quarta-feira, 20 de abril de 2011

Comoção é algo reservado a poucos.

Aconteceu antes de ontem, eu acho, pertinho de casa. Vi apenas uma notícia perdida no Destak. Uma mãe matou um filho de 15 anos após mantê-lo em cárcere privado sem comida e sem nada.

Talvez eu possa fazer uma referência direta a um caso famoso de um pai que arremessou sua própria filha do prédio direto na zona norte paulistana. Cruel? Ambos foram. Acho que até esse perto de casa teve um sadismo maior, afinal morte por fome é, na minha opinião, uma das mortes mais brutais que um ser humano pode cometer.

Mas onde está essa notícia no Jornal Nacional? E o melhor, onde estará aquela comoção nacional, que fez com que as pessoas fossem na casa do Nardoni e quisessem linchar o carequinha? Obviamente o caso dos Nardoni só existiu aquela comoção porque houve uma imprensa no meio. Houve o sentimento de que a justiça fosse feita. E isso foi implantado nas pessoas.

Cara... Assassinatos acontecem sempre, e em todos os lugares. Hoje foi perto de casa, amanhã pode ser na sua.

O que não gosto é como essa galera (jornalistas, novamente, meus inimigos preferidos) gosta de vender sua notícia com o intuito de tornar as pessoas mais "humanas", criando a comoção nacional. Imagina se vivêssemos num século XIX, sem jornalistas, em plena idade média onde nosso trabalho limitasse a plantar batata, comer nossas esposas e obedecer a um senhor feudal.

Pessoas são assassinadas de qualquer jeito no século XIX. Mas nem sempre todos sabiam. O trabalho de alguém que divulga isso é o de aproximar as pessoas do acontecimento, mas será que as pessoas que lêem sobre não viram reféns? Será que você sabe consumir uma informação de maneira apropriada? Será que você depois que leu já tentou questionar o autor usando o próprio texto dele?

Qual a diferença entre a senhora que matou o filho acorrentado de fome e o outro que arremessou a menina do apartamento? A resposta é: NENHUMA. Todos foram assassinatos com requintes de crueldade e totalmente desumanos.

Porque um não tem o destaque, assim como tantos outros que são nos mesmos moldes dos Nardoni, e só o da menina que caiu da janela e não criou asas que ficam martelando?

Não quero dar a resposta. Na verdade eu acho é que dei muitas pistas da "resposta", se é que tem alguma pra isso. Reflitam.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog