quinta-feira, 16 de abril de 2009

Betão & Bibi

Era uma vez dois au-au's. Um era um burguesinho, foi comprado ainda filhote numa feira de cães ali perto da Washington Luís, um pequeno poodle branquinho, com direito a pedigree e tudo. O outro, era um lhasa apso criado por uma mulher que o deixava em casa numa caixa de papelão tomando chuva, magro e cheio de pulgas, quando queria apenas carinho e atenção.

Diferenças sociais até entre cachorros! Oh deuses do Olimpo, o que a sociedade virou.

Bidu (びづ - Bisu), ou Bibi é um poodle com alguns anos já. Foi criado como um lorde, com direito a mordidas e agressões caso suas solicitações não sejam atendidas. Desde cedo vive debaixo da saia da mamãe, só saindo para fazer xixi - mesmo sendo um macho, ele não levanta a perninha. Se fosse um homem, faria xixi sentado. Nada contra quem faz xixi sentado, eu mesmo quando tou morrendo de sono sento no trono de manhã e tiro um cochilo rápido enquanto faço o nº 1. Aprendi isso com meu avô, italiano machão e palmeirense que mata cobra no braço no interior. O cãozinho vive cheiroso, é virgem e só tem um testículo.

Já Betão (ベとん - Beaton) é um negão criado na rua. Maloqueiro como ele ninguém nunca viu, é o classe média da casa. Digo isso porque ele tem passe livre pra entrar e sair de casa. Só de olhar pra ele o bobão já balança o rabo e começa a latir, imagina quando a gente chama ele, falta só pular em cima da gente. A dona dele não era das melhores, infelizmente trabalhava muito e ninguém ficava em casa pra dar atenção pro coitado, e isso resultava em ele pular na casa da minha avó querendo carinho, mas como minha avó não gosta de animais sempre dava umas bofetadas nele. Até que um belo dia nós cansados de ver isso pedimos a sua dona para adotá-lo, e ela nos deu.

Dois cães com origens e histórias de vida diferentes. Temperamentos totalmente distintos. O Bidu vive me mordendo, mas por incrível que pareça ele não sabe morder! Ele dá um beliscão forte, depois fica se lambendo porque não conseguiu morder direito. Já o Betão, uma vez quando a cachorra da casa tava no cio, quando eu tentei separar pra prender a vadia, ele sempre chegava perto de mim e nunca mordia. Mostrava os dentes e tudo, mas nunca encostou um dente. Quando ele tá limpinho a gente fica brincando de mordidinhas, ele me morde de brincadeira e eu também nele, hahaha...

Sim, sou retardado mesmo, só um cara bem louco pra morder um cachorro. Mas não gosto de falar que sou louco não, só não tenho vergonha de ser feliz nessa vida, hahaha... Não tenho muito tempo mesmo ainda pela frente pra viver, enfim. Tem que aproveitar!

E essa é uma homenagem a esses dois que são tão diferentes, mas não vivo sem! Arte by eu também. Acima o Betão, embaixo o Bibi. Sim, é um Lhasa Apso meio preto e branco! Me falaram que é muito raro.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog