segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Apple modifica o mercado. Mas nunca consegue se manter no mercado.

Esses dias estava lendo algumas coisas legais sobre Blackberry e resolvi refletir um pouco. O que falo aqui vai de encontro com o que muitos designers pregam, até porque 90% dos designers são verdadeiros amantes da maçã de Steve Jobs. Eu não sou. Na verdade eu reconheço que existem algumas coisas boas, e sou bem suspeito pra falar até porque sou designer. Mas a questão que quero levantar aqui é que a Apple é uma empresa muito mais de "revolução" do que de "evolução".

Tomemos o exemplo do iPhone e os primeiros Macintosh, e compararemos com outros tantos de acordo com essa perspectiva.

Macintosh revolucionou o mercado pois tornou o computador pessoal. O iPhone revolucionou o mercado pois introduziu uma nova interface e um sistema operacional, dando ênfase basicamente à interação. Seria tolice dizer que celulares não eram computadores antes do iPhone pois... Eram! Nokia N95 foi um celular muito importante, e foi lançado no mesmo ano. Mas a interface dele era muito rudimentar em comparação ao celular do Steve Jobs.

Revolucionou é mudar o paradigma. Cada vez mais celulares têm touch screen, a interface de toque caiu no gosto das pessoas. Ter uma tela gigantesca e poucos botões (ou nenhum!) é a nova ordem. Porém, o iPhone está caindo muito no mercado. Graças a isso se dá pelos seus concorrentes que lançam celulares com mais recursos de hardware, por exemplo, mas que continuam perdendo do iPhone quando falamos de... Interface!

iPhone demorou a gravar vídeos, a ser multi-tarefa, a ter resolução maior de tela, entre outras trilhões de coisas. Ao mesmo tempo, Androids e Blackberries começam a ganhar mercado cada vez mais.

Steve Jobs ainda quer se justificar dizendo o porquê do iPhone não ter recursos que os outros já tinham há décadas. E aí que ele perde cada vez mais mercado. Talvez o segredo dos celulares não seja apenas a questão de interface (sempre impecável nos produtos Apple) mas os recursos de hardware também, porque não? Ou então recursos de ferramentas, seria uma boa também. Por isso mesmo a Apple é uma empresa que muda totalmente os conceitos do mercado, porém dificilmente se mantém ativo nele. É como iMacs, viram produtos de nicho, quando a grande maioria usa Microsoft.

Isso se dá pela cabeça do Steve Jobs. Que ao mesmo tempo que é uma pessoa muito inteligente, grande vendedor, é também um cabeça de bagre que tenta justificar o que seus produtos não tem. E fazer com que as pessoas gostem de seus produtos apenas pela interface, e não pela potencia da máquina.
Um exemplo bacana? Isso aqui. Leia com atenção. =)

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog