sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Dimensões metafísicas ou filosóficas.

Toda religião parece ter uma dimensão metafísica e filosófica. Na questão filosófica, todas são similares. Na metafísica que surgem as diferenças.

Dias atrás encontrei uma amiga das antigas e fomos juntos ao trabalho, conversando. Comentei com ela que eu sou budista. Ela é evangélica, como grande parte dos meus amigos. Ela começou logo dizendo: "Como assim vocês ficam cultuando uma estátua de um cara sentado como indiozinho?".

Nada contra evangélicos. A grande maioria por incrível que pareça respeita bem a escolha dos outros. Minha família, por exemplo, mesmo não entendendo o que é designer ou o que é budismo respeitam bem. Tanto a parte católica paterna quanto a protestante materna.

Expliquei que não é bem assim e a estátua lá funciona como um simbólico da representação dos ensinamentos do Buda, e não que a gente reverencia ela (tive que explicar desse jeito, senão já era...).

Disse pra ela que as religiões no fundo tem o mesmo fim: trazer a felicidade para as pessoas. Essa é a questão filósofica. Religiões podem ser um novo paradigma social de uma comunidade que cada vez mais abraça o ateísmo, mas religião é subentendido pelas pessoas como uma forma de submissão, quando não é exatamente isso.

Religião ensina ética, por exemplo. Cristianismo prega a bondade. Budismo foca na harmonia. Outras tantas religiões focam em outras coisas, mas sempre são substantivos abstratos que enriquecem o ser humano. Talvez apenas o satanismo que tenha aquela ideia de "faça o mal ao outro mais do que foi recebido". Mas talvez apenas ela mesmo.

As guerras acontecem exatamente nas diferenças metafísicas. Cristãos acreditam na ascenção de Jesus Cristo como filho do Criador. Muçulmanos acreditam no expurgo de qualquer religião que não seja a sua, pois apenas a sua é capaz de te levar para Alá. Judeus... Bom, eles se circuncizam. Quer algo pior que cortar a pelezinha do pau? Budistas acreditam no círculo das seis existências e que apenas se alcançando o Nirvana a gente se livra desse renascimento eterno.

Se todas as religiões, catolicismo, protestantismo, maometismo, umbanda, budismo, taoísmo, xintoísmo e até a Seita do Bule Gigante têm sempre uma filosofia similar porque a gente tem que brigar tanto por detalhes se o fim de todas é o mesmo?

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog