terça-feira, 22 de novembro de 2011

Os elementos de cinema em Modern Warfare 2.

 

Não sou cinéfilo, e francamente sou bem desatualizado. Tanto pra cinemas quanto para games.

Mas é inegável que o segundo adotou muita coisa do primeiro. Muita coisa mesmo. Gosto de dar o exemplo de Modern Warfare 2, que por si só já é um jogo bem dramático, e com atuações épicas de... Meros personagens de CG. Mas mesmo assim, épico.

Digo isso porque quando fala de games, muita gente lembra de Mario, ou qualquer jogo desse gênero. O treco evoluiu, e evoluiu bastante. E fatura mais grana que o cinema já. Sem mais delongas, uma análise meio semiótica do que se vê em Modern Warfare 2.

Gosto do briefing. Explica o que está acontecendo no jogo (no caso, uma invasão russa em pleno território do McDonald's). Não é difícil de fazer, é simples, sem muito lenga-lenga e direto ao ponto.

Uma coisa do cinema é a imersão. Isso é essencial. Ok, jogo em primeira pessoa favorece ainda mais. Mas algo elementar do cinema é o escuro. Logo no começo da missão dá um fade escuro, aparece escrito o nome da missão (Wolverines!), quem você controla, que dia está, as horas... E pum! Você, num carro indo parar soldados que bebem vodka.

Isso é uma das características mais marcantes do cinema na minha opinião (só perde para a taxa fraca de frames por segundo, que é um charme, mesmo sendo do tempo das cavernas), esse escurecer onde você sai do seu mundo e entra em outro. Agora você não é mais você. Você é o soldado Ramirez e está com o cu na mão e vai dar um chute na bunda de comedores de louras gostosas russas junto com dez malucos.

Depois é tiro, não preciso explicar a imersão. Só acho que o game over te faz "acordar" e lembrar que é um jogo. Mas jogo é assim, tem que ter essa dificuldade, você tem que perder e depois ganhar.

Embora o final dessa fase não seja dos melhores, acho o início dela muito bom. Como final mais cinematográfico, destaco esse. Sim! Se passa no Rio de Janeiro. Tenso você ir pulando de laje em laje e cair, e acordar depois correndo desesperadamente pra escapar de vagabundo armado. Quer algo mais tenso? Difícil.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog