sábado, 9 de abril de 2011

O discípulo tolo. Parte I

Ele parecia magnânimo. Estava eu caído no chão, meio agonizante. Na minha frente via aquela poeira e um homem andando em minha direção. Eu não podia fazer nada. Inevitável.

Seu caminhar era decidido, e apenas o som de seus passos era o bastante pra impor respeito. Uma pessoa experiente, anos mais velho que eu. Eu estava derrotado, mas sabia que ele apenas estava fazendo aquilo pelo meu bem. Para eu me defender. Para que eu aprendesse a lutar. O tempo estava acabando, e ele se aproximava cada vez mais de mim.

Sua aparência era de alguém... Imponente!

Levantei me esforçando bastante e fui pra cima dele. Ele apenas desviou e me segurou pelo braço. Me empurrou e pressionou o local do hematoma que eu tinha levado. Caí no chão agonizando de dor.

Foi aí que ele chegou e disse: "Discípulo tolo! Você cai muito fácil..."

E eu fitava ele e me arrastava pelo chão me distanciando dele. Mas aí um momento eu parei, e fiquei apenas olhando pra ele. Pensava na minha cabeça quando que eu conseguiria superá-lo, e como eu faria isso. Parecia impossível derrotá-lo, aquilo parecia um cenário de um massacre. Todos os discípulos caídos no chão, e eu, exatamente eu, o mais fraco era o único que ainda parecia estar lutando.

Foi aí que ele me alcançou e se agachou na minha frente. Continuava olhando-o com firmeza. Foi aí que ele comentou algo que eu nunca esqueci:

"Esses seus olhos... Tem fogo, tem coragem, e você nunca se rende, não importa a pancada que leva. Parece que brota do seu olhar, não entendo isso. Você não desiste? Não vê que você é o mais fraco de todos, mas mesmo assim está tentando?"

A única coisa que pude falar naquele momento foi: "Eu... Não desisto... Nunca!"

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog