quinta-feira, 2 de junho de 2011

Um tal de PLC 122.

Volta e meia esses assuntos de crucificar as pessoas que agridem um determinado grupo aparecem. Veio gente até no meu orkut oferecendo pra eu apoiar uma tal de PLC 122. Francamente não sabia o que era, fui atrás. Achei este site.

Como estou sem namorada, não vou dizer que apoio. Porque da última vez que eu resolvi apoiar alguma coisa pro público gay e eu estava sem namorada, um bando de corno veio me taxar de "viado". Então, se eu tiver uma namorada, eu apoio vocês, beleza? Nada contra! Estou apelando mesmo...!

Mas estava pensando, será que um projeto de lei realmente mudaria alguma coisa?

O Brasil é um país engraçado, e ele paga caro pela falta de educação. Não digo pela questão de falta de cognição, pelas pessoas dementes mentais na rua. O governo, com o apoio das leis, que têm que "educar" o povo.

Vou dar dois exemplos: se, desde criança, fôssemos educados a não bebermos e dirigir, não teríamos tanta gente morrendo aí nas ruas. Pessoas teriam noção que mesmo que bebessem um pouco teriam responsabilidade na hora do volante, ou você acha que em outros países as pessoas não bebem uma brejinha antes de pegar no volante? Claro que bebem! Mas têm noção de limites, do perigo, etc.

Se as pessoas fossem mais educadinhas, não iriam pra balada e comeriam 2, 3, 4 sem camisinha. Depois ficam aí chorando pelos cantos pensando que tão devendo na praça, aí um belo dia pega uma tuberculose e descobre que foi agraciado com o HIV porque pensou que uma gozadinha com aquele "loirinho da balada" não rolaria nada.

Pra primeira tem uma lei, pra segunda não. Não existe uma lei que impede que sua xereca fique molhadinha ou minha pica fique dura. Mas ambos dependem de educação do povo.

Voltando aos papos gays: desde criança sempre tive amiguinhos mais "gays" (éramos crianças, não se tem muita noção disso), mas nem por isso eu me tornei um. E muito menos por isso eu desrespeito algum. Claro que tem uma brincadeirinha aqui e ali, mas que graça teria de eu tirasse sarrinho de um amigo viado se ele não tirasse um sarro de mim, sei lá, porque não comi nenhuma mulher há quase dois anos (é, situação tá dura, nem as amigas tou conseguindo nem um carinho...)?

Pergunta: Se as pessoas tivessem direito a uma opinião, conhecesse, pesquisasse, tivessem mais leitura e desligassem mais a tevê, resumindo: tivessem mais educação, será que seria necessário que o governo agisse como uma babá dizendo o que pode e o que não pode?

Quando uma potiguar que ganha 930 diz que chega na sala com um giz e dizem pra ela salvar a pátria como tem gente que ainda fala "Aham Claudia, senta lá"...??

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog