quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Retrospectiva sem o Chapelin.

Recapitulação dos posts, huhuhu. Tou sem assunto, exceto que estou de péssimo humor e quase sem dinheiro. Vamos lá!

Janeiro - Ow, levei um fora (novidade!) e encontrei a cambada do colegial. O povo tá todo se casando e tendo filhos e eu aqui, sem ninguém pra deixar prenha (mas eu não sou estéril?)!

Fevereiro - Li (finalmente) os Miseráveis, do Victor Hugo, o primeiro livro. Fiz um artwork baseado numa amiga japonesa que acho que até hoje ela nem desconfia que seja ela.

Março - Mais filmes! Sayonara, um dos romances mais bonitos que já vi até hoje. E um dos maiores (e melhores!) desabafos sobre ex-namorados. Ô raça que me dá raiva e fode minha vida!

Abril - Fiquei assistindo dramalhões asiáticos e alertei sobre continuar ou não. Bem, mamãe sempre diz que pau que nasce torto...

Junho - Montidicoisa! Paranapiacaba, Timão Campeão, Marley e eu, que me fez chorar o dobro do que chorei em E.T. - O Extraterrestre. Secret, do Chou Jay, Como nasce um layout (ao menos começou nesse mês!), a merda em CD chamada NEXT LEVEL, Silvio Santos como sempre, me surpreendendo.

Julho - Inferno astral e tals. Pra começar bem, uma bela duma pneumonia me fez pela primeira vez na vida sentir medo de morrer. Como se eu morrer não bastasse, a morte de um Grande Ídolo mexeu profundamente comigo. Um free-talk dos mais divertidos, e um post que considerei muito autobiográfico (tem alguém andando na calçada da paulista!).

Agosto - O primeiro artwork nú! Huhuhu. Seios QUADRADOS (sou péssimo pra desenhar boing-boings). Acho que me encontrei bastante no Eleven Stripes. Ao menos valeu como reflexão.

Setembro - Yuuuupi! Primeiro de setembro, feriado nacional.

Outubro - Comprei o ingresso do Dir en Grey, mano! Meu primeiro estágio (que meigo!) primeira vez que fui ver o Timão jogar! E isso aqui, que foi a gota d'água. Obviamente pedi sinceras desculpas pelo ocorrido.

Novembro - Erica! Meu amoreco nipônico. Começou e terminou. Coincidentemente, pelo destino ou não, re-encontrei a Manu, minha irmãzinha mais que amada. E a segunda versão das Onze Listras. E óbvio, show do Dir en grey!

Dezembro - O último projeto da faculdade! E uma retrospectiva do que ouvi que curti em Asian Music nesse ano.

Concluindo: Muitos me perguntam pra que ter um blog. Muitos dizem que é para guardar acontecimentos, falar do dia, reclamar do quão alto seu vizinho ouve funk, ou sobre um tema qualquer. Porém, quando eu comecei um blog tinha uma idéia diferente. Lá atrás, em 2005, minha vida tava passando por um turbilhão muito bizarro, muitas coisas acontecendo e imaginava que nada, nada, absolutamente nada teria sentido daquele momento em diante.

Hoje vejo que me enganei. Ainda bem!

Se escrevo um blog é porque quero ver o tempo passar e ver o tempo passando. Quero olhar pros meus posts lá de anos atrás e relembrar o que acontecia, o que pensava, o que tomei na cara e o que me dei bem. As pessoas estranhas que comentavam (Clarinha! Ou Sandra, ou Ana, ou sabe-se lá deus quem era...), as palavras de conforto que recebi, as coisas que mexeram com meu coração.

Por isso talvez que não desisto, sempre posto, pois se não postar esse registro tem sentido algum.

Óbvio é apenas um grão, e não passam de três acessos diários. Provável que seja um psicopata que acesse todo dia, ou então uma admiradora secreta (huuum!). Mas tenho em mente que talvez o que escreva possa ajudar alguém, sensibilizar alguém e porque não, ajudar a mim mesmo, a me conhecer, a saber de meus limites e meus gostos.

Afinal, como eu mesmo digo no meu Orkut: "Acredito ser muito mais um expectador da minha vida do que alguém que atua nela". E de fato, rever os posts é algo que mostra quão grande é essa deliciosa vocação de sermos observadores da vida.

Feliz 2010!

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog