segunda-feira, 7 de maio de 2012

Unleashed.

"Você lacrou seus sentimentos no fundo do seu coração.
Não passa hoje em dia de um cara que fica sorrindo por aí.
Mas quando você liberta essas emoções, você fica imbatível."

O verbo leash tem uma origem engraçada. Hoje usamos como "libertar, soltar". Mas ele era um verbo usado para descrever exatamente o ato de prendermos um cão nervoso que estivesse prestes a atacar, preso com algum pano.

Talvez o cão fosse mesmo o melhor amigo do homem, pois ele se assimila tanto a parte amigável, quanto a fúria.

Era um sábado, e lá estávamos nós. Eu conversando com uma velha amiga, enquanto o marido dela e você estava na minha frente, também conversando distraídos. Estávamos aproveitando um evento cultural, tudo estava indo bem. Muitas pessoas nas ruas, policiamento extenso, parecia um local tranquilo.

Foi então que em uma escada vi um moleque, que ao passar por você esticou o braço e tentou tirar sua carteira, que estava em sua mão. Na hora que vi aquilo não acreditei muito, mas ele desceu e estava na minha frente, que estava logo depois de você.

Unleashed. Não lembro dos detalhes. Segurei o garoto com força pelos braços e gritei pra ele devolver o que tinha furtado dela. O garoto estava sem reação, seus olhos arregalados, ele sentia medo. Meu objetivo era destroçá-lo naquele momento, sentia o braço dele firme em minhas mãos, e o garoto apenas negava: "Não moço, não peguei nada, eu juro!".

Gritei na hora pra você se ele tinha pego algo. Você me disse que estava tudo ali, e nada tinha sido levado. Joguei o moleque de lado igual um bicho de lado, ele tropeçou e saiu correndo.

Você simplesmente virou as costas e foi subindo. Disse que apenas sentiu alguém encostando.

Nem mesmo um obrigada você disse.

E lá naquele momento meu coração estava no pescoço, eu me esforçava pra respirar. Me vi de súbito não mais num evento, mas no meio de diversas pessoas e entre elas estaria algum espertinho que iria se aproveitar de algo. Aquela fera em mim tinha saído. Lembrei dos conselhos do meu mestre num outro dia, há muitos anos.

Mas não poderia ter sido "libertado" numa hora mais conveniente.

Mais tarde minha mãe me criticou veemente. O cara poderia estar armado, e eu teria levado a pior por ter sido valente em querer salvar a menina. Não pensei. E aí senti o real significado de unleash. Seria a fera que estava adormecida de alguma forma dentro de mim.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog