quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Um pensamento natalino


Vivemos num mundo onde é normal crianças serem arremessadas de prédios. Crianças terem pais fisicamente, mas não emocionalmente. Crianças andam nas ruas e não entendem porque aquela outra tem brinquedos e ela não.

Sinceramente, mesmo levando poucas e boas do bicho homem, eu ainda acredito no ser humano. Não em todos, óbvio. Existem uns que não tem cura, infelizmente. Porém, acho que a tendência é cada vez mais a coisa piorar. Mas o mundo ainda não está perdido.

O Natal foi como sempre, aquela data cheia de ofertas arrebatadoras, pessoas nas propagandas dizendo que eu tenho que ter um iPod, que eu tenho que comprar um carro novo e que eu tenho que comprar um liquidificador. É incrível, mas é todo um poder para passar aquela necessidade incrível e urgente - e por um momento quase sempre caio - mas acho que pelo fato de eu ganhar uma merreca de salário sempre escolho as opções de comer pouco, comprar pouco, gastar pouco. Logo, sempre sobra dindin.

Hoje estamos numa era onde é fácil e barato comprar muitas coisas. E pasmem, muitas delas baratinhas não são ruins. Somos bombardeados com propaganda integralmente, compramos imagens, queremos ser aquilo e ser coisa que não somos. Queremos comprar maquiagem pra ter a pele que não temos, a roupa para parecermos quem não somos, a música para consumirmos...

Ano passado falei de perdão. Hoje falarei de humanidade.

Vamos ser humanos! Vamos falar bem uns com os outros, vamos conversar com as pessoas, vamos tratar os outros como queremos ser tratados. Até mesmo no meu emprego, tem dias que quase todos lá estão estressados, raivosos, mas penso: "Oras, pra que ficar assim? Não existe um trabalho exigente o suficiente para tanto". Vamos dar risada, vamos ser sérios também! Vamos brigar, reconciliar, chorar, e sentir emoções e viver esse momento.

Um dos maiores presentes que o ser humano pode dar ao outro é uma mão solidária. Existem infelizmente pessoas que puxam o tapete dos outros, põem a perna para fazer o outro tropeçar... O que diferencia o ser humano dos animais é exatamente esse conceito de humanidade, de solidariedade. Ficamos tristes com cães velhos, mas ao invés de fazer o que a natureza diz, que é "descartar, matar, ser um nazista", nós cuidamos e tentamos prolongar a vida do ser.

Será que custa muito ser solidário com o outro também? Acredite, não existe presente maior que você pode dar do que ajudar um outro num momento complicado, resolver um problema sem esperar nada em troca pois acredite: se você faz coisas boas na vida, obviamente você vai também levar coisas ruins. Entenda que coisas ruins afetam todos, mas a diferença de quem faz coisas boas é que lá na frente essas coisas boas voltam em forma de bençãos.

E que seu natal seja abençoado. Que você tenha muita fartura, muita felicidade e que se lembre de algumas coisas bacanas que aquele homem de judéia que nasceu há mais de dois mil anos deixou para nós, e que seu natal seja também repleto de amizade e amor.

Papai Noel, abusando um pouco da sua boa vontade, pode me dar uma namorada?
kkkkkkkkk... Compromisso sério dessa vez, heim!

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog