quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Ayumi Hamasaki muda tudo. Ainda bem.

 Os últimos dois álbuns da cantora j-pop Ayumi Hamasaki foram dois grandes fiascos, na minha opinião. NEXT LEVEL e Rock 'n Roll Circus foram dois álbuns que eu ouvi uma vez, não curti e deixei de lado. Tinham uma ou duas músicas legais. Eram fórmulas já estagnadas, e achava que a Ayumi Hamasaki, que eu elegi como melhores álbuns Secret e (miss)understood tinha caído muito o nível. Até que veio Love Songs no ano passado.

Mas o que ele tem? Um som com uma nova técnica, umas letras de músicas mais inovadoras, mais silicone nas peitcholas da japonesa? Não! Apenas que ele soa mais experimental. Mais ousado. Não parece a fórmula usada antes.

A começar pela primeira música, Love Song. Ela usa uns agudos incríveis, que nunca pensei que a donzela Hamasaki conseguiria fazer. É uma passagem muito afinada do grave pro agudo muito rápida, a música não se parece com nada que ela cantou antes. Sem contar os sons de fundo que têm um destaque também. O ritmo então, não parece nada que ela tenha produzido até então.

A canção crossroad também vale a pena. Segue um pouco o jeitão comum da Ayumi mas não enche tanto o saco porque é mais lentinha. Não tem aquela guitarra pesada de "bucetinha revoltada" que a cantora tem, colocando sons bens graves com sua voz infinitamente aguda e irritante. Isso me irritava profundamente. Vale ouvir.

Existe uma faixa de transição chamada insomnia que é hipnotizante. Muito bem pensada.

Gostei bastante de Do it again (essa também ficou bem experimental, especialmente o coro), a November (tem uns sons de fundo muito bem bolados) e outras que chamam embora sejam boas não me chamaram tanto a minha atenção.

Será que ela ouviu minhas críticas e arriscou algo novo? Sempre achei que ela conseguiria, ela tem uma equipe grande e forte, gente que manja muito de música.

Mas aqueles peitos... Nunca vou achar que aquilo tudo seja natural, porque não é nem fudendo!

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog