eu passei na época foi exatamente porque eu queria. Porque eu nunca tive um relacionamento além das três semanas, pois ou acabava da garota sumindo, ou ela brigando, ou quem sabe coisa pior. E aquele, poxa, durou um mês, hahah... Porém, um mês bom. Um mês pra guardar de recordação, ao menos os momentos felizes que estivemos juntos.

Ninguém precisa saber como é meu momento. Sou meio egoísta mesmo com os meus problemas, todos me verão sorrindo e fazendo brincadeiras, mas jamais saberão das coisas que eu passo. Como nesse caso, saberão depois que a tempestade tiver passado.

Foto de um dos meus animes favoritos! Seishirou Sakurazuka, que batizou o meu char no Ragnarok (o Sakurazukamori) e o Subaru, que batizará o meu próximo, um wizard, o Sakurajunjou, salvo engano algo como "Coração puro da cerejeira".

1 comentários:

Gabriela disse...

Só de saber que você superou e que, de alguma forma eu pude te estender uma mão, já é o suficiente! ^^ Não ligo se você não ouvir aos meus ou aos conselhos de qualquer um, só saiba que, por mais que te conheça há pouco tempo, você tem um bom ombro amigo aqui, pra rir e pra chorar.
Beijos!

Postar um comentário

Arquivos do blog