quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

spanking Overdose.

Hoje apareceu o novo serviço da Google, o Google Buzz. De buzz, só conhecia o Blogger Buzz, o qual sempre leio pra saber das novidades e das coisas novas manjadas no Blogger Labs. Buzzes de lado, estamos vendo um momento muito bizarro no mundo, que trará mudanças drásticas - mas não o fim do trânsito em São Paulo. Isso não tem jeito MESMO!

Esse tipo de coisa a gente só se manca da merda depois de muito tempo. No começo da industrialização a fumaça dos trens e das indústrias era branca como as nuvens do céu, depois virou a fumaça escura que os eco-tapados hoje em dia metem o pau e dizem que o mundo vai acabar por causa da fumaça do meu peido. Cigarro era charmoso, mas poxa vida, câncer a gente pega até se tomar sol sem protetor solar, e muitos dos que morrem de câncer de pulmão são fumantes compulsivos. Conheço gente que consome nicotina há décadas e não tem absolutamente nada, talvez porque fumam numa quantidade não exagerada?

A gente vive numa sociedade muito chata onde o que é convenção as pessoas abaixam a cabeça. Eco-retardados falam sobre o consumo de carne, que consome água, cria metano e que meu pinto vai cair (entre outras merdas pra fazer você acreditar), mas trilhões de estudos que refutam essa idéia - mas exatamente eles acabam não tendo o mesmo impacto pois continuamos subordinados a esse "Big Brother" (o Grande Irmão, não o programa do sádico Boninho) que nos diz o que é certo, o que devemos fazer, etc.

Fico imaginando isso que estamos começando a ser bombardeados, com tanta informação, vai chegar um dia que iremos surtar, ter um conhecimento trilhões de vezes maior que nossos bisavós e todos iremos pro psiquiatra curar nossa sede de conhecimento e informação? Vai chegar um tempo que a Google de empresa mais legal do mundo vai ser a derradeira da nossa desgraça e alvo da inimizade e processos afora?

Sinceramente, tenho medo da onde as coisas podem chegar. Orkut, MSN, Gtalk, Gmail, Twitter, Google Buzz, e tantas outras são ferramentas feitas exclusivamente pra nos comunicar. Coisa que apenas um e-mail vagabundo no BOL faz, ou então um bom e velho telefonema ou encontro cara-a-cara. Não digo sobre acabar com a socialização, mas será que não temos ferramentas em demasia pra surprir uma necessidade tão simples?

Não acredito que precisamos de tantas coisas assim no final das contas.
As coisas podem ser mais simples!

BEM mais simples.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog