domingo, 12 de abril de 2009

Pouquinho de gula.

Ganhei de páscoa o ovo trufado da Cacau-show, com maracujá e chocolate ao leite. Animal, heim? E nem é tão caro como os da Kopenhagen, e valem bem a pena. Eu que não sou fã de chocolate, nem de doce, mas já comi metade inteirinha, estou indo pra segunda metade.

Ficou bom. Gosto dessa competição empresarial. Ovos de Páscoa caseiros, trufados inclusive, é uma coisa relativamente bem velha, mas não tinha visto antes uma industria fabricando em larga escala os trufados. Diz aí, Cacau show dominou o Natal com seus Panettones (que aliás morri de vontade querendo comer, e nem acabei experimentando!) e agora dominou a Páscoa com ovos trufados - coisa que víamos apenas entre as produções caseiras. Tomara que Lacta, Garoto e Nestlé aprendam, e quem sabe ano que vem lançam uns trufados pra pessoas como eu, que não suportam o gosto de chocolate puro, e prefere um gostinho no meio. Afinal só aquela coisa marrom sem graça não dá, tem que ter alguma coisa no meio!

Menos se for chocolate branco, óbvio. Aí pode mandar toneladas que eu como purinho mesmo. Se for igual Galak então, daquele bem seco mesmo e bem doce, vish... Faço estrago.

Esses dias tava zanzando pela cidade depois de levar alguns foras fenomenais de garotas que queria sair no sábado mas acabou não rolando, e fui numa loja da Kopenhagen. Primeiro fiquei pasmo com a quantidade de asiáticos que tinha lá, meu Deus... Eram velhos, crianças, mulheres, uau. E resolvi experimentar a tal da Nhá Benta, hehe.

Se eu disse que não gostei tanto, alguém vai me bater? Hum.. Então não falo! Mas não gostei mesmo muito não. É muito forte o chocolate, e aromatizado demais. Mas o Marshmallow, meu Deus! Aquilo é o licor dos deuses, sem dúvida. Macio, úmido, com uma textura que derrete sozinho na boca e um leve gostinho de manteiga. Tinha uma hora quando tava acabando o bombom que eu tava separando a casca de chocolate só pra comer aquele recheio puro, realmente uma coisa muito boa.

Um veneno branquinho. Mas se for com isso, prefiro ser envenenado, haha...

Não sou uma pessoa levada por preço não. Tem muita coisa baratinha que eu não troco por nada, entre eles os chocolates da Pan, em especial o guardachuvinha. É o único chocolate que eu admito comer sem fazer cara feia, haha... Se fosse dez reais cada um acho que mesmo assim eu pagaria só pra sentir aquele sabor único deles. Tem muita gente que é levada por preços altos pensando que vem coisa boa - ás vezes é até verdade, mas isso não é regra. Eu experimento, se gostar, nem ligo pro preço não porque isso influencia. E muito.

Ainda no campo da gula, há exatamente uma semana eu exagerei um bocado na comida. Além de ter tomado um café bacana (uns dois pães com presunto e refrigerante), ainda comi um salgado e saímos pra comer fora. Não resisti e pedi uma travessa de torresmo - um vício que a doutora sempre manda eu manerar muito, senão não chego aos quarenta, haha - mais outra de bife acebolado. Depois pedi o prato principal, costelas de cordeiro, com batata com um nome engraçado, uma travessa de arroz supimpa isso sem contar a bebida (sem alcool, só no suco ou refrigerante!). Depois ainda comi uma banana split e um quindim.

Normalmente eu não passo mal. Na verdade eu quase nunca passo mal com comida (não com quantidade, mas sim quando misturo algo que não cai bem, como manjar de côco com feijoada), mas a quantidade de comida é proporcional ao tempo de sono que eu preciso para uma sesta depois. Resultado? Dormi umas três horas, e acordei ainda sem fome!

Mas pra quem dorme normalmente uns dez minutinhos, ficar umas três horas apagado, bem... De fato, me senti cheio de comida como nunca sentia há décadas.

Uma páscoa farta pra todos. ^^
Nessa época do ano normalmente eu passo meio de jejum, haha...

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog