quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Redes entre mais redes.



Redes sociais é uma febre que continua forte. Eu demorei bastante pra entrar no Orkut, pensei eu que não gostaria de demorar na mais nova empreitada da Google, o Plus.

A internet acaba sendo um grande conglomerado de coisas pequenas, e poucos grandes monopólios. Google, por exemplo, como no vídeo acima tem um grande domínio em grandes serviços. Difícil dizer quem não vive com uma conta Google. Era como nos tempos de Hotmail, onde havia o chat, comunidades e e-mail. E todos achavam o máximo ter "aquilo tudo de graça".

Ao mesmo tempo quando falo isso, estou também na perspectiva de um designer. Afinal, muita gente ainda nem mesmo tem um Gmail, usa a internet apenas pra acessar o Orkut, ou coisas mais simples. Ou, ás vezes na correria do dia-a-dia, nem mesmo isso.

Usar mesmo, ainda estou apenas no Twitter e Facebook. Estou indo pro Plus pois gostei bastante dele, e... Veja só, ele tem espaço para crescer e aprimorar, coisa que o Facebook não tem. Virou um canteiro de joguinhos. O que no começo dele era a maior novidade, hoje já meio que cansou. Claro que muita gente acessa e joga, mas as pessoas cansam das coisas, cedo ou tarde.

Mas ao mesmo tempo que tem um público ávido por novidades, existe também o público que é mais conservador. Uma prova é a aceitação negativa do novo Orkut, desenvolvido por brasileiros. Muita gente que conheço usa aquele orkut no visual antigão, com menuzinho aqui e acolá. Eu sou um grande defensor do novo redesign do orkut, mesmo que ele dê muito pau. Porém, assim como o Facebook estacionou nos joguinhos, o Orkut quando foi redesenhado parecia algo próspero, pronto a decolar.

O que aconteceu? Se encheu de aplicativos 'inúteis', pra baixar filmes, músicas ou falar que você torce pra algum time de sexta divisão do futebol nacional. Só. Uma pena! Eu gostava do Orkut.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog