domingo, 13 de setembro de 2009

Bela e a Fera.

Bom, estou começando porque estou sem idéia. Mas depois eu pego embalo, bem estilo Maicou Jéquisson (Auu!). Estou nesse momento vendo um álbum de uma amiga que foi assistir a Bela e a Fera - Musical da Broadway.

Fico abobado como a Bela e a Fera continua atraindo em especial o público feminino. Não vou dizer que as outras princesas como Cinderella, Branca de Neve e afins não tenham seu charme, mas a Bela e a Fera tem um drama que embora seja o mais fantasioso de todos (um homem pouca coisa mais peludo que o Toni Ramosse que se apaixona por uma topetuda pobre espertinha) ainda é o que mais se aproxima da realidade. Exatamente porque conta o processo, e não somente a parte do "Felizes para sempre".

Foi um dos primeiros da Disney que eu vi. O primeiro lembro até hoje, foi a Dama e o Vagabundo. Até hoje é um filme que me emociona bastante. Obviamente este tem um carinho emocional de minha parte, então sou suspeito de falar sobre este!

A Bela e a Fera como disse mostra todo o processo, é um filme romântico-infantil. Começa desde a Bela sendo chamada pra trabalhar no palácio do nosso amigo peludão e culmina quando ele vira o Brad Pitt no fim. Acredito ser ele também um dos responsáveis por criarem algumas meninas tão crentes em amor dessa geração - o que não é ruim, também não necessariamente bom (hoje estou meio malvado, sorry).

Pra quem quiser saber mais sobre, indico que procure saber sobre a Renascença Disney, que foi esse período desde a Pequena Sereia até Tarzan, onde basicamente a Disney volta a fazer histórias de contos de fadas/fantasia e que muitos dos que viram essa era agora ou são adultos ou no mínimo adolescentes.

Se os adultos são influenciados pelas novelas, a molecada fica com os desenhos animados. A geração do Mario Bros, Pokémon, Bela e a Fera, Biscoito Fofy já são adultos. E vamos botar o mundo de ponta cabeça, hehe. ;D

Embora, acho que a molecada de hoje, os que viram Shrek, Lilo & Stitch, Bolt, Era do Gelo e A Princesa e o Sapo queria saber como se portarão quando tiverem seus vinte anos. Se for seguir pelos filmes, serão pessoas que aceitam as diferenças, sabem se virar com o que tem e não são preconceituosas. Já a minha, acho que se encaixa mais nos românticos, amigos, fiéis e heróicos, hehe (nada modesto, mas sou leonino, não me peça pra ser modesto!).

Valores de cada geração, certo? Cada vez mais uma geração se dá em um tempo tão ínfimo de diferença com a anterior...

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog