sábado, 18 de julho de 2009

O nome é Paula, Alain de Paula. ;D

Hahah... Ainda bem que não daria certo se eu entrasse no MI6 com esse nome. "Meu nome é Paula", "ah... Oi Paulinha!", kkk... Acho que o original italiano "diPaulla" ficaria mais bonitinho. Esses dias no Telecine está passando os filmes do 007, começou no Dr No, pulou um monte e agora já está indo no fim. Pena que é dublado, aquela voz do Leslie Nielsen não combina com o Sean Connery!

Como estou desenterrando coisas, vou desenterrar mais essa. Se tem um que sou admirador tanto quanto Michael Jackson é James Bond. Assisti a todos os filmes, sem exceção e livros infelizmente só tenho um do Ian Flemming, o "Viva e deixe morrer", que mostra um Bond totalmente diferente do filme, mas também interessantíssimo. Fica aqui a dica pra lançarem mais no Brasil, ó pá!

Esses dias tava revendo vários vídeos bons, um deles até com todas as famosas sequências do Gunbarrel, que são um dos maiores ícones e marcas de Bond. Muita gente critica pra caramba, que o Bond é um ícone do machismo, da vida boêmia e do sexo não seguro. Porém gosto mais da idéia por detrás de James Bond - uma coisa que eu moleque não entendia, e demorei tanto a compreender quanto saber o que James fazia de tão interessante pra tirar a roupa e ficar na cama com as mulheres, sim eu era uma criança muito pura e imbecil. Levei décadas pra entender a estória do "passarinho do menino que entra na gaiolinha da menina"...

Bond era muito mais uma "arma política" pra aumentar os ânimos dos bretões e divulgar ainda mais o medo dos comunistas para o mundo. Isso ao menos eu concordo totalmente. Agora o resto podemos pular.

Como já vi todos os filmes, quero destacar uns três realmente muito bons! Como de praxe, eu saio muito dos clichês, vou indicar uns alternativos - longe do Goldfinger por exemplo que TODOS indicam, sem desmerecer pois é um excelente obra-prima "Bondniana". Vamos focar nos que poucos conhecem ou poucos viram.

Com 007 Só se vive duas vezes (You only live twice) - 1967
Antes que o pessoal fale: PORRA! TEM JAPONESAS NESSE FILME! Eu indico por ser um excelente filme. Nele que começa a trilogia do "maior vilão de Bond", o oficial arquiinimigo Blofeld. Gosto muito da visão dos asiáticos que esses filmes dos anos sessenta tem. Gosto porque é hilário, eles não sabem se tratam com curiosidade, respeito ou fetiche. Tanto que hoje as asiáticas são mais ocidentais que os próprios ocidentais, hehe... Filme chama a atenção por James Bond morrer (!), logo no comecinho do filme, mas claro que ele sobrevive e vai pro Japão, onde além de apresentar todas as curiosidades, tem a belíssima Akiko Wakabayashi e uma das poucas aventuras na Asia de James Bond.

007 A Serviço Secreto de Sua Majestade (On her majesty's secret service) - 1969
Muita gente odeia. Odeia porque é nesse que o Sean Connery deixou o papel (depois ele volta, dizem que o Harry Saltzman quase beijou os pés dele implorando a volta). Odeiam porque o ator é ruim, e é um que foge um bocado do Bond sendo pregado até então. Não cheguei a ler o livro, mas é uma das histórias mais românticas de Bond, e o filme tem muito desse romantismo. Afinal é nele que Bond conhece Tracy Draco, sua única e oficial esposa com quem tomado por uma paixão casa-se com ela! Ela porém infelizmente acaba sendo assassinada, um fator importante, de acordo com o próprio autor, para formação do caráter triste de Bond, por tão novo ser viúvo.

007 O Espião que me Amava (The spy who loved me) - 1977
Esse é meu segundo favorito disparado. Perde só pra GoldenEye. Esse filme aliás é uma excessão da excessão, acho por isso que eu o acho tão bom. Mostra a união de Britânicos e Soviéticos contra um vilão em comum. Além de ser cômico, como os filmes de Roger Moore como Bond, tem uma história que passa por vários locais interessantes, além de ter um dos vilões mais famosos, o Jaws "Dentes-de-aço" além da trilha belíssima cantada por Carly Simon, "Nobody does it better". Puta filmaço que nem sempre é lembrado. Destaque à parte fica pra Bondgirl Barbara Bach, na minha opinião a mais bela de todas as Bondgirls.

007 Marcado para morrer (The Living Daylights) - 1987
Se o outro eles estavam se abrindo para parcerias soviéticas, essa por sua vez existe deserção. Muito o clima da época, pertinho da Glasnost. Filme mostra o treinamento de agentes duplo-0, inclusive o 002, 004 e 007 treinando. A Bondgirl é lindíssima, e esse filme é um dos mais aclamados pela crítica, embora acho que os fãs não curtem tanto. Ah, e foi um dos únicos dois filmes que Timothy Dalton fez, e logo após esses marcou um grande hiatus de James Bond.

007 contra GoldenEye (GoldenEye) - 1995
Chega de soviéticos! Vivemos num mundo onde a ameaça é o terrorismo. Peguem um irlandês, que fez sucesso e muito com a mulherada (polls indicavam que ele só perdia pro Sean Connery), apresente 006, mais uma Bondgirl vilã e russos confusos no pós-Perestroika. Receita de sucesso foi o primeiro filme que vi de Bond, obviamente era pirralho. Rendeu um dos games mais aclamados de tiro (GoldenEye 007 para Nintendo 64), além da Isabella Scorupco no papel de Bondgirl. Precisa de mais alguma coisa?

007 - Cassino Royale (Casino Royale) - 2006
Não gostei tanto do Daniel Craig - não por não ser bom ator, é excelente, mas por "não ter cara de Bond". Filmes são excelentes também. Mas escolher entre Cassino Royale e Quantum of Solace é pedir pra ajoelhar no milho. São muito bons. Mas fico com esse primeiro por ter Eva Green fazendo a Vesper Lynd. Pena que é francesa, mas nem tudo é perfeito. Também é bom pois pra nós, fãs que acompanham toda a série, ver uma figurinha velha de volta: Felix Leiter, o agente da CIA e um dos únicos amigos de Bond. Administrar um filme com tantas cenas de pôquer sem parecer tedioso foi uma tarefa muito bem desempenhada pela produtora Barbara Broccoli, filha do cara que levou Bond ao cinema, o Albert "Cubby" Broccoli.

Post Scriptum - Essa é a postagem de número 200! Móderfoquer!! Já dá um livro de merdas escritas by me®.

1 comentários:

Gabi disse...

E você esqueceu da Tina Turner, cantando o tema de 007 Contra Goldeneye. Eu ADORO aquela música! Até hoje...hehehehe!

Também foi o primeiro filme do Sr. James Bond que eu vi e também era pirralha, huahuahahua! Joguei muito o jogo, gostava daquele cheat do paintball, ficava tudo colorido! Hahahaha!

Beijos!

Postar um comentário

Arquivos do blog