quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Fique mais um pouco entre nós!

Despedidas sempre são uma merda. Hoje acordei, fiquei lendo o livro "Bilionários por acaso" sobre a história do Facebook, tomei um banho, e meu avô me levou até a rodoviária para eu voltar para São Paulo.

Se da outra vez que vim no carnaval eu senti que a nossa vida é grande e feita de lembranças, dessa vez eu vi que tudo a qualquer momento pode virar apenas lembranças.

Meu avô cada vez mais parece estar próximo da morte, e ao ver a família um bocado desunida como está ele vê esse fim cada vez mais próximo. Mal cheguei ele havia dito que era melhor eu aproveitar pois seria talvez a ultima vez que ele estaria lá. E que talvez ano que vem ele não estaria mais ali.

Na hora eu disse "que besteira, vô!". Mas agora há pouco quando me despedi dele tive medo. E se for a última vez mesmo que eu ver esse meu velho?

Sei lá. Estou em lágrimas nesse momento e sinto que tudo o que mais quero é passar mais um tempinho com ele. Quem diria, hein? Uma vida inteira e justo o neto no final da sua vida é quem mais mostra presença, justo no momento em que ele mais precisa?

Fique mais um pouco, vô. Eu ainda quero que você veja e abrace seus bisnetos! Me dê apenas um pouco mais de tempo. Amo o senhor demais, e não quero que esse "tchau" seja um "adeus". Quero que seja apenas um "até logo"!

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog