quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

A estranha prisão de Julian Assange.

Continuando a novela do Wikileaks. Na verdade eu tou vendo uma galerinha tensa, com medo até de falar algo sobre o Wikileaks. Jornais obviamente não vão falar nada sobre, claro.

Primeira lição: Jornalismo é um comércio, como quase tudo nessa vida. Vamos usar um exemplo super recente: Se um avião cai, qualquer errinho de merda em aeronaves depois da queda dá audiência.

Segunda lição: Jornalismo é uma farsa. São pessoas que tem o poder da mídia, da comunicação. Se são pessoas, podem facilmente ser compradas. Empresas compram, governo compra, propagandas compram, enfim. Julian Assange está falando coisas que provavelmente todo bom jornalista já sabia, mas sempre teve medo de falar pois sabe muito bem da represália que aconteceria. Ou você pensa que esses caras que trabalham em BBC, Globo, Time da vida são funcionários santos? Que eles não tem idéia do que acontece por debaixo dos panos? Erenice Guerra está aí, um escandâlo descoberto quente, mantido em banho maria, para o belo dia que José Serra fosse candidato à Presidência.

Porém e agora com a prisão do cara do Wikileaks, o que acontecerá? Obviamente ninguém cai nessa farsa de que um cara que foi acusado de um suposto estrupo seja indiciado pela Interpol. Procurarão todas as pessoas que tem informações, e Julian Assange sequer entrará na História. Vivemos num mundo que é ditado exatamente por esses segredos do governo, de empresas e jornalistas. Vemos apenas um pedaço da realidade exatamente porque o resto nos é negado. Julian Assange asteou uma bandeira de esperança de todos nós que sabemos que o mundo não funciona assim. Que tem muita merda acontecendo que ninguém vê oficialmente.

E agora, esse sonho acabou.


0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog