domingo, 15 de novembro de 2009

Ai esse centro, tão abandonado que dá até pena...



Tirei essa foto hoje, pouco depois de me despedir da minha menina lá na Praça Julio Prestes. É complicado ver como um lugar palco de tanta riqueza e prosperidade como a região da Luz foi hoje é tão feia, desgastada, e abandonada. A gente dá pra ver como é largada só de ver a quantidade de poças na calçada.

O que fico mais triste é que voltou por puro interesse econômico, afinal a Luz é um local do centro bem desvalorizado, não apenas pela Cracolândia que fica ali do lado, mas é uma área que só tem a Estação da Luz e a Pinacoteca como pontos bonitos.

Tenho uma teoria que a beleza nas coisas atrai a beleza no ser humano. Se um lugar é bonito, bem arborizado, sem vandalismo nem depredação, acaba atraindo e melhorando a vida das pessoas apenas por sí só. Sabe, dou o exemplo da Linha Lilás do Metro (saindo da puta-que-o-pariu, a.k.a Capão Redondo e indo até merda-nenhuma, Largo Treze) que são trens com ar-condicionado, bem estofados, um luxo só. Não vemos tanta depredação, muito pelo contrário! Estão bem organizados, praticamente da mesma maneira desde que foram entregues, há uns seis ou cinco anos atrás.

A beleza do local que traz um sentimento de cidadania para o povo, que o mantém desse jeito. Agora as pessoas olham para a Júlio Prestes, vêem uma praça feia que dói, ali do lado prédios todos deteriorados, locais abandonados ou bizarros. Ou então os dois! Eu gostaria sinceramente de morar mais no centro, pra mim qualquer lugar depois do Largo Treze seria o ideal. Pra nós que moramos e dependemos da condução que passa pela M'Boi Mirim é um inferno sobre terra quando os ônibus chegam nos entrocamentos da Adolfo Pinheiro e literalmente param.

A beleza é algo que inspira o ser humano a ser algo melhor.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog