domingo, 3 de maio de 2009

da Paixão.

deuses Olímpicos. Porque me dão tanta ternura e tanta frieza juntos?

Ao lado dela sinto-me tão bem. Sempre me sentia assim antes com ela, mas agora está tão intenso. Tudo fica tão engraçado, bobinho e infantil. Sinto-me amando como uma criança, um amor puro sem fronteiras, onde a felicidade está no simples fato de estar ao seu lado!

Quando me despeço fico tão triste, não sei o que pensar, nem ao menos sei onde estou. Quero vê-la, falar novamente alguma coisa, mas não a encontro. Não durmo pensando onde ela estará, não vivo pensando o que ela está fazendo, e longe dela apenas existo.

Porém junto tudo muda, e por mim, todos os dias seriam assim, todos os finais de semana, todos os momentos. Como estar apaixonado é uma coisa que mexe com a gente de tal maneira, que exatamente quando sentimos esse sentimento, nos dominando, de alguma forma nos trazendo a tranquilidade no lado esquerdo do peito, ao mesmo tempo sentimos o caos, nos sentimos incapazes, frágeis e bisonhos.

Mas ela me faz tão bem. Mas também nem duvida disso (acredito eu!).
E se duvidar, o que farei? Nem eu sei.

De vez em quando entro num desespero quando ela encontra alguém. Sinto uma tristeza imensa, mal consigo me concentrar. Sinto-me um impotente, um inútil. Exatamente pois não sei se ela olha, ou se um dia sequer olhará pra mim! E quando estamos juntos me sinto tão bem, tão feliz. É uma coisa tão simples, sem preço, sem validade e ao mesmo tempo tão e... Bobo! Gostar de alguém é uma coisa tão boba, mas mesmo assim continuamos a cair nessa mesma bobeira, e continuaremos até que encontremos alguém (e eu espero encontrar!) alguém que faça sentir esse bobo apaixonado pelo resto da vida. Será que é ela?

Ah, mas... Se ela me olhasse! Meu Deus! Nem eu sei onde estaria. Talvez experimentaria aquilo que meu conterrâneo Shakespeare dizia, não por ele ser da velha Bretanha, mas de ser de um lugar onde os homens não tem vergonha de amar uma mulher, porém têm medo de demonstrar isso...

Sinto pena. Mulheres sempre dizem que bons homens são casados ou gays. Porém nós homens sabemos que mulheres são boas quando percebemos que elas não olham pra gente - preferindo olhar pra um outro que inclusive nós sabemos que só as fazem sofrer e eles acabam por fazê-las triste... Essas são mulheres tão únicas que nós percebemos o seu valor, e juramos pra sempre tratá-las muito melhor do outros. E cumprimos! Mas nunca temos uma chance...

Como são estranhas essas encruzilhadas bizarras do coração tingido de paixão.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog