segunda-feira, 11 de junho de 2012

Livros 2012 - #13 - Sensibilidade do Intelecto

Ai, Fayga.

Eu casava com você.

O jeito que a Fayga fala é sempre lindo sobre a Arte. Minha mãe odeia ela, mas eu sempre gostei dela. A primeira coisa que eu li dela foi "Universos da Arte", ainda na faculdade. Genial. É o mais indicado pra quem não manja tanto de Arte. Sim, com "A" maiúsculo!

Esse "Sensibilidade do Intelecto" ela dedilha sobre alguns pontos interessantes. É MUITA COISA, vou citar a que mais me tocou:

A arte é importante pro ser humano nesses tempos onde pra passar no vestibular tem que escrever uma redação sem erros de gramática e decorar fórmulas de matemática ou física? Acaba passando desapercebida, isso é inegável.

Mas a arte, como a Fayga mesma diz, é o jeito de expressar e exteriorizar o nosso caos interno. Era assim com o homem das cavernas até os dias de hoje. A Arte, independente de qual que seja, nos faz sermos unidos uns com os outros, nos fazem expressar o que achamos estar dentro de nossas almas.

A arte é uma necessidade da nossa alma. Seja em fazer, ou seja em construir. É quando dividimos tudo o que existe dentro de nós com os outros, afinal ela foi a primeira coisa que nos faz diferenciar dos outros mamíferos. Foi a nossa primeira forma de comunicação e nossa linguagem natural, que nos une independente de língua, cultura ou valores.

Afinal a prova tá aí. Todas as culturas, desde os aborígenes australianos, até os europeus produziram arte. A Arte é primordial, e é deprimente que tanta gente não veja que respiramos, comemos e admiramos Arte, sem muitas vezes nem perceber ao longe de inúmeros cálculos matemáticos.

Inspirador, né? É a Fayga! Sempre me fazendo sonhar.

Eu casava na hora com você! =)

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog