sexta-feira, 25 de maio de 2012

"Me prometa: Que você nunca mais irá chorar".



Era uma tarde comum. Eu tinha depressão na época e estava péssimo.

Estava chorando sentado na minha cama. Não lembro exatamente o motivo, acho que foi uma briga com meu pai. Foi aí que ela entrou no recinto.

Ela virou e me viu naquele estado. Aquariana firme e racional, acho que ela achou estranho um cara do meu tamanho chorando.

"Ei, garoto. Porque você tá aí chorando?", ela disse, se aproximando de mim.

Eu lembro de ter explicado os motivos. E que eu estava muito triste, e não aguentava mais aquela pressão. Logo depois que terminei, ela continuou.

"Olha pra mim", ela disse, colocando a mão nos meus ombros. Eu olhei pra ela. "Não chora mais. Quero que você me prometa uma coisa. Me prometa como o homem que você é", ela afirmou.

Eu nem a via direito com os meus olhos naquele estado. Mas ela estava firme e decidida. Ela prosseguiu:

"Me prometa que você nunca mais vai chorar por mais nada nesse mundo", ela começou, "Você é um homem, e homens não choram. Acima de tudo essas suas lágrimas são muito bondosas pra serem desperdiçadas. Ninguém, absolutamente ninguém nesse mundo merece receber essas suas lágrimas! Você tá me entendendo?".

Eu acenei que sim. Me levantei e fui lavar o rosto.

Naquele momento foi importante por congelar toda minha tristeza. Se chorei em algum momento depois daquilo, foi de alegria.

- - - - - - - - - -

O dia 25 de maio não é o dia em que você se foi, é o dia em que nós brigamos.

Acho que já tive um trabalho grande trazendo de volta essas reminiscências, e devo dizer que, de você só tenho boas lembranças. Mesmo que hoje você esteja num lugar bem melhor. Sei que você ainda olha pra mim, e me protege.

Você será meu segredo, e eu serei o seu segredo.

Seu último pedido foi que eu procurasse um novo amor, não é? Querida, você vai dar risada, mas estou me esforçando bastante! São tempos difíceis, rs.

Mas o que nunca vou esquecer foi a força que você me deu, na apresentação do TCC. Parecia um sonho. Agradeceu o convite mas não poderia comparecer. Mas que estaria torcendo por mim, e que tudo daria certo.

E tudo deu certo, né?




Eu nunca te agradeci, mas... Obrigado!
Por tudo. E até o próximo 25 de maio.

E desculpe, mais uma vez.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog