quarta-feira, 30 de novembro de 2011

In tune - Parte I - Aquele que choca.

Noriko estava em uma praça, sentada conversando com um homem com uma câmera. Aparentemente um turista.

"...Sim. O melhor de Liège é esse clima, eu acho. Não se encontra em outros lugares da Europa algo assim. É um ar diferente... Não sei explicar! Primeira vez sua aqui?", Noriko questionou.

"Na verdade é a terceira. Minha esposa mora nas proximidades. Eu sou fotógrafo. Estou fazendo uma reportagem para um jornal da onde vim", o desconhecido afirmou.

"Da onde você é?", Noriko perguntou.

"Sou grego. Aliás, não nos apresentamos ainda. Meu nome é Albireo Gianopoulos. E você é oriental, não? Muito bonita!", disse Albireo.

"Ah! Sou Maki Yoshizawa. Moro aqui há alguns anos. Obrigada! O senhor também é bastante charmoso".

- - - - - - - - - - -

O velho todo dia vinha conversar com Noriko naquela praça. Passou-se uma semana, mas eles pareciam se conhecer há anos. Até que Noriko o chamou para conhecer sua casa, tomar alguma bebida quente. O tal Albireo aceitou.

"Não tem namorado, Maki?", Albireo perguntou.

"Não... Prefiro não ter essa dor de cabeça", ela afirmou.

"Eu estou procurando um velho amigo. Se você já mora aqui faz tempo, pode eventualmente já ter visto-o na rua. Ele mora nas redondezas, mas com o tempo perdemos o contato...", Albireo mostrou uma foto tirada do blazer.

Maki arregalou os olhos ao ver a foto. Depois olhou para Albireo. Viu uma semelhança entre os dois. Seus olhos lacrimejaram e ela levou a mão à boca. Deu alguns passos pra trás enquanto Albireo avançava. Definitivamente ela parecia ter visto um fantasma.

"Noriko Yamamoto. Trinta e quatro anos. Alto escalão da inteligência japonesa, solteira, atual paradeiro desconhecido. Declara morar em Langley, Virgínia e ter contatos importantes. Mas aparentemente esteve envolvida há sete anos no expurgo de Arch ***********, considerado traidor por integrar um grupo revolucionário. Vim aqui porque preciso conversar com a senhorita", Albireo revelou.

"Você... Não pode ser! Você morreu há sete anos!", Noriko disse. negando com a cabeça.

Albireo tirou o chapéu e a peruca. Cabelos ruivos caíram no seu rosto. Noriko olhou com um olhar de estranheza, mas as feições do rosto mesmo assim eram idênticas. Ele estava sempre com uma maquiagem, ressaltando linhas de expressão e deixando-o com um ar de mais velho.

"Eu odeio essa galera que fica falando pelos cantos que sou 'irmão do traidor'. A verdade é que cada vez mais estou a cara dele... Pra não ficarem me enchendo o saco eu tingi o cabelo de vermelho", Albireo disse.

"Então você é... Nossa! Como você cresceu!", Noriko disse.

"Sim. Na verdade eu sou irmão mais novo dele, me chame de Al. Noriko, preciso que você me ajude. Por favor, sente-se. Tenho algumas perguntas pra fazer pra você".

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog