segunda-feira, 6 de julho de 2009

Algumas coisas bacanas da democracia.

Como muitos já sabem, não sou alguém que gosta de democracia. Sinceramente não acredito nesse "meio termo" chamado democracia, sou de extremos, pra mim ou é ditadura Kim Jong Ill ou anarquismo. Não acredito nessa de: Liberdade acaba quando começa a do outro e outras coisas. Porém algumas coisas bacanas na democracia acho interessante, ainda mais no Brasil que a gente vê a democracia caminhando devagarinho, quase parando, mas vai andando! Embora o povo ainda acredite que é plenamente subordinado ás pessoas que colocou lá (o que é mentira, pois se ele me representa eu posso muito bem tirá-lo quando não estiver indo de encontro aos meus anseios) é legal ver que vai amadurecendo mesmo assim depois de tantas ditaduras e mão-de-ferro.

Apesar se eu odiar os Estados Unidos, e provável que eu seja a única pessoa da minha geração, afinal o que eu mais vejo é neguinho correndo pra baixar a banda do momento, assistir o filme da hora e coisas do gênero. Ao mesmo tempo não sou hipócrita em dizer que não vejo nada deles, prefiro evitar e ir ver de todos os cantos do mundo. Ficar só recebendo de um canto não dá, definitivamente. Fecha muito sua visão de mundo. Bollywood r0x.

Mas uma coisa que o Brasil, e os brasileiros, sabem muito bem fazer, além de falar inglês porquíssimo tanto aqui quanto lá (desculpe, nós ingleses ainda mantemos nossas origens) é imitar. Tem algumas imitações boas, outras ruins. Uma que gosto bastante é como o povo lá veste a camisa mesmo dos partidos. Se você é republicano você odeia negros, latinos e jamais vai votar no Obama, além de homofóbico. Se você é Democrata você é gay, tem uma filha loura casada com um negão ou asiático (dou muita risada com o clichê famoso hollywoodiano sobre asiáticos serem pessoas que não existem!) e curte tomar um sol também em Miami Beach. Lá vestir a camisa do partido é quase um Fla X Flu, ou um Timão X Bambis, ou Grenal. É rivalidade forte! Quase um ódio como britânicos e franceses, ou portugueses e espanhóis.

Agora aqui, se a pessoa demonstra uma preferência, normalmente é convidada a se calar, exceto se é do PSDB. Claro, que o PSDB tem um poder imenso pra calar a mídia, isso ninguém nega. Pra esconder as coisas também, coisa que o PT e PMDB tem que aprender. Na próxima corrida presidencial do país tupiniquim teremos o embate Serra contra Dilma. Se Dilma estiver viva até lá, enfrentará um candidato forte, muito forte. Governo obviamente elitista, enquanto o outro é pros pobres miseráveis. Nós da classe média ficamos aonde? =P

Não me venha com PMDB.

Esse é o primeiro post pra mostrar meu ódio por José Serra. Quando ele se elegeu prefeito de São Paulo, e prometeu não deixar a prefeitura pra concorrer ao governo do estado me deixou profundamente desacreditado nele quando deixou e virou governador, que era alguém pelo qual eu tinha muito respeito. Nunca vou esquecer isso, ainda mais porque ele deixou o robôzinho faz-xixi-cocô do Kassab no lugar, que só ajudou a mim com o Hospital M'Boi Mirim e era até pouco tempo atrás um desconhecido na população paulistana. O prefeito que só fez uma coisa, o Cidade Limpa que francamente, não mudou minha vida.

Não gosto e não darei meu voto para José Serra. Verdade ou não, não gosto de coincidências, principalmente essas últimas contra o Sarney. Tá, o Sarney é um saco de batatas parado, que fodeu o Maranhão de norte a sul e pela primeira vez na vida estou vendo ele com uma opinião firme, não aquela metamorfose mais que ambulante pulando de apoio sempre (apoiando a ditadura, depois a democracia, depois FHC, depois Lula, enfim... De galho em galho). Talvez essa crise no senado venha em boa hora, tá na hora do Sarney ir e sair da vida política de vez, embora o partido dele seja um dos que mais apoiam o governo Lula.

Abram os olhos. Ano de eleição, um partido sem conseguir o poder há tantos anos vai, obviamente, jogar tudo, todas as fichas, desesperadamente. Não estou dizendo que o PT seja maravilhas, não gosto do PT também, mas isso do lugar de onde eu venho é jogo sujo, muito longe do que chamamos lá de fair play, jogo limpo. Gostei bastante desse vídeo que vi no Orkut de um amigo (valeu, Bruno!), e mesmo que três pessoas leiam o blog, acho importante de alguma forma divulgar: política não é o show de publicidade que vemos a cada quatro anos. É o seu destino e o destino de todos, brasileiros, naturalizados, negros, brancos, asiáticos e bozos da guatemala que vivem aqui. Não vão movidos por propagandas, mas por fatos. Só de ver na web já dá pra ler, ver e ouvir tudo de ruim e bom que cada um deles fizeram de verdade, não essas propagandas do horário político.

Fica aí agora o videozinho maneiro. Engraçado, no mínimo:

1 comentários:

Cris disse...

Uma alma "politicada" por aqui, meu Deus! Salvem os anarquistas! (anarquistas e Deus no mesmo comentário, se liga!)

Postar um comentário

Arquivos do blog