terça-feira, 2 de novembro de 2010

"Sorte" significa "milagre".

Cinco contra cinco. No ringue de batalha estava meu último guerreiro, ferido, atordoado contra mais um guerreiro dele, pronto pra batalha. Seria algo emocionante, se não passasse de apenas uma batalha no Pokémon Stadium. Mas não era contra um qualquer, era contra ninguém menos que o "n". Meu rival de morte.

Meu time inteiro tinha sido expurgado. Incluindo numa batalha feroz entre meu Lugia contra um Articuno dele, dois Pokémon lendários e muito fortes. A diferença maior é que "n" sempre foi uma pessoa muito racional, mesmo em momentos em que estivesse no aperto. Não daria um passo sem antes ver onde pisava, e de fato, aquela luta parecia ser dele.

No ringue meu Feraligatr. Um pokémon aquático, um dos mais fortes do meu time. Seria, se não estivesse com seu HP no vermelho, a um passo da morte, confuso e envenenado. Eu havia acabado de derrotar seu penúltimo Pokémon, mas ainda restava mais um. Sempre perdia de "n" em tudo na vida, nunca consegui superá-lo em nada. Talvez seja pela sua frieza - a sociedade premia as pessoas que levam seus problemas e reage a eles naturalmente. E eu era apenas eu, no calor da batalha, da emoção, confiando nos meus bichos virtuais e na própria sorte.

"n" sempre disse que sorte não existia. Eu mesmo não entendia o que era sorte, até que compreendi que sorte era algo similar a um milagre. E era o que eu precisava pra vencê-lo. Ele joga por fim o seu último Pokémon, totalmente inteirão, um Tyranitar.

Eu somente poderia dar um golpe. Tinha a vantagem de atacar primeiro. Estava envenenado, então não duraria mais naquele turno. Além disso, o Feraligatr estava confuso, então o golpe poderia voltar contra mim. Já o "n" estava lá, inteiro, com seu HP no máximo, e provavelmente atacaria com um Earthquake e me derrubaria.

Minha única chance era um Hydro Pump. Dificilmente um Hidro Pump o derrotaria, mas faria um belo estrago. Ao menos seria melhor que arriscar algo mais ousado. Não tinha como, o tempo corria contra mim. 30% de eficácia, então além de escapar da confusão do bicho, teria que acertar ele nessa chance mínima.

Foi aí que o locutor disse: "Oh my god! Hidro Pump!!", e o golpe acertou o Tyranitar dele em cheio. E como se não bastasse, foi um Critical Hit. O Tyranitar foi nocalteado com apenas um golpe. Nem eu acreditei, aquilo parecia um delírio.

Vitória minha. E foi uma das melhores coisas que ganhei na vida foi naquela fez derrotar "n". Ser melhor que ele em alguma coisa, algo que nem mesmo ele acreditava.

Foi aí que entendi que sorte se assemelha muito a milagre. Apenas um milagre poderia ter feito eu ganhar aquilo. Não falo nada sobre religião, uso milagre com o significado de "algo impossível de se alcançar, até que o milagre faça isso ser possível".

Talvez o mundo seja bem calcado mesmo na racionalidade, no jeitão do "n" de ser. Mas é bem verdade que o mundo também precisa de "sorte", "milagre" e "fé", coisas que apenas o "m" aqui pode ter.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog