quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Discussão esquentadinha no busão

Ontem peguei uma condução em Santo Amaro pra ir pra academia malhar.

No ônibus, uma mulher subiu no ônibus com uma criança e uma mulher gentilmente cedeu o lugar pra ela. Não era um lugar reservado (com aquele amarelo estampado), porém, o marido dessa que cedeu o lugar de alguma forma ficou com muita raiva ao ver a mulher levantando pra dar o lugar à donzela com o filho. Ele disse em alto e bom "Porra, porque você se levantou, mulher? Não era lugar marcado! Se estivesse num lugar marcado você teria que levantar!

E aí começou uma discussão no ônibus, hahaha. É engraçado porque eu fiquei dando risada na hora, e estou dando risada agora lembrando. A esposa do brigão estava tentando acalmar os ânimos, enquanto a mãe com a criança de colo sentada chamava ele de "filho de puta". Resultado? Desci no Socorro (como faço habitualmente) só que na frente tinha uma viatura da polícia. Está tendo polícia lá porque anda rolando muitos assaltos na região ali da Av Victor Manzini.

O cara ia bater na mulher que estava com o bebê. Disse que não leva desaforo pra casa, enquanto o esposo da mulher com o filho estava acalmando os dois, uma vez que a mulher com o bebê não parava de botar lenha na fogueira. O brigão chegou inclusive a se levantar e dizer que ia bater na criança que tinha um filho, e eu em pé bem na frente dele, hahaha.

Eu, francamente, naquele momento queria era cair fora porque a situação tava já beirando a baixaria. =P
Meio estranho isso, mas os dois estavam errados, e parece que não iriam parar a discussão tão cedo.
A mulher com o bebê não parava de xingar o cara, o brigão estava estressado e disse que ia dar porradas nela. Os respectivos cônjuges no meio da briga tentando acalmar os ânimos de seus parceiros, e por aí vai.

Resultado foi que o brigão desceu e foi enquadrado pela polícia. Vi ao longe os policiais o imobilizando e depois tendo um longo papinho com ele. Desci e fui pra academia, mas era engraçado ver a reação das pessoas na rua.
Nem sabiam metade do que tinha acontecido, claro.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog