quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Saindo do Android Cupcake.

Enfim criei vergonha na cara e troquei meu Samsung Galaxy Lite da Claro por um celular que preste. O smartphone da escolha foi o desejado Motorola Milestone 3.

Eu gosto da Motorola. Sou do tempo que homens usavam Nokia e mulheres usavam Motorola (eu tinha um Motorola V8, mas não era rosa). E se não fosse a parceria com o Android, a Motorola nem existiria mais. Ou viveria ainda do V3 (como essa merda ainda vende por aí?).

"Um trambolho imenso e bonitão", assim descrevo ele de primeira. Eu sempre achei a série Milestone um quadradão retrô estiloso. Filma em HD, bom processador, Android rodando redondinho. Eu estava entre ele e o Atrix, também da Motorola. O que eu gostaria do Atrix é o destravamento da tela via impressão digital (um treco genial), mas eu tenho as digitais muito finas, acho que seria um sufoco usar isso.

Por incrível que pareça o que pesou na escolha não foi o QWERTY do Milestone 3 (que eu nem uso direito, já que ele vem com o Swype). Mas sim o item Rádio FM. Ambos são bem parecidos e potentes, mas um celular como o Atrix sem rádio, pra mim, é algo imperdoável. Gosto de ouvir a CBN de manhã, uma pena que o Heródoto Barbeiro saiu.

Mas é bom sempre dar uma pesquisada antes em reviews. Por mais que você possa ir na loja e fuçar, o celular pode estar bichado ou zuado. Leia bastante sobre antes de comprar, já que é um investimento meio caro. Eu comprei mesmo porque uso todas as funções, é essencial no meu dia-a-dia. E agora com um Android numa nova versão, sinto-me em casa.

Só pra constar, sou cliente da Claro e mandei ele buscar as redes APN pra eu me conectar. O engraçado é que ele até acha duas redes da operadora (com os nomes de Claro 2G e 3G), mas mesmo eu tendo um plano 3G eu não tenho como usar a conexão "Claro 3G".

Tenho que me conectar na tal "Claro 2G". Mas o celular funciona num EDGE na mesma velocidade que antes. Velocidade de um 3G tupiniquim, que pros padrões internacionais da Motorola não é reconhecido como um 3G.

Que mico, hein Claro?

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog