sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Que justiça que você aceita?

Dois homens conversando. Uma conversa estranha, verdade.
A frase principal era: "O necessário é uma força pra transformar qualquer ato, errado ou certo, em justiça".

A justiça é justa. Não quer dizer que é certo ou errado.
Porque o conceito de certo e errado é como bom ou ruim. Isso varia do tempo, da circunstância.
Não existe algo que é certo eternamente, assim como não existe nada que seja completamente errado.

O maior exemplo disso, é obviamente, os valores de cada época e sociedade. Eles são mutáveis pois a justiça é plenamente mutante.
A justiça é a força que transforma o "certo" ou "errado" em algo muito além disso. Transforma ambos, dependendo da necessidade da época, em "justo".

Se minissaia era algo inimaginável no começo do século XX, hoje ver uma menina dançando sem calcinha é algo plenamente comum.
Digo, claro que muita gente vai dizer que isso não existe, mas se você parar pra ver é isso o que acontece. Se mesmo vendo, você negar, você está sendo hipócrita.

A mesma coisa é possível de se observar nas leis e tudo mais.
E ganha quem tem essa força pra transformar o certo ou errado em justiça. Você acharia justo Israelenses bombardearem a Faixa de Gaza? Israelenses são pessoas ricas, em um país no meio do deserto com uma grande desenvolvimento. A faixa de gaza são uns pobres favelados árabes, com algumas armas, mas o mundo faz crer que, o terrorismo que ele faz é mais desumano do que os bloqueios e vida podre que os judeus do outro lado mandam neles.

Não sou contra o estado judeu de Israel. Mas é uma briga de Gato e Rato.
O único problema é que os ratos, quando percebem que não tem pra onde correr, apostam tudo e mordem os gatos.
Mesmo que isso lhes custe a vida depois.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog