quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Não é um "adeus"! É um "até logo"!

Quando falaram que os amigos do colegial depois que terminam os estudos somem eu sempre esperei pelo pior mesmo. Cada um foi pra uma área, e tirando o fato de todos nós estarmos em humanas, somente isso temos para citar como coincidência. Dias atrás uma apareceu e depois todos parecem reunir. Ou melhor, quase todos.

Ah mas eu perco contato mesmo, haha... Não apareço em MSN, não dou numeros de celular nem endereço do cãozinho, haha... Por isso que falam que eu sou a pessoa que quando quer consegue sumir da face da Terra em dois tempos. xP

Nós quatro nos encontramos ontem, haha. Bons tempos. E isso porque no máximo tem uns quatro anos que nos separamos,  e eu pelo menos contava em esperar pelo menos uns dez anos pra termos novidades pra contar, porém pelo visto os quatro já deram histórias pra mais de um livro. Bom ver que o pessoal continua o mesmo e ao mesmo tempo mudou.

Quer dizer, agora estou na faculdade, e aquele povo também estão em suas respectivas, e como ninguém dos que me conhecia antes está estudando comigo tudo é exatamente novo, exatamente tudo é um mundo diferente do que eu estava acostumado. Afinal aquele mané do colegial deu lugar a um j-rocker melancólico e revoltado de hoje, hohoho! Mas como me disseram que ainda continuo o mesmo, diferente apenas das músicas que ouve, o jeito de andar e as roupas, acho que não foi um grande tempo para grandes mudanças.

Mas saudades mesmo. Denis, meu crente favorito, desistiu da medicina e foi pra direito. Meu deus... Ainda espero um dia saber o que eu tenho com advogados exatamente pelo fato de eu conhecer muitos, muitos mesmo. E ter amizade de muitos também, claro. Rafaela quase casou, haha... Mas está fazendo fisioterapia, enquanto a Bia vai começar letras e está noiva. Provável até que case este ano. O Denis também não dou nem um ano pra casar também, hihihi.

Tá na hora mesmo, hahah... E olha quem está falando?! Vou ficar quietinho.
Mas uma interna aqui só pra nós: Esse povo não perde tempo heim? kkkkk...

Não estava todo mundo, e nem somos os mais sumidos também não. Mas valeu o encontro de ontem! Ninguém dessa vez chorou, ao contrário da despedida do terceiro ano. Éramos realmente muito unidos, e no dia eu ainda tentei ficar segurando o máximo, mas todos sabem que eu ajo muito pela emoção, haha... Uma negada que fez falta, mas também veio uma nova negada na faculdade que são também excelentes, e provável que virão outras negadas de pessoas pra frente, mas como disse a psiquiatra: "No colegial que é o povo que mexe mais com a emoção né? Afinal éramos todos adolescentes, jovens descobrindo as coisas, as emoções, e a vida adulta muitas vezes acabam nos tornando um pouquinho mais frios, e não confiamos tanto nas pessoas como confiávamos nas pessoas e colegas no colegial e escola".

Acertou em gênero, número e grau.
E Biaaa! Não chora poxa. Não é um "adeus", é um "até logo!".

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Todos os caminhos me encaminham pra você.

Bossa nova. Virei fã. E é bem verdade também que os poemas de Mr. Moraes na minha opinião haviam palavras, e é isso que importa. Tem textos aqui que eu escrevo (ou escrevi) com paixão mesmo, pegando lá do fundo, e acho que é por isso que os mesmos ficam com um teor muito peculiar, e interessante e claro, gigantescos. Ao ler dá pra ver um sentimento lá, e eu viajo nas coisas que escrevo. Coisa de retardados como eu.

Mas acho que é isso, né? Por mais que as pessoas afirmem que devam ser frias e zelosas acredito que isso não é o "ser humano", afinal somos nós que damos e criamos sentimentos, recebemos afeto e tudo mais. Pois é exatamente o estado "apaixonado" que põe tudo de pernas pro ar. Nessa hora tudo ganha cores, aromas nunca vistos antes.

E talvez até seja mesmo uma pura reação hormonal igual todos cientistas dizem. Um efeito muito similar às drogas é induzido no cérebro ao ficarmos apaixonados, e não seria estranho se ao mesmo tempo ficarmos viciados nela. E permanecemos, mesmo que a vida nos separe, ou nos impeça de estar com quem mais amamos.

Namores felizes não tem graça. Todos dizem que nada menos queriam que não ter dores de cabeça, mas como dizem, mulheres existem pra criarem problemas e os homens para solucioná-los (hahaha... super-hiper-mega machista. Brincadeirinha, minhas queridas. Só pra descontrair, hihih), mas o que quero dizer é que  grandes relacionamentos são feitos exatamente dessa mesma dificuldade, assim como um poeta não é grande se não sofrer. As dificuldades, as tristezas que fazem a felicidade ser algo a mais, e que faz muitas vezes valorizarmos as coisas boas e superarmos as más.

Relacionamentos não são uma coisa fácil, e nunca serão. E se são fáceis, acabam rapidamente. Mas é, nas horas difíceis que o casal se dá conta que mesmo de tão unidos sabem que não importa os caminhos que a vida der, mas que qualquer um que pegar levarão um ao encontro do outro novamente. Exatamente essa garantia que faz as pessoas crédulas no incrédulo.

Essa mesma força que dá forças para persistir e conquistar.
Post hoje ao som de Nozaki Sayuri - Eu não existo sem você. Tem uns vídeos dela no Youtube excelentes, em homenagem à paixão que japoneses têm pela bossa nova estou ouvindo uma descendente japonesa cantando Antonio Carlos Jobim.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Uma picanha bem passada!

Estava relembrando uns tópicos em um fórum que hoje está meio abandonado, e um deles era de um amigo comentando o quão abismado ele ficou ao ver um daqueles muitos vídeos de youtube de contrabandistas de peles de animais matando os esquilos, doninhas e afins. O cara até hoje é vegetariano por causa disso...

Lembro que na época chegou ele todo traumatizado no fórum até perguntando se alguém já tinha visto aquilo, também pudera, o rapaz deveria ter uns treze anos, por aí. Todos no fórum, com minha idade pra cima respondemos que sim, e isso não é nenhuma novidade. Enquanto ouver gente que compra isso haverão pessoas fazendo isso, simples. E aí ele entrava na parte da crueldade humana, que todos os seres humanos eram cruéis e no final dizemos que a tal da crueldade é com todos, pois até mesmo uma galinha tem que ser sacrificada pra se comer, e isso é a coisa mais natural do mundo.

Sim, sou carnívoro total, hahah... Quando viajo pro interior então, meu avô mata uma galinha ali na hora e ficamos aguardando o cozido de galinha caipira. E  sei que comer tanta carne faz um mal lascado, mas não consigo viver sem carne mesmo. Mas a discussão no fórum continuou até um amigo meu, biólogo aparecer. De fato, o que ele falou humilhou. Vou tentar transcrever aqui um resumo:

Primeiro que ninguém tem que se culpar por comer carne, e que o conceito de ser vegetariano é uma coisa muito recente na História da Humanidade, pois somos seres onívoros, comemos tanto plantas como animais. Estamos também no topo da cadeia alimentar, pois podemos caçar desde um churrasquinho de gato até um elefante para comermos, e foi exatamente por comer carne que ajudou muito sairmos do estágio Donkey Kong e ir pro estágio Homer Simpson.

Comer carne é também muito importante para a saúde, pois a proteína animal nos ajuda. Sim, é um fato que animais sofrem ao serem abatidos, mas a pergunta talvez seja se esse mesmo sentimento anti-lei da selva pode ser tão empregado até dessa maneira. Talvez por pessoas nos tempos de hoje terem um verdadeiro repúdio da morte, seja pelos filmes, pelos romances que sempre mostram que ao morrer é algo maléfico, alguém tem que ficar triste, embora talvez não entendam que a morte é algo que mesmo seja impossível de se fugir é algo que deve ser superado como tudo que perdemos na vida.

Afinal a morte é uma coisa natural da vida. Todos um dia morrerão, todos morreremos um dia e é impossível fugir disso. Menos se você for o Darth Vader, é claro. Ops...Não, ele morreu. =P

Assim como qualquer um de nós podemos morrer a qualquer momento. Pois a capacidade de morrer é algo que apenas quem vive pode ser condicionado. Exatamente como pra um policial subir uma favela e matar três moleques não significa nada e assim como um bandido que ao matar alguém num assalto pra ele é nada demais, apenas uma consequência. Ele não ficará sem dormir.

Depende muito do que o conceito da morte tem por detrás. Muitos vão no açougue nas grandes cidades mas nunca viram sequer uma galinha ser estrangulada. Ao contrário da Idade Média por exemplo onde isso tinha que ser feito, logo eles eram mais frios que nós ou as pessoas cosmopolitas que estamos mais "sensíveis"? São consequência des temps contemporainés. Temos supermercado e comida pré-mastigada, hahaha...

Ah, a falta de dentes do juízo também, por consumirmos carnes mais "suaves" muitos de nós estão nascendo sem já alguns desses sisos. Eu por exemplo só tive três sisos, meu irmão mais novo com dois, e provável que os da próxima geração tenham nenhum, hahaha... Foto pra ilustrar - Meat, personagem que apareceu no Mortal Kombat 4, e recentemente no Mortal Kombat: Armageddon. Carne pura! XD

domingo, 25 de janeiro de 2009

Não sou conduzido, conduzo.

455 anos! Que beleza. São Paulo de riquezas, de desigualdades, de péssimos prefeitos, mas com moradores que mesmo diante dos problemas jamais deixariam de morar aqui, e não trocariam aqui por nenhum lugar do mundo.

Lembro que quando estudei arquitetura nós víamos muito sobre a História dessa grande metrópole, e pesquisando também na época fui descobrindo muitas coisinhas que as pessoas de fato não sabiam, ou apenas tinham ouvido falar. Uma das coisas que me atraiu, e até hoje eu gosto bastante, é a famosa Estação da Luz, que no começo era bem diferente da atual. Mas foi reconstruída com material vindo inteiro da terra de David Beckham, navios inteiros transportaram quase que um quebra-cabeças e trouxeram linhas ferroviárias que ajudavam o comércio, o monopólio inglês das ferrovias (que até hoje o governo morre de medo de perder, tanto que estatiza e segura o máximo pra não precisar vender) e é claro, até a Globo revitalizar há mais ou menos cinco anos e ali criar um dos museus mais modernos do mundo (se alguém falar que é a Pinacoteca eu darei um tabefe!).

Um bairro que eu estudei bastante nos tempos da arquitetura, e que inclusive lá na UNIb tinha um grupo de estudos voltado apenas para ele foi a Barra Funda. Poucos sabem por exemplo que o atual Parque da Água Branca era parte da secretaria de agricultura da cidade, e que desde os seus primórdios guardava um pequeno zoológico (hoje com um aroma muito peculiar de... Você sabe o que, hehe) e até cinema mudo e veterinária. Isso sem contar que foi localizado na Barra Funda que de hoje, só que agora uma escola muitíssimo cara na Alameda Glethe e oficialmente situado no bairro dos Campos Elíseos, próximo alí do Terminal Princesa Isabel, ainda existe esse instituto educacional que foi um edifício construído pelo mesmo arquiteto do Museu do Ipiranga.

Sem contar que a Barra Funda sofreu uma intensa revitalização muito recentemente, graças a muita parte pelo Terminal Verde Gigante, ou Terminal da Barra Funda, que liga Tangamandápio até o Polo Sul, com linhas de ônibus que vão até pra outros estados. O Memorial da América Latina, local onde foi no início do século XX o Largo da Batata, reduto de sambistas paulistanos, também é conhecido como grande elefante branco inútil, agraciado por nós por um dos muitos que irão para a listinha dos "prefeitos que jamais conseguiremos esquecer", Orestes Quércia. Sem contar que a tradição ferroviária do bairro não é a toa, pois a primeira linha de bondes da cidade tinha como ponto final lá naquele local.

Passeando de trem ainda entre as estações Barra Funda e Água Branca por exemplo ainda se pode ver muitas construções abandonadas de antigas estações que ligavam o interior até o porto de Santos. E claro, muitas chaminés gigantescas abandonadas, herança do finado império Matarazzo. Pesquisei muito na época sobre essa família de irmãos imigrantes também, hehe... Entre um dos fatos curiosos era que Francesco Matarazzo, o patriarca da família, foi a primeira pessoa a ter um automóvel no Brasil. Isso, no início do século XX, onde nem na Europa eles tinham direito. E digam-se de passagem, na época todo o lucro das Matarazzo era equivalente a um terço, ou metade do PIB do Brasil na época, mas infelizmente acabaram por falir pouco depois da Segunda Guerra por falta de qualidade dos produtos, devido ao "boom" da qualidade no setor de comércio.

Hahaha... Caraca, pior que revendo os arquivos aqui eu vi que pesquisei muita coisa sobre esse lugar, que pouco é lembrado pelos paulistanos, que na época de aniversário sempre falam da Sé, República ou Liberdade, mas que tem tantas histórias bacanas como qualquer outro.

Essa é São Paulo, com cada bairro, cada cidade da Grande São Paulo com histórias, contos e fatos que cada dia mais intrigam os moradores loucos dessa cidade igualmente louca e corinthiana. Non dvcor, dvco.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Para a posteridade

Esses dias tava um pouquinho ocupado com umas questões familiares.

É algo um pouquinho estranho mas, nunca soube das minhas reais origens, mas bateu uma curiosidade agora. Graças às viagens recentes no fim de 2008 deu pra dar uma clareada - e uma grande clareada. Achei até familiares no sul, em Santa Catarina, e fiquei meio abismado. Isso pois faz dias em que uma tia minha infelizmente morreu e eu não estava nem perto de lá. Paciência, não tinha uma grande relação com ela, infelizmente. Mas meus pais, e obviamente o pessoal de lá tinha. Descanse em paz, tia Lu.

Descobrir as origens é algo bastante introspectivo, ao menos pra mim. Sabe, eu tenho uma mania de andar em cemitérios, tirando os dias que eu vejo "coisas", são sempre bons dias. É interessante ver as lápides, todas escritas com datas, nomes, e tudo mais. Tirando algumas que eu não consigo chegar perto pois me sinto estranho, em muitas eu sinto uma grande e imensa paz. São pessoas que viveram, que hoje provável que tenha lá seus descendentes que perpetuaram e continuarão com a família. Pessoas que viveram, que morreram, mas ainda de alguma forma estão lá. Não, não sou nem um pouquinho gótico e não gosto do estilo de vida deles. Franceses malditos. 8D

Digo, se meu avô Giuseppe, por parte de avó paterna não tivesse saído da Itália e vindo pra cá, ou se então o avô Sebastião por parte de pai também não tivessem saído da terra nostra, e se meus avôs maternos espanhóis não tivessem pegado as índias do nordeste, well... Nada teria acontecido, nem Alain existiria, nem fallen Pegasus nem nadica de nada. Olha só heim, tou me achando O importante, hahaha...

Isso que dá! Leonino como signo solar e Dragão como chinês. Não tem jeito, pedir pra eu baixar o ego é o mesmo que pedir pra uma pessoa alta ficar baixinha, hahaha!

Até os parentes perdidos da família da mãe do meu pai acabei achando. Povo bonitão lá do sul, hehe! Descobri até que eu tenho um tio que mora em Mogi das Cruzes. E eu acho que uma vez que eu fui lá por conta própria acho que conheci sem querer um filho desse tio-bisavô, hahaha... Inclusive acredito eu que conversei com ele numa praça ali perto do centro. Como diz papai: "Mas que mundinho pequeno, esse!".

E isso porque não falei o nome desse tio-bisavô... Depois falam que eu fico inventando blábláblá... Mas é uma baita coincidência, principalmente se tratando de Mogi das Cruzes. Qualquer dia passo lá para conhecê-lo... Agora fiquei curioso! Até documentos escritos, fotos, nossa... Quem sabe meus bisnetos não dêem uma conferida no que o vovô Alain aqui escreveu aqui no blog, hahaha... O que é óbvio que eu duvido muito, mas nada custa imaginar esse tipo de coisa, e esperar pra ver o que vai acontecer.

Passagem do tempo. Tempo, êta coisinha que dá dor de cabeça. Tanto quanto amor.
Boas novas! Horoscopo disse que esse ano será regido pelo Sol! YES! \o/ Tirando o boi no chinês que não é tão bom, (o rato ano passado foi excelente pra mim,e ainda juntando júpiter deu uma ajuda e tanto) acho que 2009 talvez seja tão interessante quanto 2008. É esperar pra ver.

Ou não!

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Somente o povo ajuda o povo.

Um dia desses estava indo pra psicóloga e um cego pedinte entrou no ônibus. Não vou dizer se dei algum trocado pra ele ou não, pois de uma maneira ou de outra vão ficar com raiva de mim, hehe. Entrou no ônibus com o mesmo discurso de todos, que estava desempregado e para tanto teve que recorrer a pedir dinheiro nos ônibus. No final disse uma coisa que é bem verdade: "Aos que me quiserem ajudar muito obrigado, pois no Brasil só o povo para ajudar o povo."

Não sei se as pessoas conhecem o Impostômetro. Existe um contador desse em São Paulo, não lembro exatamente onde no centro, mas tem. É um counter que serve pra exatamente isso: contar a quantidade de impostos que o povo brasileiro paga. Mal começamos janeiro e já temos bilhões na conta. Bilhões usados desde para pagamento dos salários milionários dos políticos e até para investimentos públicos - e um pouquinho para os bolsos por meio de desvios e paraísos fiscais também.

Digo nada pelo cego, pois como ali seria possível ver se ele tinha problemas de visão de facto? Mas a última palavra dele sôou como uma indignação incrível tingida por tristeza. Indignação dos mesmos brasileiros que vaiam o presidente na abertura dos jogos Panamericanos, totalmente ao contrário daqueles que adoram dizer que são patriotas e incriminam os que não são. Pra ser sincero isso cansa bastante, o brasileiro já cansou de ser brasileiro há muito tempo, e entre a classe pobre de Josés e Marias apenas uma pequena fatia diz que é patriota, enquanto entre os mais ricos, bem de vida claro, em seus bons carros indo embora do serviço para a casa adoram se dizer brasileiros com orgulho. Enquanto isso uma grande maioria mora em favelas, tem uma renda minúscula e vivem em condições sub-humana. Leu bem: grande maioria. Saia um pouco da internet e olhe nas ruas.

São coisas que dificilmente as pessoas engolem, certo? Uma vez um amigo meu perguntou: "Ah, mas se o Brasil no futuro virar um país rico, você vai dizer que é 'patriota'?". Primeiro eu odeio patriotismo. Pessoas se escondem por detrás de uma nação é uma coisa, e pessoas que valorizam sua cultura é outra diferente, principalmente num mundo globalizado de hoje. Ainda mais é questionável você perguntar o quão original é sua cultura também. Outra eu não gosto de países ricos, pois mesmo ricos ainda tem pessoas em nível grande de pobreza. Queria um país igual, podem até continuar com um Silvio Santos ou Roberto Marinho da vida, mas queria mesmo era que desde pessoas como o cego do 609C-10 ou mesmo os favelados aqui perto de casa tivessem uma vida digna, com um salário digno e uma chance de futuro.

E não adianta dizer que o futuro chega pra todos se trabalhar porque não é assim que a coisa funciona. Quem tem garra é o pobre que pega ônibus às 5h00 para trabalhar de caixa de supermercado pra conseguir dinheiro pra família e quem sabe conseguir ir na reunião de pais e mestres do filho. Isso é um bom exemplo de garra a ser seguida, e pessoas assim deveriam ter uma mínima chance de subir na vida, mas infelizmente não sobem. E não é por não quererem, óbvio. É por não terem chance.

sábado, 17 de janeiro de 2009

Eu farei uma terra onde o amor será rei.

Estive assistindo o seriado Maysa - Quando fala o coração, na Globo. Sim, todos sabem que eu não ligo a TV, exceto pra se ver os noticiários ou algum programa culinário, mas como não tenho paciência pra novela, nada como uma minisérie que durou apenas duas semanas. Gostei, embora em comparação com os comentários de uma negada forte aí dizendo que "adoraria ter conhecido ela e blá-blá-blá e mimimi" eu digo que se conhecesse ela realmente não daria certo. Somos muito parecidos, e com pessoas parecidas comigo ou eu amo de paixão ou bato de frente direto. No caso dela, acho que tá mais pra segunda opção.

Mas gostei. Foi meio seco, o final foi muito corrido, mas foi bem produzida. A parte que ela cantou "Ne me quittes pas" eu gelei, sério, haha... Odeio franceses, sua língua, seus costumes e nada me faria mais me feliz do que ver tudo aquilo que eles chamam de nação explodindo pelos ares. Mas essa música seria uma das coisas daquele povo imundo que eu deixaria, e fazia anos... Realmente anos que não a ouvia.

E poxa, adorei uma frase dela, era mais ou menos assim: "Podemos ter muitos amores, sejam bons ou ruins, mas os amores cafagestes a gente nunca esquece", quando falou do Ronaldo Boscholi. E... Não, quem vier falando que eu só lembro das que foram cafagestes comigo vão ver só, haha... Né? Né? Né? Né?Né? Né? Né? Né? Né? Né? Né?

Gostei mais ainda quando ela, depois de encontrar com ele que a traiu e tudo mais disse: "Me prometa que você nunca mais vai fazer isso com mais ninguém nesse mundo", afinal, só quem de fato sente algo tão terrível como traição, ou amar tanto e não ser correspondido, ser abandonado que sabe como a coisa é dura. É um castigo que nem animal merece, e pedir pra pessoa fazer isso com mais ninguém acho que não se encaixa em proteger o "próximo", afinal crescemos como pessoas com as coisas ruins que acontecem nas nossas vidas, como nas coisas boas também crescemos como pessoas, óbvio. Mas a questão é exatamente essa, é algo tão ruim que isso desestabiliza uma pessoa. Eu pelo menos estou construindo novamente meu castelinho. Mas fiz ela prometer, então pra mim já está de bom tamanho. Menos alguns castelos aí a serem derrubados.

No fundo era uma pessoa boa, haha, ambas. Acho que era esse tipo de redenção que no fim das contas ela queria. Mudando completamente de assunto, essa semana eu compareci a Mostra do cinema Taiwanês Contemporâneo, a convite de um velho parceiro de guerra, lá no Centro Cultural São Paulo. Infelizmente só vi dois filmes, ele deve ter visto todos. Mas muito legal, ehauheua... Aprendi palavras novas! "Ama" é vovó e "Xie xie" é danke!

Mas excelentes. Ficam em circuito pelo Brasil inteiro. A avó e seus fantasmas é supimpa. Me lembra um bocado Chihiro, mas com toques chineses e uma criança mais chorona ainda, e é bem emocionante. A arte de viver também é belíssimo, e tem a direção de Ang Lee, que talvez só perca em fama pro Chou Yun-fat em Taiwan (ok! ok! O Chow é de Hoeng Gong... Deixa pra lá..). Pena que não deu pra ver o resto... Semana foi meio corrida e chatinha. Sem contar que ir pra aquele fim de mundo, aff... Minha psicologa ainda é ali pertinho. Blé.

Já que o blog é meu vou falar do que eu quiser, eu mando aqui. 8D~~ Claro, lê quem quiser. Primeiro vou falar de Dir en grey e o último álbum, Uroboros. Álbum bom, exceto uma música que faltou, que na minha opinião tem grandes chances de desbancar Ain't afraid to die como a ballad mais bonita da banda, é -undecided-. Ela saiu no single GLASS SKIN mas não ficou na seleção final. Segundo é que esse álbum foi amplamente aceito tanto pela crítica quanto pelos fãs, ao contrário de The Marrow of a Bone, que pra mim ficou muito bom, mas esse povo só vê melodia e não música. Cada um com seu gosto, whatever.

Viciei em uma coisa que japoneses adoram e pagam uma nota pra vir assistir aqui: Bossa nova. Não consigo parar de ouvir principalmente Antonio Carlos Jobim. O álbum dele com o Sinatra ficou muitíssimo bom também. Pena que a maioria desses morreram, ou viraram deuses como Tom Zé. Tirando isso, estou aguardando em fevereiro o lançamento de uma cantora que eu achei, como muita gente, uma grande revelação no cenário J-pop em 2008: Wakeshima Kanon, a nova queridinha do Mana-sama. Menininha com futuro, chega fica pequena perto do violoncelo, mas tem músicas excelentes.

Ah! E tinha uma banda coreana que eu achava muito boa, hahaha...

Não é S.E.S., antes que alguém fale algo. É Baby VOX, e não... Não é uma versão koreana de Morning Musume, que aliás agora tem duas integrantes chinesas (é o Japão mostrando seu medo perante a China que já fechou com o PIB maior que da Alemanha e logo logo passa os nipônicos, hahaha...). Na verdade, fiquei pasmo ao ver a diferença no mínimo estrondosa de quem fazia um clipe assim pra um clipe mais atual, comparando Baby VOX original com Baby VOX Re.V. Depois falam que eu sou o cara mais pervertido com asiáticas. ¬_¬'

Mas com um clipe assim (o atual) não tem como não pensar diferente. Pussycat Dolls koreanas? Hum... Haha... Vou ficar quieto senão vai sobrar pra mim. =P Mas a música é legalzinha. Só a música, seus mentes poluídas. =P

Momento clímax, que tem muito macho uivando é o 2m45s em diante, hahaha... E sim, eu retiro tudo o que eu disse sobre asiáticas não terem corpo (deixando claro: o que pra mim nunca foi um empecilho, muito pelo contrário), elas provaram o oposto, hahaha... To precisando de uma namorada, isso sim.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Quando a lua não se uniu com o sol.

Quanto tempo. Pra quem espera há tanto tempo, um dia é muito, uma semana não passa e um mês parece ser tanto quanto um ano. Já tem uns três anos, e ela veio antes de qualquer uma que talvez vocês conheçam.

Antes de mais nada, esse é um dos muitos textos românticos. Mas dessa vez só tera um pouquinho de melancolia, mas estará repleto de felicidade.

Mas é a vida, certo amigos? Investir pode trazer ou não felicidade. Mas o importante, é investir, e tentar! E arriscar tudo numa cartada só muitas vezes. Poxa, tava lembrando um texto que eu escrevi no fotolog, já tem um bom tempo. Pra ser sincero, escrevi aquilo chorando - e não foi pouco. No mesmo dia cheguei meio triste na faculdade, não queria falar muito, e quando cheguei depois de ver minha mãe ir pra cama e eu pro meu quarto, me tranquei, abri o Firefox, upei a foto e digitei, e teve uma hora que eu simplesmente não parava de chorar, e depois dormi chorando mais ainda. Sério, tava pior que menininha que tem o coração partido pelo primeiro namoradinho, o problema é que eu tenho 1.85 m.... Mas admiro minha capacidade datilográfica, mesmo com os olhos marejados. Nunca me lembro de ter chorado tanto antes, nem quando criança, e embora algumas me fizeram derrubar algumas lágrimas, nunca nenhuma se comparou a essa e duvido que existirá alguma que se comparará.

Acho que é porque além de tudo consideramos a nós mesmos grandes amigos de longa data. E mesmo parecendo a maior hipocrisia, parecendo que eu falo isso pra todas, não consigo mesmo viver sem essa menina. Tentei mais uma vez, jogamos até Saint Seiya no PS2, Donkey Konga, mas no final, bem... Não foi dessa vez. Mas a entendo completamente. O coração dela ainda está lá, está no ex-namorado, e senhores, nunca se relacionem com uma garota com tendência ou ainda pensa no ex. Tenho mais do que motivos pra evitar isso pra sempre pelo resto da minha existência por um erro bobo de anos atrás. Só erra duas vezes quem quer.

Tentam explicar o que sinto, mas é tanta coisa misturada. É uma pessoa que eu confiaria minha vida, que compartilha de muitos problemas na vida como os meus, que tem os mesmos gostos e desgostos, que eu conheci na situação mais estranha  e improvável possível, que faz aniversário três dias antes de mim, mas eu sou um ano mais velho! Mas é acima de tudo aquela amizade de gente como eu (leia-se homem-com-grandes-tendência-a-ser-corno. Agora entenderam porque eu adoro o cantor Falcão?), que quer ver ela feliz com quem for nesse mundo, não porque eu "perdi", ou porque sei que ela dificilmente ficaria comigo, mas exatamente porque não tem nada nesse mundo que me faz mais feliz do que ver ela feliz, sorridente, cantarolando. Sério mesmo, por isso eu sou sempre chifrado por ser bonzinho e sincero, haha... Com ela eu sei bem que amor não é nada possessivo, nem mesquinho, nem ciumento. É apenas querer o bem do outro, e assim você fica bem também. Simples assim.

Sei lá. Dessa vez não vou derrubar nenhuma lágrima. ^^
Nenhuminha. Ops... Só umas que já foram hoje. Mas já estão enxugadas.

O que eu quero mais é que ela seja feliz, do fundo do coração. Se for comigo, poxa, ficarei lisonjeado, mas tão feliz ficaria quanto se for com outro também. Que seja minha amiga, nos bons, maus, seja com asiáticas, italianas, portuguesas ou tibetanas. Afinal só com isso já sou bastante feliz. Só com aquele sorrisão, aquela voz e até as sandices que fala. Mas só por essa vez queria algo "mais", mas não foi dessa vez, e mais uma vez. ^^

Te adoro Naiara, do fundo do coração. Mesmo sabendo que isso você não vai ler isso nunquinha também.

Momento nostalgia: um dia depois da faculdade, lá longe, em 2007, enquanto eu voltava com o meu saudoso amigo Éder (que infelizmente largou a faculdade) contei pra ele a nossa história. Ele falou: "Puxa, você poderia ao menos tentar né? Assim você veria esse sorriso dela não apenas uma vez por semana, mas todo dia. O que acha?". O que eu acho? Hahaha...

Amo!

^^

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Cada louco com a sua!

Depois falam que eu tenho manias estranhas! hahaha... Bom a começar com chocolate, que nem eu, nem ninguém aqui gosta em casa, hehe. Ninguém da família aliás, paterna e materna, exceto os da mesma geração que eu, desses alguns gostam. Hoje tava passando um comercial novo do McDonald's de alguma daquelas milhões de sobremesas novas que brotam no verão e, pra variar elas tinham chocolate. Minha mãe na hora falou: "Poxa vida, o que todos têm com chocolate? Nunca vi! Só chocolate, chocolate, chocolate... Que saco!". Nem preciso dizer que eu balancei a cabeça positivamente depois dessa, certo? (sim, nós em casa admito sermos provavelmente jupiterianos, pra não gostar de chocolate, isso sim)

Tenho mania de perfume também. Se pudesse vivia com um spray do lado. Nunca me sinto cheiroso, embora a mulherada sempre fale que eu tenho um cheiro bom, obrigado. Sim, tem dia que eu tomo banho de perfume, mas uma coisa que tem me ajudado é colocar um pouquinho perto do nariz aí eu sinto o cheiro e tudo parece bem. Mas isso é justificável pois eu transpiro MUITO e vivo com calor. Gabi me deu a dica de tirar um pouco os pelos da axila (valeu!), e graças a isso eu estou transpirando muito menos. Salvou minha vida! ^^ Mas mesmo assim, eu frescurento (leia-se re-tar-da-do), vivo me cheirando pra ver se está tudo ok.

Manias de bom-moço também. Não beber e não fumar já é um começo. Mas eu sou bonzinho de verdade! Eu acho. Ah é! Também nunca saio de casa sem me olhar no espelho, e quando eu volto pra casa porque esqueci algo eu sempre tenho que me olhar no espelho porque eu acredito que se não fazer isso dá azar. Acredite, isso sempre foi meio instintivo, mas vi que os russos tem uma superstição parecidíssima. Eu também odeio lugares altos, embora eu sempre morra de vontade me jogar lá em cima. Talvez por isso eu sempre tenha sonhos de eu caindo de lugares altos. Algo como "voices in my head", hehe!

Ah é! Tem a de visitar meu blog constantemente também. Na weblogger eu tinha um daqueles contadores de visita, e eles registraram em uns dois meses uns 200 acessos vindo de um único computador. Era o meu, ehauehua... Mas hoje tá menos. Ok, não dá pra saber se eu acesso menos porque eu não coloquei esse tipo de contador aqui também. É o clássico: ah, vou entrar pra ver se tá tudo bem mesmo, pra ver se alguém comentou, pra ver se a banda das imagens acabou, enfim. Isso eu acho que é o que mais eu tenho tendencia pra Transtorno obsessivo compulssivo! O clássico exemplo da banda das imagens que nunca termina porque o Opera guarda os temp. =P

Quando estou ainda em aulas na faculdade eu dificilmente faço o mesmo caminho pra ida e volta. São vantagens de morar relativamente perto, hehe. Tem dia que vou de metrô, tem dia que desço no Socorro, tem dia que vou a pé da favela alí perto, e por aí vai. E ler notícias também tem virado uma mania minha maldita. Quase o dia inteiro ligado no Google News pra ler o que sai de novo. =P

Povo acha que eu uso dorgas! Depois falam que eu sou normal!
Ei. Mas ninguém disse isso...

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Fire in the hole!

Parece que árabes e israelenses tão se pegando pra valer. A última foi um bombardeio dos judeus em uma escola da ONU em Gaza que matam quarenta pessoas. Na verdade, o que eu acho de mais interessante é o apelo de mídia que tanto um lado como o outro está fazendo.

Pra ser sincero, não vou defender nem judeus nem palestinos. Guerras acontecem pois os dois lados acreditam estar certos, e ninguém, nem mesmo o Bill Clinton pode pará-los. Isso é verdade tanto entre ingleses e escoceses, bandidos e policia, soviéticos e americanos, enfim. Mas parece que dessa vez pessoas estão de fato sabendo - e pesando - os dois lados da história, e não apenas defendendo os israelenses como o mundo sempre fez todos olharem para apenas sua causa.

Tem até página no Twitter e Youtube do governo judaico defendendo dizendo que essa batalha tem um bom motivo, hehe. Cada vez mais esses conflitos parecem ter também um publicitário por detrás fazendo a marca da guerra ser conhecida e parecer justa. Mas como eu disse, não vou defender nenhum dos dois, mas cada lado tem sim seus prós e contras, e isso ninguém pode negar, principalmente quando se diz respeito à propriedade da Terra Santa.

Acredito que pelo fato de nos tempos atuais haver um intenso uso do conhecimento sendo difundido é interessante ver que pessoas acabam conhecendo tanto um lado como um outro. E isso é bom! Antes apenas todos viam o que Israel tinha a dizer, difundiram pelo mundo que o povo árabe são terroristas sedentos por sangue, tanto por parte do povo judaico como até os americanos pelo 9/11 também. Mas não é, o povo islã são pessoas que são também exemplos de fé, de princípios e apenas uma pequenina parte que acabam caindo, e por consequente (agora sem trema!), corrompendo a imagem de todo um povo e uma tradição secular. Não querendo desmerecer os judeus também, que são um povo forte, extremamente unido, poderoso e são como os chineses atualmente: em todo lugar tem um. Hahaha... Brincadeira!

sábado, 3 de janeiro de 2009

Sir Allain is back!!

Sentiram minha falta?
*silêncio. Um grilo ao fundo fazendo cri-cri*

Sei que vocês me amam. HEuaheuaHhuae... Happy new year! ;D E parabéns aos organizadores, e a London Eye estava lindíssima. *o* Sem mais, vamos com tudo pois mais um longooo ano está por começar. Se comportaram bem? Não precisaram chamar ninguém da Yard? hahaha...

Como hoje estou completamente sem assunto, exceto a viagem que foi muito supimpa, vou postar só musiqueeenhas pra passar o tempo ouvindo. Como ando numa fase muito asian pop (alguns dizem que é porque todas são lindíssimas e  pra variar eu adoro a beleza asiática, quem me conhece sabe. E além de tudo elas cantam bem pra caramba também!) hoje vou mostrar algumas cantoras que estou ouvindo muito ultimamente.

Começando por mando-pop, ou pop do bom e velho mandarin, a grande (mas na época era meio novinha ainda), Jolin Tsai em um clipe muito legal e comédia total. xD A Wonder in Madrid! Ah, e quem não gostar muito de chinês procure da Jolin o álbum Love Exercise, que é totalmente em inglês, e muito bom! Tem uma outra que eu descobri sem querer no youtube, só que essa ainda é indie, e está fazendo até que um relativo sucesso. Jennifer Chung, coreana e tem até composições próprias. Acho que vale uma olhadela. ;D

E pra não ficar apenas em mandarin, vamos pra canto-pop também. Cantonês, na minha opinião, é bem mais difícil, e as pessoas que mais cantam nessa língua mais os da área alí de Hoeng Gong. Eu ia mostrar Kelly Chen, mas enquanto eu procurava no You Tube me deparei com uns vídeos muito, mas muito engraçados, entre esses ela ensinando inglês e poxa vida, ela não envelhece, é incrível... Então vou postar aqui em clipe do filme Herói aquele com o Jet Li, cantado pela também belíssima Faye Wong.

Arquivos do blog