domingo, 5 de julho de 2009

Com tamanha confusão, não sente vontade de gritar?

Cansado desse ruído da sociedade. Me cansa andar e ver a hipocrisia das pessoas, cansa ver os sujos falando dos mal lavados. Exausto de ver seres humanos que cobram autoridades para melhorar a vida dos pobres só pra não dizerem que não fizeram sua parte - e os mesmos idiotas não perceberem que podem fazer muito mais que apenas falar nos jornais e denunciar. Não dá nada, filhos da puta incompetentes. Cansado de gritos, dessa vida nojenta sem significado entre tantos. Das pessoas me chutando, e das outras dizendo que tenho que sempre me levantar. Me deixa na merda, porra! Esse sistema é um caralho.

Dizem que estou errado, que sou contra todos, que sou contra a normalidade, os padrões da sociedade e que fujo deles. Pega na minha rola então que vou te mostrar a merda da normalidade que você procura. Se você me diz que estou errado, melhor provar que você está certo. Enquanto você fica zanzando por aí vendendo a alma dos outros, eu guardo a minha. Guardo o meu jeito de ser, minha história (ou estória) e nessa parte que eu mostro que sou forte, que sou capaz. E não vou nem jogar a toalha.

Buzinas estridentes ecoando e perdendo-se
No nada
Nos prédios
No cinza
No vidro
No quarto
No cinzeiro com o cigarro
Na criança que dorme em seu berço coberto e com Mozart ao fundo
E que nem pouco sabe que quando sair de lá será esfaqueada por trás
Esfaqueará outros tantos também, porque não?
Verá que o ser humano criou regras, criou leis para conter o seu jeito animal
Mas é o mesmo ser humano que pensa com o seu pinto, age pelo estômago, mata com uma palavra e humilha os outros por mera e simples vontade de acabar com seu tédio.

Me diga então, olhe nos meus olhos. Fale bem alto, grite nele.

Com tanta confusão VOCÊ não sente vontade de gritar?

Você é vitimizado pela sociedade, enquanto uns gritam pra te tirar do círculo do robotismo, outros entoam uma marcha quase fúnebre onde você tem horários marcados, a novela ás oito, a mesma comida fria sem sabor, uma esposa com peitos caídos e barriguda te esperando em casa e um despertador pra te dar bom dia.

Depois perguntam quem é louco na sociedade. Me diga!! Quem é louco? Eu sou louco? Você não é louco? Quem é louco? Eu sou louco? Você não é louco? Quem é louco? Eu sou louco? Você não é louco? Quem é louco? Eu sou louco? Você não é louco? Quem é louco? Eu sou louco? Você não é louco? Quem é louco? Eu sou louco? Você não é louco? Quem é louco? Eu sou louco? Você não é louco? Quem é louco? Eu sou louco? Você não é louco? Quem é louco? Eu sou louco? Você não é louco? Quem é louco? Eu sou louco? Você não é louco? Quem é louco? Eu sou louco? Você não é louco? Quem é louco? Eu sou louco? Você não é louco? Quem é louco? Eu sou louco? Você não é louco?

Todo mundo é louco! Não tem como não ficar louco.
Você não é louco? Como não?? Deixemos nossa insanidade de lado, voltemos ao nosso miojo em copinho morno, nosso céu azul e continuaremos a olhar no espelho todos os dias e deixemos de ser nós mesmos pelo que a sociedade impõe, e estaremos despertando aquele louco intolerante dentro de nós.

E seremos felizes. Pois seremos "normais". Teremos um emprego chato, uma esposa chata, um leite com toddy chato e até a coca-cola quente. Beijovaproinferno.

(Autor Desconhecido)

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog