sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Ordem no tribunal.

Dizem que os gregos era um povo tão centrado em padrões que as roupas eram similares, casas sempre na mesma cor, prédios públicos. O ser humano sempre foi em busca de ordem.

Nossos avós eram assim. Ou eventualmente até nossos pais. Eles queriam que tudo seguisse a ordem. Crianças teriam que ir para a escola. Deveriam estudar. Deveriam refletir sobre seus estudos. Deveriam ir pro trabalho em uma determinada idade. Algo assim.

O ser humano durante toda sua História buscou alguma ordem. Pra isso criamos leis e punição. Se você não as cumpre, tem seu maior valor, que é a liberdade, tirada de você. E aí de uns tempos pra cá pessoas começam a pregar que deveria ter liberdade para tudo. Dizem que já teríamos alguma consciência superior, e que não faríamos merda por aí com essa tal liberdade.

Concordo plenamente que não deveriam ter leis pra nos dizer o que é certo ou errado. Deveríamos ter uma noção de um bem-estar social, mas para isso deveríamos optar pelo caminho mais difícil: fazer de todos nós seres pensantes. TODOS, sem exceção. Vamos pegar um exemplo atual (e descontraído, para que vocês entendam).

Lembram da Luiza? Teve gente que tirou sarro. Teve gente que criticou. Pessoas replicavam o que achavam de melhor, mas não sei se pararam pra pensar o que era de fato. É meio duro dizer isso, mas você acaba sendo um bocado superficial apenas replicando. Não dá pra se concordar sem ao menos questionar. Se você aceita passivamente o humor ou a crítica você está deixando de ser um ser pensante e sendo um ser meramente replicador.

Porém esse tipo de sociedade é difícil de se elaborar. Precisamos de pessoas interessadas, inteligentes e críticas. Esse é o ápice da ordem. Muita gente crê que anarquia é a falta de ordem, mas é exatamente o contrário. Anarquia é a ordem extrema. A sociedade perfeita com seus indivíduos participando ativamente do seu meio, entendendo-o e refletindo em cima dele. E isso todos, não apenas uma parcela pensante.

Temos um outro caminho também, que também acho interessante. Se por um lado temos uma sociedade livre baseada na ordem, podemos ter também a total ausência de ordem. Cada um faz o que quer, problema é da pessoa, basicamente é isso. É um caminho mais fácil, mais barato, mais ágil, mas de resultado duvidoso. Duvidoso não porque pode dar errado - pode até ser um caminho para se adquirir essa "ordem" que falo acima - mas é um tiro no escuro, não dá pra saber onde vai acertar.

Aí eu vejo vídeos como esse que refletem apenas uma ponta do iceberg. Nada contra a menina, eu comia fácil e concordo e acho divertidíssimo o vídeo. Mas se você prega a liberdade e total uso sem discernimento você não tem o direito de criticar. No fundo você mesmo prega uma ordem. E não é apenas ela. Sou eu, você, sua tia, seu avô, sua vizinha gostosa e até o cachorro.

Mas o problema não é a liberdade, nem ausência de certo ou errado. As pessoas podem muito bem defender algo ou criticar algo se tiver subsídios teóricos para tal. Se não fica uma crítica muito rasa. A total liberdade pode virar um caminho para essa anarquia de seres plenamente racionais. Tenha uma opinião, pesquise, saiba ouvir e falar, mas principalmente ouvir. Sabendo disso, já é um bom começo. =)

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog