sexta-feira, 18 de maio de 2012

Sob o estranho sol mogiano.


De alguma forma você me lembrava a justiça. Nada melhor do que te retratar como Athena.

Eu tinha ficado com uma menina e ela do nada sumiu. Eu era um moleque e fiquei sentido com isso. Na época não queria apenas uma ficada. Tinha a cabeça pequena e não entendia isso.

Bisbilhotando nas redes sociais achei você, uma japonesa linda, e aparentemente era uma grande amiga dessa ficante. E foi aí que comecei a amizade, o objetivo era usar você como ponte pra chegar nessa garota que eu tinha apenas ficado. E talvez conseguisse saber alguma coisa, algum paradeiro, algum recado.

Mas tudo deu errado, porque eu acabei me apaixonando por você.

Afinal, tínhamos mesmo uns gostos parecidos, conversávamos super bem, e mesmo pela distância acho que algo poderia rolar. Apostei minhas fichas. E dei de cara no muro.

Naquele tempo eu pensava que tinha algo sobre racismo, por eu não ter nenhum sangue oriental. Mas depois vi que isso seria uma sacanagem com sua amiga se você ficasse comigo. Um pouco daquela estranha ética feminina.

Pensava eu: nós tínhamos apenas ficado, não deveria ter nada que impedisse de ficar com minha Athena.

Mas não. Aquela que eu apenas tinha ficado ainda gostava de mim.

Só que dessa vez, era eu que não gostava mais dela.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog