sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Cutucando a ferida.

Eu gosto de quem provoca. Pode ser que a pessoa que diz algo pode ser completamente sem nexo, feito apenas para confundir. Mas confundir é a palavra da ordem pós-moderna. Temos que aceitar a confusão, que as pessoas não são robôs, e que devemos respeitar sempre o ponto de vista do outro.

Vou falar de três assuntos polêmicos.

Primeiro, o assunto da moda: bebida e direção. Muita gente falando do vídeo lá no tal Luan Rocha, dizendo que ele não está incentivando a bebedeira e direção, mas sim, que ele está debochando da legislação do nosso país, a Brasólia.

Para tanto, achei sem querer querendo esse texto. Eu não sei, mas se meu governo diz para eu perseguir e matar judeus, eu ao menos gostaria de ver um outro ponto de vista. Só para curiosidade. Leia. Achei interessante. Conheço pessoas que ficam mais atentas depois de chapar o côco de pinga. Óbvio, pode ter sido sorte, mas vai muito da noção responsabilidade das pessoas e técnica de direção.

Acho que ele deveria comentar também que o sistema de obtenção da CNH nesse país é um sistema falho já desde há muito tempo. E caro. Por ser um cursinho meia boca, onde qualquer um consegue comprar fácil, acaba sendo um mero cursinho onde se você, motorista sem experiência, pega um carro e causa um acidente a culpa é sua, por ser inexperiente. O errado já começa por aí.

Outro inimigo da sociedade é o cigarro. Será que o cigarro causa câncer mesmo? Achei um site com evidências interessantes, mas também pouco divulgado. Parece que a probabilidade de uma pessoa não fumante ter câncer de pulmão, por exemplo, é de 1%. Para fumantes, sobe para 10%. Porque será então que vemos tantas pessoas morrendo de câncer de pulmão por aí? Simples. Mídia.

Enfim, dêem uma lida porque é um material interessante.

E por fim, falamos de direção embriagada, câncer do cigarro, agora vamos falar do HIV. Muitos amigos (e amigas) sempre em baladas acaba rolando uns pegas e vão dar uma trepada - muitas dessas trepadas sem nenhum preservativo. De acordo com a tevê era pra eles estarem mortos, oras, a AIDS está solta por aí, e pode estar nessa buceta que você tá chupando aí.

Mas eles não morreram (ou não morreram ainda).

E nem verruga no pau eles conseguiram. E eles se vangloriam por dar uma trepadas "na pele". Eu francamente não tenho coragem, e uso somente aquelas camisinhas "sensitive". Sim, até hoje, em nenhuma transa eu fiz sem preservativo. Não prefiro arriscar, por mais que digam que é "melhor e goza mais rápido".

(até porque, vai que a menina engravida também? Putz, eu não quero ter filhos... Um só e olhe lá, mas daqui a um bom tempo)

Aí, sem querer querendo (sempre assim) eu achei isso aqui sobre o HIV. Inclusive discuti isso com uma amiga médica. Parece que é o típico texto que usa algumas poucas verdades para maquiar uma "verdade" que na verdade é mentira. Mas mesmo assim é algo para se pensar.

Independente dessas coisas serem verdade ou não, é bom ter noção. E tomar cuidado com verdades que a mídia expõe e o povo aceita. Pense no que eles estão influenciando no seu comportamento. Aí você vai se ligar que o Walking Dead, aquele seriado dos zumbis, nada mais é baseado do que em nós mesmos, tão letárgicos, querendo comer cérebros e mais cérebros.

Não seja um zumbi, tente procurar a verdade.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog