sábado, 20 de junho de 2009

Me deixa ser.

Quero ser a música que embala o balanço do seu corpo.

Me pergunto que valor tem o ar que respiro se não sentir o seu perfume. É como a grande diferença que se tem entre meramente existir e viver com todas as energias. As coisas não tem graça, sorrisos não são os mesmos, nem as cores do mundo.

Te chamar para dançar. Extender a mão e pedir para compartilhar aquele momento onde, mesmo que o baile esteja cheio de pessoas, por aquele pequeno momento só exista eu e você, ambos de mãos dadas, corpos unidos e olhos nos olhos. Nos deixaremos levar como vento que sopra na árvore, entraremos em transe, nossos corações palpitarão rápido e o frio tomará conta de nossos estômagos.

Você confiará em mim, e munido disto a levarei para lugares que nunca antes imaginara. Posso não ter dinheiro, ou um bom emprego, mas tenho um coração pronto a deixar qualquer coisa para estar do seu lado. E sei que talvez até no começo existirão as incertezas, a instabilidade distorcida. Mas eu terei você, você terá a mim, e sempre iremos querer o bem do outro e acredito que com isso conseguiremos qualquer coisa que quisermos. "Você quer a Lua? Me diga, pois eu a laçarei e trarei a você."

Apenas dê uma chance, nem que seja um dia para sermos feliz nesse único dia. Não quero beijos, não quero amassos, não quero sexo. Quero alguém que olhe no meu olho profundamente como nas raras vezes que vi na vida, que me dê um abraço cheio de ternura e agarre na minha mão e sinta que lá no fundo, lá no fundo mesmo, ainda sou um pobre garoto apaixonado que não é amado.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog