domingo, 30 de janeiro de 2011

Vendo o horizonte...


...Ás vezes eu me pergunto que gostaria de saber quem exatamente eu olho. Quem são as pessoas, o que fazem da vida, o que podem contribuir, o que podem compartilhar. Gostaria de ter uma vida imensa e a possibilidade de estar em todos os lugares ao mesmo tempo, ver o que todas essas pessoas fazem, como lidam com a vida, seus anseios, desilusões, histórias.

Enriquecer a mim mesmo, e assim ajudar a enriquecer os outros, trocando experiências.

Gostaria de ter uma tarde daquelas de ficar sentadão num sofá falando sobre a vida, sobre as coisas que acontecem, sobre tudo, ou nem que seja só pra ficar de papo pro ar. Tinha um avô que tinha esse hábito, de receber as pessoas na sua casa e ficar conversando horas sobre tudo. Embora tenha sido metalúrgico e inclusive cobrador de ônibus, esse avô, já falecido, me pareceu desde que eu pequeno uma pessoa muito sábia.

Sabia escrever como ninguém. Fazia cartas imensas de próprio punho para enviar para os parentes, falando sobre a vida, sobre as coisas que ela nos traz, nos tira e nos enriquece.

Meu sábado foi assim. Eu nem lembrava mais como isso era bom. Falar sobre a vida, fazer as pessoas me conhecerem melhor.
Quanto mais a gente pensa que conhece as pessoas, mais nos surpreendemos subitamente. E sempre pra melhor, o que é mais legal.

Mas sobre meu ódio pela França, isso revelarei jamais!
Hahahhahaha!!

Foto tirada por mim, é a vista que temos do templo da Shinnyo-en Brasil.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog